Quatis invadem área urbana de Palmital atrás de comida

Biólogo alerta para agressividade dos animais, que podem atacar pessoas.
Bichos vivem no Bosque Municipal e saem do local em busca de comida.

Quatis são perigosos e podem atacar mesmo sem se sentir ameaçado (Foto: Reprodução / TV TEM)

Quatis que vivem no bosque municipal de Palmital (SP) estão invadindo a cidade e causando vários transtornos aos moradores. Os animais pulam as grades do bosque e entram nas residências em busca de comida, mas, apesar da aparência inofensiva, eles podem machucar, mesmo sem serem provocados.

De manhã, eles pulam as cercas do bosque em
busca de comida (Foto: Reprodução / TV TEM)

Na casa da cuidadora Teca Alves, que fica próxima ao bosque, a cerca elétrica que serve para afastar ladrões também tem sido usada para proteger os moradores do visitante indesejado. “Eles fazem muita bagunça, mexem no lixo que a gente deixa na frente de casa para ser recolhido e o lixo que pegam nos terrenos querem levar para dentro da casa”, conta.

Segundo o Departamento de Meio Ambiente, a invasão dos animais é causada por um desequilíbrio populacional na área. São mais de 300 quatis em uma área de 11 hectares. Como a oferta de alimentos é menor do que a demanda, os quatis saem do aprque em busca de comida.

Por isso, a prefeitura de Palmital e pesquisadores da Unesp começaram a capturar alguns machos para fazer vasectomia e impedir que eles se reproduzam de maneira descontrolada. “Nós temos a sala de castração própria e eles se interessaram por esse trabalho, onde está sendo feito o controle para evitar a grande população dos bichos”, explica Rodolfo Mansoleli, diretor do Departamento do Meio Ambiente.

Rodolfo explica que não é recomendável dar qualquer tipo de comida para os quatis, já que eles podem contrair sarna e até colesterol. Há também o risco deles atacarem as pessoas.

A diretora da Associação Protetora dos Animais Silvestres de Assis, Natália Godoy, conta que já foi atacada por um quati e teve graves ferimentos. “Do nada ele agarrou a minha perna na parte de trás com as unhas e mordeu. Por pouco não atingiu a femural (veia) e eu perdi bastante sangue, tive que ir para o pronto-socorro”, explica.

Os dentes afiados são a principal arma do animal. “Ele parece ser fofinho, bonitinho, mas é só a aparência, ele é um animal bastante explosivo. Ele tenta puxar você para te arranhar, unhas bastante afiadas e o problema maior são os dentes, eles têm lâminas que funcionam como uma tesoura e eles travam, por isso quando eles atingem a carne, uma veia é com intuito de rasgar. Os acidentes com esse animal são considerados graves e muitas vezes gravíssimos”, completa o biólogo Aguinaldo Marinho.

Animais se aproximam das casas atrás de comida (Foto: Reprodução / TV TEM)

#MAIS LIDAS DA SEMANA