Fique conectado

Polí­tica

Nilson Pavão será julgado hoje na Câmara Municipal por denúncia quebra de decoro

O vereador foi denunciado após se envolver em um acidente no dia 10 de agosto, ocasião que a polícia encontrou três porções de cocaína em seu veículo.

Publicado em

343

A Câmara Municipal de Assis (SP) irá realizar nesta segunda-feira (12), às 20h, logo após a Sessão Ordinária, uma Sessão Especial de Julgamento para decidir sobre a procedência ou improcedência da denúncia que pode decidir pela cassação do mandato do vereador Nilson Antônio da Silva (Nilson Pavão).

A Comissão composta pelos membros vereador Claudecir Rodrigues Martins como Presidente, vereador Luis Remo Contin como Relator e vereador João da Silva Filho como Membro, solicitou ao Presidente da Câmara, vereador Eduardo de Camargo Neto, a convocação de uma Sessão Especial de Julgamento, onde o processo é regido pelo Decreto nº 201/67, que dispõe sobre a responsabilidade dos Prefeitos e Vereadores.

A Denúncia de autoria do Senhor Ernesto Nóbile a respeito do vereador Nilson Pavão sobre suposta quebra de decoro parlamentar foi realizada na Câmara Municipal, onde o Adendo da Denúncia solicitava o afastamento do vereador.

O recebimento da Denúncia foi aprovado pela Câmara no dia 13 de agosto, porém o afastamento do vereador foi rejeitado. No mesmo dia, a Câmara instituiu a Comissão que investigou o caso.

Na Sessão de julgamento, serão lidas as peças que por ventura, poderão ser requeridas por qualquer vereador e pelos denunciados e, a seguir, os que desejarem, poderão manifestar-se verbalmente pelo tempo máximo de 15 (quinze) minutos cada um. No final, o denunciado, ou seu procurador, terá o prazo máximo de 02 (duas) horas para produzir sua defesa oral.

Conforme de Artigo VI do Decreto 201/67, “Concluída a defesa, proceder-se-á a tantas votações nominais, quantas forem as infrações articuladas na denúncia. Considerar-se-á afastado, definitivamente, do cargo, o denunciado que for declarado pelo voto de dois terços, pelo menos, dos membros da Câmara, em curso de qualquer das infrações especificadas na denúncia.

Concluído o julgamento, o Presidente da Câmara proclamará imediatamente o resultado e fará lavrar ata que consigne a votação nominal sobre cada infração, e, se houver condenação, expedirá o competente decreto legislativo de cassação do mandato de Prefeito. Se o resultado da votação for absolutório, o Presidente determinará o arquivamento do processo. Em qualquer dos casos, o Presidente da Câmara comunicará à Justiça Eleitoral o resultado”.

Polêmica

Apesar do julgamento ser baseado somente no que consta na denúncia, Nilson Pavão constantemente vem se envolvendo em polêmicas na cidade. O caso mais recente que envolve o nome do edil aconteceu há uma semana. No dia 29, o vereador foi acusado de atropelar e fugir sem prestar socorro à Beatriz Simeão Burani, Segundo a vítima, quando ela levava sua filha à escola foi atropelada por ele, que fugiu sem prestar socorro à vítima.

(Foto: Reprodução/Facebook)

No dia 20 de setembro, o vereador foi acusado de se envolver em uma colisão na Vila Prudenciana.

Segundo a proprietária do veículo atingido, VW/Gol, Maria Alice Lima, o acidente aconteceu por volta das 08h30 da manhã no cruzamento da Avenida David Passarinho com a Rua Anhumas, próximo ao Velório Municipal.

Vereador Nilson Pavão se envolve em mais um acidente de carro em Assis (Foto: Maria Alice Lima/Arquivo Pessoal)

No dia 10 de agosto, Nilson foi detido e liberado após se envolver em um acidente no Distrito Industrial e a polícia encontrar três porções de cocaína em seu veículo.

Polí­tica

Jovem é agredida após namorado confundir motorista de aplicativo com ‘amante’

Caso foi registrado em Bauru (SP). Homem não foi preso.

