Fique conectado

Polí­tica

Vereador questiona convênio de trânsito entre prefeitura e Polícia Militar

Convênio venceu em novembro de 2018 e não foi renovado.

Publicado em

286

Trânsito na Avenida Rui Barbosa em Assis (Foto: Divulgação)

Considerando a resposta do poder executivo, há um requerimento onde o Vereador Sargento Valmir solicitou informações sobre melhorias nos estacionamentos para motocicletas na área central da cidade e fiscalização quanto aos mototaxistas que estacionam nos bolsões exclusivos para motociclistas, onde o Poder Executivo esclareceu: “Estamos sem agentes de trânsito no momento e o convênio com a Polícia Militar venceu em 28/11/2018”.

Há alguns meses temos verificado a ausência de agentes de fiscalização de trânsito em nossa cidade. E um município com mais de cem (100) mil habitantes, sendo cidade polo, com dezenas de cidades menores vizinhas, cujo trânsito regional é direcionado para cá, não poderia ficar sem esse importante recurso público (DMTA) com seus agentes para fiscalizar, orientar e aperfeiçoar o trânsito e o tráfego em nossa urbe. Além da exposição diária nas mídias, internet, rádios, jornais, sobre acidentes de trânsito em Assis, com e sem vítimas.

O Convênio com a Polícia Militar do Estado de São Paulo está vencido desde novembro de 2018, estando a PM impossibilitada de aplicar autos de infração nas infrações cometidas por motoristas transgressores, tipificadas no Código de Trânsito Brasileiro como sendo responsabilidade do Município.

Diante deste quadro, o vereador Sargento Valmir encaminhou requerimento ao Poder Executivo, solicitando informações e melhorias neste assunto:

  • Desde quando (dia/mês/ano) a cidade de Assis ficou sem os agentes de fiscalização de trânsito?
  • E qual foi o motivo?
  • Onde estão trabalhando os servidores municipais que desempenhavam a função de agentes de fiscalização de trânsito, no Departamento Municipal de Trânsito?
  • O que o Executivo fez e está fazendo para suprir esta deficiência (falta de agentes de fiscalização de Trânsito)?
  • Qual o prazo para regularizar esta situação da falta de agentes de trânsito?
  • Qual a razão do convênio com a Polícia Militar do Estado de São Paulo, não ter sido renovado automaticamente em novembro de 2018?
  • Ou renovado logo após o término?
  • Qual o prazo para a renovação ou estabelecer novo convênio de Trânsito com a Polícia Militar do Estado de São Paulo?

A prefeitura tem o prazo regimental de 15 dias para responder o Requerimento, e dar as devidas justificativas aos vereadores, que são os representantes da população.

Polí­tica

Jovem é agredida após namorado confundir motorista de aplicativo com ‘amante’

Caso foi registrado em Bauru (SP). Homem não foi preso.

Publicado em

Do G1

Uma jovem de 22 anos foi agredida e ameaçada de morte pelo namorado na madrugada de domingo (19), após chegar na casa dele com o motorista de um aplicativo, no Jardim Redentor, em Bauru.

Segundo consta no boletim de ocorrência, o rapaz não acreditou que o carro em que ela chegou era de um motorista de aplicativo e a acusou de ter um amante.

Ao descer do carro ela foi agredida com socos e chutes. Ela chegou a cair no chão por conta das agressões físicas. A jovem relatou que o namorado também lhe deu um golpe conhecido como ‘mata-leão’ e disse que ia matá-la.

Para fugir das agressões, ela se jogou na frente de um carro que passava pela rua e pediu socorro ao motorista, que parou para ajudá-la. Ela foi levada até uma base da Polícia Militar próximo ao Jardim Cruzeiro do Sul.

O caso foi registrado na Polícia Civil como violência doméstica, ameaça e lesão corporal. Ninguém foi preso.

Continue lendo

Polí­tica

Novo integrante da Mesa Diretora assume após Camarguinho deixar vaga

Eleição ocorreu na última segunda-feira (13).

Publicado em

Do AssisNews
Valmir Dionizio assume como Primeiro Secretário (Foto: Câmara Municipal de Assis)

Na Sessão Ordinária desta segunda-feira, dia 13 de maio, o presidente Alexandre Cachorrão seguindo o Regimento Interno da Câmara Municipal de Assis, fez nova eleição para ocupar a vaga deixada pelo vereador Eduardo de Camargo Neto, como Primeiro Secretário da Mesa Diretora.

O vereador Valmir Dionizio se candidatou e foi eleito com 13 votos favoráveis e duas ausências.

Assim que o resultado foi anunciado, o vereador foi imediatamente empossado e passou a ocupar a cadeira como Primeiro Secretário na Mesa Diretora da Câmara Municipal.

Continue lendo

Polí­tica

Ex-prefeito de Assis e secretários são condenados por esquema de compras sem licitação

Justiça Federal multou Ézio Spera em mais de R$ 250 mil e cassou seus direitos políticos por atos cometidos entre 2009 e 2011. Outros três secretários também foram condenados. Decisão é de primeira instância e cabe recurso.

Publicado em

Do G1

A Justiça Federal de Assis (SP) condenou nesta sexta-feira (10) por improbidade administrativa o ex-prefeito da cidade, Ézio Spera (PSD), e os ex-secretários, Eduardo de Camargo Neto (Saúde), Flávio Herivelto Moretoni Eugênio (Fazenda) e Ângela de Fátima Canassa das Neves (Educação) por compras irregulares sem licitação.

De acordo com a sentença do juiz Luciano Tertuliano da Silva, nos anos de 2009 a 2011, o grupo fez compras fracionadas de diversos serviços com o objetivo de dispensar a realização de licitações e favorecer uma empresa específica. A decisão é em primeira instância e cabe recurso.

Ao todo, foram 96 contratações no valor de quase R$ 230 mil. Ainda segundo a denúncia, o principal responsável pela prática seria o ex-prefeito, que foi multado em mais de R$ 250 mil. Os três secretários foram multados em mais de R$ 131 mil cada um.

Além do pagamento de multa, o juiz determinou ainda a suspensão dos direitos políticos dos réus por cinco anos, além da perda do cargo público efetivo, decisão que afeta diretamente Eduardo de Camargo Neto, que atualmente é vereador na cidade.

Procurados pela reportagem, Ézio Spera e Eduardo de Camargo Neto disseram que não foram informados da decisão, mas pretendem recorrer. Flávio Moretoni e Ângela de Fátima Canassa das Neves afirmaram que já entraram em contato com sua defesa sobre a ação.

O presidente da Câmara de Vereadores de Assis, Alexandre Cachorrão, disse que até esta sexta-feira nenhum notificação chegou à Casa.

Continue lendo
Solutudo 300
Plenitude
Silvana lopes
Publicidade

FaceNews

Mais lidas