Sino causou polêmica com os moradores ao redor da igreja (Foto: Reprodução TV Tem)

Há dois anos o som do sino da igreja Matriz de Palmital, não é ouvido. Agora, com a troca do padre, a população fez um abaixo-assinado com mais de 300 nomes e as badaladas devem voltar. Mas para não incomodar os vizinhos, algumas alterações foram feitas.

“O povo gostava do som do sino. Então, para fazer a vontade do povo, o desejo, inclusive foi feito um abaixo-assinado que pedia a continuação do sino. A partir de segunda-feira, uma empresa vai instalar o sino para fazer o desejo da população”, informou o padre Antonio Bastos.

O badalar dos sinos da igreja matriz na cidade é uma tradição de mais de 60 anos. Ele deixou de ser tocado por causa de um problema no relógio e também por causa de reclamação das pessoas que moram próximas a igreja. Elas disseram que se sentiam incomodadas com o badalar em meia e meia hora, mas esperam que com o novo horário o problema seja menor.

A igreja fez algumas alterações no novo sistema, que será com alto falantes e com horas programadas. O sino só tocará das 8h às 22h para evitar novas reclamações. “A gente sabe que realmente tem algumas pessoas que são contra o barulho do sino. Então, as cornetas vão ficar contra o prédio que fica ao lado e no alto. Pode ficar tranquilo que não vai mais atrapalhar as pessoas”, avisou o padre.

Sino causou polêmica com os moradores ao redor da igreja (Foto: Reprodução TV Tem)
Igreja Matriz da cidade está sem ouvir o sino há dois anos (Foto: Reprodução TV Tem)
Deixe um comentário

Esta é uma área exclusiva para membros da comunidade

Faça login para interagir ou crie agora gratuitamente sua conta e faça parte.

Assine nossa newsletter

Receba as notícias do AssisNews diretamente em seu email.

VOCÊ PODE GOSTAR

Polícia procura suspeito de provocar acidente que matou dois

Delegado explicou que busca por câmeras de segurança.

Ciclista morre em acidente na ‘Fortunato Petrini’ em Candido Mota

Até o momento a vítima não foi identificada.

Paraquedista morre após salto no interior de SP

Bruna Ploner, de 33 anos, sofreu politraumatismo e não resistiu aos ferimentos.

Três suspeitos de homicídio são presos em Paraguaçu Paulista

Também foram cumpridas buscas nos endereços dos investigados.