Polícia Federal deflagra operação contra suspeita de fraude em licitação para compra de merenda escolar em Florínea

Mandados expedidos pelo Tribunal Regional Federal da 3ª Região foram cumpridos na cidade e também em Maracaí (SP). Contratos foram firmados com duas empresas fornecedoras, cujos valores totais alcançam aproximadamente R$ 2 milhões.

PF cumpriu mandados em quatro endereços em Florínea e Maracaí — Foto: Adolfo Lima/ TV TEM

PF cumpriu mandados em quatro endereços em Florínea e Maracaí — Foto: Adolfo Lima/ TV TEM

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quarta-feira (22) a Operação Food Education para cumprir quatro mandados de busca e apreensão relacionados a investigação de supostas fraudes em licitações para compra de alimentos para merenda escolar em Florínea (SP).

Os mandados expedidos pelo Tribunal Regional Federal da 3ª Região foram cumpridos na cidade e também em Maracaí (SP). Em Florínea, foram cumpridos três mandados de busca e apreensão de computadores e documentos na prefeitura, na cozinha piloto e em um supermercado. O quarto mandado foi cumprido em frigorífico de Maracaí.

A investigação teve início a partir de denúncia de um morador de irregularidades nas notas fiscais emitidas pelos fornecedores, que continham itens não utilizados na merenda escolar ou em quantidades excessivas, e outras foram emitidas em decorrência de aquisições feitas em períodos de férias escolares.

Os contratos foram firmados com duas empresas fornecedoras, cujos valores totais alcançam, aproximadamente, R$ 2 milhões.

Durante o inquérito, o relatório do Tribunal de Contas do Estado (TCE) de São Paulo atestou serem parcialmente procedentes as denúncias formuladas, o que levou a necessidade de aprofundamento das investigações, mediante busca e apreensão realizadas nesta manhã.

Os investigados poderão responder pela fraude nos processos de licitação. De acordo com a PF, o nome da operação foi inspirado na necessidade de um processo de aprendizagem e de mudança comportamental na aplicação dos recursos destinados à merenda escolar dos alunos das escolas públicas.

As licitações teriam sido feitas em 2018 e 2019. o atual prefeito Paulo Eduardo Pinto, o Duda, também era prefeito na gestão passada. Em nota, a prefeitura negou as acusações de fraude e disse está colaborando com as investigações. Disse ainda que em julho deste ano o Tribunal de Contas do Estado declarou regular o pregão desse processo licitatório e que e

#MAIS LIDAS DA SEMANA