Timba vota contra aprovação das contas do prefeito anterior

Ao todo foram 18 apontamentos, sendo que a maioria é reincidente.

Timba durante a Sessão (Foto: Assessoria)

O vereador João da Silva Filho, Timba – DEM , vice Presidente da Câmara, na ultima sessão do dia 25 de março, votou contrario a aprovação das contas do ano de 2010 da Administração Ézio Spera. Também foram contrários os dois vereadores do Partido dos Trabalhadores.
Segundo o vereador Timba, “de forma alguma essas contas deveriam serem aprovadas pois existem vários apontamentos do Tribunal de Contas que impossibilitam a aprovação, como por exemplo, a contratação de cargos em comissão e de confiança sem os atributos exigidos pela constituição Federal, que não correspondiam as funções de chefia, direção ou assessoramento”.

O Vereador destaca também o excesso de horas extras sem comprovação de necessidades, divergência entre a contabilidade e a lançadoria no que diz respeito ás dividas tributárias causando até cancelamento de débitos não lançados na contabilidade.

Outro apontamento foi o descontrole da manutenção da frota de veículos, que pode projetar gastos desnecessários, e desvios de recursos. Enfim ao todo são 18 apontamentos, sendo que a maioria é reincidente.

Timba ainda frisa que, “como fiscalizador da administração pública, mesmo com o parecer favorável do Tribunal de Contas, e  o parecer favorável da Comissão de Justiça e Redação da Câmara, não poderia votar favorável para aprovação das contas da gestão passada, entendi que a mesma deixou dividas no município e que por si só já éum grande sinalizador de que estas contas não se fecharam, causando no final do mandato de 2012 um rombo de aproximadamente 25.000.00 (vinte cinco milhões de reais ) aos cofres públicos, chegando a causar um grande transtorno a nova administração, pois a mesma assumiu o município sem caixa para saldar os salários dos funcionários e acertar dividas com alguns  fornecedores”

“Infelizmente os três votos não foram suficientes para rejeitar as contas da gestão passada, pois os demais vereadores não entenderam como relevantes os apontamentos do Tribunal de Contas elencados no projeto, finaliza o vereador.

 

#MAIS LIDAS DA SEMANA