Penitenciária de Florínea continua nos planos do Governo de São Paulo

Com as 10 mil vagas que serão abertas nos CDPs, Estado pretende esvaziar as cadeias dos distritos policiais.

Os novos 12 CDPs serão construídos em seis diferentes regiões metropolitanas do Estado (Foto: Jeff Dias)

O Governo de São Paulo anunciou nesta terça-feira, 29, a construção de mais 12 Centros de Detenção Provisória que vão reforçar o Plano de Expansão de Unidades Prisionais. Com os novos CDPs, serão liberadas cerca de 10 mil vagas no sistema penitenciário, desocupando as cadeias de distritos policiais. “Seremos o primeiro Estado a não ter mais presos em distrito policial. É um ganho para o sistema penitenciário e um grande ganho para segurança pública”, disse o governador Geraldo Alckmin.

A publicação do Edital no Diário Oficial para a construção dos CDPs de Aguaí e Santa Cruz da Conceição sai nesta quarta-feira, 30. Em 1º de maio, sai a publicação das unidades prisionais de Registro e Álvaro de Carvalho. Nova Independência, Paulo de Faria, Caiuá, Gália I e II, Pacaembu I e II e Lavínia serão publicados na sequência. No total, serão investidos R$ 641 milhões – R$ 405 milhões do Governo do Estado e R$ 236 milhões do Ministério da Justiça.

Alckmin também anunciou a inauguração de mais 11 penitenciárias no Estado, entre masculinas e femininas, sendo a primeira na cidade Bernardino de Campos, seguida por Porto Feliz, Votorantim, Taquarituba, Mogi Guaçu, Piracicaba, Mairinque, Itatinga, Icém, Guariba e Florínea.

Os CDPs de Mogi Guaçu, Guariba e Votorantim são femininos e pretendem zerar o número de mulheres em cadeias de distrito policiais, que hoje corresponde a 1.192 presas.

Dentro do Plano de Expansão, já foram inauguradas 14 novas prisões, além das 11 em construção. Ao final do plano, serão 49 novos presídios, ampliando o número de vagas em mais de 42 mil. As novas unidades são construídas de maneira completa, incluindo cozinha, lavanderia, setor de padaria e salas de aula.

VEJA TAMBÉM

#MAIS LIDAS DA SEMANA