Polícia desvenda crime que matou família carbonizada em Paraguaçu

Delegado diz que família teria sido estrangulada antes de ser queimada.
Dois suspeitos foram presos e outro identificado em Paraguaçu Paulista.

Corpos estavam em um veículo na zona rural de Paraguaçu Paulista

Após cinco dias do triplo homicídio registrado no último sábado, 14, na zona rural de Paraguaçu Paulista, a Polícia Civil conseguiu desvendar o motivo do bárbaro assassinato. De acordo com depoimento de dois suspeitos, Fábio Vicente e Rivaldo Alexandre de Paiva vizinhos das vítimas, que foram presos na quarta e quinta-feira, 19, um desentendimento entre os vizinhos teria provocado o crime.

Segundo o Delegado Mário Sérgio Bicalho, o vizinho relatou à polícia que contratou uma homem para dar um susto na família após uma discussão, mas a situação teria saído do controle e o pintor José Aparecido Alves, a esposa Roseli Teixeira Alves, que era taxista, e a filha do casal Cíntia Teixeira Alves, estudante, foram mortos por enforcamento.

O afilhado da mãe do suspeito também foi detido por envolvimento nas mortes. Os dois estão presos na cadeia de Lutécia.

Ainda segundo o delegado, a polícia conseguiu chegar até o mandante do crime, Fábio Vicente, depois que o outro suspeito começou a usar o celular da Cíntia, que havia sido roubado da casa da família. A polícia também já identificou o homem que teria sido contratado para executar a família. Segundo a polícia ele é de Assis e receberia uma quantia de R$ 1.500 pelo serviço.

Os dois homens foram indiciados por homicídio e poderão ficar presos de 12 e 30 anos. Fábio e Rivaldo estão presos na cadeia de Lutécia.

VEJA TAMBÉM

#MAIS LIDAS DA SEMANA