Campanha busca doador de medula óssea para salvar menina de 3 anos

Família e voluntários se uniram em Ourinhos (SP).
Mutirão de cadastro de doadores é realizado neste sábado (29).

Voluntários se uniram na campanha para salvar a pequena Lauriane (Foto: Reprodução / TV TEM)

Centenas de pessoas já passaram neste sábado (29) pela Escola Municipal de Ensino Fundamental Adelaide Pedroso Racanello, em Ourinhos (SP), para doar medula óssea. A campanha para incentivar a doação foi realizada pela família de uma pequena moradora da cidade, Lauriane Carneiro, de apenas 3 anos, que procura um doador compatível para salvar a vida da menina. Além dela, outros nove pacientes da cidade aguardam doadores compatíveis.

Recentemente os médicos descobriram que Lauriane tem displasia medular, uma disfunção na medula que baixa a imunidade. “No começo ela teve catapora e depois começaram a aparecer manchas roxas pelo corpo todo e no posto a médica suspeitou de leucemia, então ela foi encaminhada para o centro de referência em Jaú, onde foi dado o diagnóstico”, conta o pai Levi Carneiro.

Centenas de pessoas participam do mutirão de
cadastro de doadores (Foto: Reprodução / TV TEM)

A rotina da família mudou desde então. Há quatro meses, Lauriane faz tratamento no Hospital Amaral Carvalho. Os médicos tentam evitar que o estado de saúde dela piore, mas a única chance de cura para a doença é o transplante de medula óssea.

A expectativa era que a medula de uma das quatro irmãs de Lauriane fosse compatível, mas os exames indicaram o contrário. A esperança da família agora é encontrar um doador. “Eu tenho muita esperança, muita mesmo”, ressalta o pai.

Outros casos
Esperança que também morador de Ourinhos Leonardo Sanches nunca perdeu. Em 2005 o diagnóstico dos médicos era um só: ele precisava do transplante de medula para se curar de um câncer no sangue. Os tratamentos ajudaram, mas a leucemia era mais forte. A esperança de vida veio da Europa, quando um doador compatível foi encontrado na Alemanha. “Hoje graças a Deus posso levar uma vida normal, faz cinco anos que fiz o transplante e estou zero bala”, brinca o atendente.

O médico Paulo Moreta explica que a medula óssea é um tipo de tecido gelatinoso encontrado no interior dos ossos. É ela quem produz os componentes do sangue. “Qualquer indivíduo saudável entre 18 e 55 anos pode ser um doador de medula em potencial. A importância é óbvia: é a grande chance que o indivíduo tem de vencer uma doença fatal e para quem doa medula óssea é a grande chance que a pessoa tem de salvar a vida de outra pessoa que ela nem conhece”, explica.

Encontrar um doador compatível é muito raro. No Brasil a cada cem mil pessoas uma pode ter a medula compatível e por esse motivo quanto mais gente se cadastrar no Banco Nacional de Doadores, maior é a chance de se salvar uma vida.

É como ganhar na loteria. “É difícil porque cada indivíduo tem a sua identidade celular e para não haver incompatibilidade no transplante essas identidades tem que ser a mais parecida possível e isso é muito difícil de encontrar”, completa o médico.

Qualquer pessoa saudável entre 18 e 55 anos pode ser um doador em potencial (Foto: Reprodução / TV TEM)

Campanha
No país, aproximadamente 3 mil pessoas aguardam por um transplante de medula, nove delas estão em Ourinhos. Para ajuda-las, um grupo de voluntários acostumado a promover campanhas para arrecadar doações para cadeirantes se sensibilizou com o drama da família de Lauriane e está em busca de doadores de medula.

“O trabalho nosso é reunir o máximo de pessoas para participar dessa campanha pessoas que venham de toda a região e não só de Ourinhos com intuito de ajudar não só a Lauriane, mas outras pessoas que também precisam de um transplante”, destaca a voluntária Elisabete Quandi.

Campanha busca ajuda para Lauriane
(Foto: Reprodução / TV TEM)

Os voluntários percorreram as ruas de Ourinhos distribuindo panfletos com pedido de ajuda para Lauriane e nem a chuva atrapalhou a peregrinação.

A coleta de sangue para cadastro de doadores está ocorrendo durante todo esse sábado, até às 17 horas, na escola que fica na Rua Rua José Felipe do Amaral, 300, Vila Boa Esperança. A coleta é feita pelo Hemocentro de Marília.

Mas, mesmo quem não puder ajudar neste sábado pode procurar o hemocentro mais próximo e se cadastrar no banco de medula óssea. Confira aqui os endereços dos hemocentros da região.

Voluntários distribuiram panfletos nas ruas para incentivar a doação de medula (Foto: Reprodução / TV TEM)

#MAIS LIDAS DA SEMANA