Fique conectado

Polí­tica

Moro: Políticos que me perdoem, mas caixa dois é trapaça

Para o ministro, caixa dois “não é tão grave quanto a corrupção, mas tem de ser criminalizado”.

Publicado em

284

Sérgio Moro: "nós estamos reconhecendo o problema e queremos mandar uma mensagem" (Ueslei Marcelino/Reuters)

O ministro da Justiça e da Segurança Pública, Sérgio Moro, fez nesta quinta-feira (7), uma defesa enfática da criminalização do caixa dois, um dos pontos do projeto anticrime apresentado por ele no começo da semana.

“Os políticos que me perdoem, mas caixa dois é trapaça, é crime. Não tão grave quanto a corrupção, mas tem de ser criminalizado”, afirmou o ministro.

Moro defendeu em mais de uma vez na palestra a necessidade de governo, Congresso e sociedade civil.

O ministro disse ainda que o Estado tem de reconhecer a existência de organizações criminosas.

“Sinceramente não deu certo. Não reconhecer o problema é pior. Nós estamos reconhecendo o problema e queremos mandar uma mensagem”, disse.

Licença para matar

Moro também defendeu que o projeto de lei anticrime apresentado por ele no início da semana não concede licença para policiais matarem.

“O que existe é um aclaramento de ações que ocorrem na prática”, afirmou, em relação ao trecho do projeto que trata da modificação do que é considerado legítima defesa.

“Na prática os juízes resolvem isso ao não reconhecermos situações de excesso (de policiais).”

Polí­tica

Justiça condena prefeito de Ourinhos a pagar multa de R$ 50 mil por improbidade administrativa

Segundo a sentença, Lucas Pocay (PSD) cometeu irregularidades na nomeação de advogados na Secretaria Municipal de Assuntos Jurídicos em 2017. Prefeito disse que vai recorrer da decisão.

Publicado em

Do G1
Justiça condena prefeito de Ourinhos a pagar multa de R$ 50 mil por improbidade administrativa — Foto: TV TEM/Reprodução
Justiça condena prefeito de Ourinhos a pagar multa de R$ 50 mil por improbidade administrativa — Foto: TV TEM/Reprodução

O prefeito de Ourinhos (SP), Lucas Pocay (PSD), foi condenado a pagar uma multa de R$ 50.550 pela prática de atos de improbidade administrativa. A decisão foi publicada na última terça-feira (28).

De acordo com a sentença, o Ministério Público apontou irregularidades na nomeação de advogados na Secretaria Municipal de Assuntos Jurídicos em 2017.

Segundo a promotoria, as funções nomeadas seriam análogas aos cargos de procuradores municipais, não podendo ser exercidos por servidores não concursados.

A decisão foi julgada parcialmente procedente e, por isso, os direitos políticos de Lucas Pocay foram mantidos.

Nas redes sociais, o prefeito informou que atendeu uma recomendação do Ministério Público na época e que já havia afastado os cargos nomeados. Ele disse que vai recorrer da decisão.

Continue lendo

Polí­tica

Por meio de nota, Câmara de Assis confirma internação do Vereador Nilson Pavão

Nota não informa o motivo e local onde o edil segue internado.

Publicado em

Do AssisNews

Após diversos boatos e questionamentos acerca do estado de saúde do vereador Nilson Pavão, nesta segunda-feira (27) a Câmara Municipal de Assis confirmou através de uma nota oficial de que o mesmo encontra-se internado.

Apesar da divulgação da nota, a unica informação é de que o edil foi internado para “tratamento médico”, ou seja, não há informação sobre o motivo e local onde ele segue internado.

Ainda segundo a Câmara, não há uma data prevista para o fim do tratamento.

Confira a nota na íntegra.

“Nota de esclarecimento
Tendo em vista que a Câmara do Município de Assis vem sendo questionada por diferentes veículos e agentes de comunicação acerca do estado de saúde do Vereador Nilson Antônio da Silva, serve-se da presente nota para esclarecer que, conforme as informações recebidas, o referido Vereador se encontra internado para tratamento médico; esclarece, ainda, que não dispõe de informações quanto à data prevista para o término do tratamento.
Os atos administrativos de conteúdo decisório serão divulgados e publicados no momento oportuno.”

Continue lendo

Polí­tica

Eleitores que deixaram de fazer biometria podem regularizar pendência

Em Assis, cerca de 11 mil pessoas não fizeram o cadastro.

Publicado em

Do AssisNews
Eleitores que deixaram de fazer biometria podem regularizar pendência

Cerca de 11,3 mil eleitores não realizaram o cadastro biométrico em Assis (SP) dentro do prazo estipulado, que terminou em 19 de dezembro.

No entanto, os eleitores que estão em pendência com o serviço poderão regularizar a situação com a Justiça Eleitoral.

Apesar da oportunidade, esse não é um novo prazo, já que os títulos estarão em processo de cancelamento durante o período, que se encerra em 6 de maio.

Contudo, a regularização poderá ser feito até a mesma data, com seu título já cancelado ou não.

O atendimento para realizar o cadastro será das 12h às 17h, e será feita apenas no cartório.

Continue lendo
WhatsAssp AssisNews
Publicidade

FaceNews

Mais lidas