Publicado em

Do G1

Uma jovem de 22 anos foi agredida e ameaçada de morte pelo namorado na madrugada de domingo (19), após chegar na casa dele com o motorista de um aplicativo, no Jardim Redentor, em Bauru.

Segundo consta no boletim de ocorrência, o rapaz não acreditou que o carro em que ela chegou era de um motorista de aplicativo e a acusou de ter um amante.

Ao descer do carro ela foi agredida com socos e chutes. Ela chegou a cair no chão por conta das agressões físicas. A jovem relatou que o namorado também lhe deu um golpe conhecido como ‘mata-leão’ e disse que ia matá-la.

Para fugir das agressões, ela se jogou na frente de um carro que passava pela rua e pediu socorro ao motorista, que parou para ajudá-la. Ela foi levada até uma base da Polícia Militar próximo ao Jardim Cruzeiro do Sul.

O caso foi registrado na Polícia Civil como violência doméstica, ameaça e lesão corporal. Ninguém foi preso.

Continue lendo

Polí­tica

Novo integrante da Mesa Diretora assume após Camarguinho deixar vaga

Eleição ocorreu na última segunda-feira (13).

Publicado em

Do AssisNews
Valmir Dionizio assume como Primeiro Secretário (Foto: Câmara Municipal de Assis)

Na Sessão Ordinária desta segunda-feira, dia 13 de maio, o presidente Alexandre Cachorrão seguindo o Regimento Interno da Câmara Municipal de Assis, fez nova eleição para ocupar a vaga deixada pelo vereador Eduardo de Camargo Neto, como Primeiro Secretário da Mesa Diretora.

O vereador Valmir Dionizio se candidatou e foi eleito com 13 votos favoráveis e duas ausências.

Assim que o resultado foi anunciado, o vereador foi imediatamente empossado e passou a ocupar a cadeira como Primeiro Secretário na Mesa Diretora da Câmara Municipal.

Continue lendo

Polí­tica

Ex-prefeito de Assis e secretários são condenados por esquema de compras sem licitação

Justiça Federal multou Ézio Spera em mais de R$ 250 mil e cassou seus direitos políticos por atos cometidos entre 2009 e 2011. Outros três secretários também foram condenados. Decisão é de primeira instância e cabe recurso.

Publicado em

Do G1

A Justiça Federal de Assis (SP) condenou nesta sexta-feira (10) por improbidade administrativa o ex-prefeito da cidade, Ézio Spera (PSD), e os ex-secretários, Eduardo de Camargo Neto (Saúde), Flávio Herivelto Moretoni Eugênio (Fazenda) e Ângela de Fátima Canassa das Neves (Educação) por compras irregulares sem licitação.

De acordo com a sentença do juiz Luciano Tertuliano da Silva, nos anos de 2009 a 2011, o grupo fez compras fracionadas de diversos serviços com o objetivo de dispensar a realização de licitações e favorecer uma empresa específica. A decisão é em primeira instância e cabe recurso.

Ao todo, foram 96 contratações no valor de quase R$ 230 mil. Ainda segundo a denúncia, o principal responsável pela prática seria o ex-prefeito, que foi multado em mais de R$ 250 mil. Os três secretários foram multados em mais de R$ 131 mil cada um.

Além do pagamento de multa, o juiz determinou ainda a suspensão dos direitos políticos dos réus por cinco anos, além da perda do cargo público efetivo, decisão que afeta diretamente Eduardo de Camargo Neto, que atualmente é vereador na cidade.

Procurados pela reportagem, Ézio Spera e Eduardo de Camargo Neto disseram que não foram informados da decisão, mas pretendem recorrer. Flávio Moretoni e Ângela de Fátima Canassa das Neves afirmaram que já entraram em contato com sua defesa sobre a ação.

O presidente da Câmara de Vereadores de Assis, Alexandre Cachorrão, disse que até esta sexta-feira nenhum notificação chegou à Casa.

Continue lendo
Plenitude
Silvana lopes
Solutudo 300
WhatsAssp AssisNews
Publicidade

FaceNews

Mais lidas