Obras da Sabesp melhoram qualidade de rios e córregos da região

Com o início da operação de três novas estações de tratamento de esgoto, 21, 5 mil pessoas foram beneficiadas.

Córrego do Sapé e Ribeirão dos Ranchos. São estes os corpos d”água diretamente beneficiados pelo início da operação, em 2012, de três Estações de Tratamento de Esgoto: duas em Paraguaçu Paulista e uma em Adamantina. Ao todo, foram investidos R$ 15 milhões, levando mais qualidade de vida a 21,5 mil moradores das duas cidades.

As três estações possuem eficiência média de 85%, índice superior ao exigido pela legislação. “A devolução do esgoto tratado com eficiência para o meio ambiente garante a qualidade de outros corpos d”água além do Ribeirão dos Ranchos e do Córrego do Sapé, já que eles deságuam em rios que chegam ao Paraná e ao Paranapanema”, explica o superintendente regional da Sabesp, Antero Moreira França Júnior.

No período de2011 a2016, R$ 159 milhões são investidos nas 62 cidades da unidade regional com sedeem Presidente Prudente: “Uma parcela desse valor garante a universalização dos serviços de saneamento básico nas sedes de municípios, prevista para os próximos meses, com a finalização da obra que reverte parte do esgoto de Álvares Machado para tratamentoem Presidente Prudente”, expõe o superintendente. Concomitantemente, a Sabesp investe no saneamento de distritos da regional.

A construção das estações de tratamento de esgoto de Adamantina e de Paraguaçu Paulista e a reversão do esgoto de Álvares Machado fazem parte do plano de universalizar os serviços de saneamento básico nos 325 municípios atendidos pela Sabesp no interior e litoral do Estado até 2014. “Para atingir esta meta, investimos aproximadamente R$ 700 milhões por ano no período 2012 a2014”, diz o diretor de Sistemas Regionais da Sabesp, Luiz Paulo de Almeida Neto. “O conjunto de obras em andamento garante mais saúde e qualidade de vida para a população; melhoria dos rios; preservação do meio ambiente e desenvolvimento das cidades”, completa.

Tratamento com eficiência comprovada
As estações e lagoas de tratamento de esgoto localizadas nos 62 municípios atendidos pela unidade regional da Sabesp removem mais de 80% da carga orgânica, conforme o Relatório de Qualidade das Águas Superficiais da Cetesb, divulgado em 2011. Em números absolutos, significa que 36,4 toneladas de resíduos orgânicos deixam de ser lançadas diariamente nos rios e córregos da região a partir do trabalho da Sabesp.

Em 2012, o relatório “Conjuntura dos Recursos Hídricos no Brasil”, da Agência Nacional de Águas (ANA), apontou 47 pontos de medição em corpos d”água em que houve melhoria entre os anos 2001 e 2010, sendo 37 deles em rios paulistas: São Paulo foi “um dos Estados que mais investiram em saneamento na última década”, ressalta a agência federal. Na região de Presidente Prudente, a melhora em dois pontos de medição, no rio Santo Anastácio e no rio Paraná, foi atribuída aos trabalhos da Sabesp:

– O rio Santo Anastácio, na medição feita em Álvares Machado, teve expressiva melhora no índice de qualidade das águas, de 17 para 51, em uma escala de 0 a 100. Esse rio não teve medição em 2001, por isso a comparação ocorre entre 2005 e 2010. O motivo, segundo a ANA, é o tratamento de 100% de esgoto doméstico de Presidente Prudentee a redução de efluente de um curtume;

Rio Santo Anastácio em Álvares Machado (Foto: Reprodução)

– Na cidade de Rosana, a nota do rio Paraná melhorou de 85 para 92 por causa das águas mais limpas do rio Santo Anastácio, que nele deságua e que foi beneficiado pelas obras da Sabesp.

Rio Paraná na cidade de Rosana (Foto: Reprodução)

VEJA TAMBÉM

#MAIS LIDAS DA SEMANA