Após 4º dia de bloqueio, Raposo Tavares é liberada na região de Assis

Retenção dos caminhoneiros chegou a 5 km em um dos lados da via.
Trânsito foi liberado no final da tarde desta terça-feira (3).

Caminhoneiros fecham rodovia pela 4ª vez em seis dias (Foto: Guilherme Tavares / TV TEM)

Os caminhoneiros liberaram no final da tarde as pistas dos dois sentidos da Rodovia Raposo Tavares (SP-270) que estavam parcialmente interditadas a partir do km 426 na cidade de Palmital, na região de Assis (SP). Durante pouco mais de 8 horas, os caminhoneiros bloquearam uma das faixas dos dois sentidos da rodovia. A retenção de veículos chegou a 5 quilômetros  no sentido Ourinhos-Assis e 2 km no outro sentido, Assis-Ourinhos.

Segundo a concessionária que administra a via, os caminhões ocuparam em uma das pistas dos dois sentidos da rodovia, que é duplicada, e também no acostamento. As faixas centrais permaneceram livres para o trânsito de automóveis, veículos de emergência/urgência e veículos que transportem cargas vivas, assim como nos outros três dias de bloqueio.

Os caminhoneiros integram o movimento nacional de caminhoneiros que já chegou a interditar rodovias em pelo menos 13 estados desde o começo da semana. No entanto, em Assis, o grupo afirma que não tem ligação com o sindicato da categoria, é formado por motoristas autônomos.

Eles pedem, entre outras reivindicações, o aumento do valor do frete e redução do preço do combustível e das tarifas de pedágio.

Esse foi o quarto dia de bloqueios na rodovia na região de Assis. Na quarta e na quinta-feira da semana passada os caminhoneiros também protestaram e a retenção de veículos nas faixas da direita nos dois chegou a 6 quilômetros na quinta-feira. Ontem, a retenção de veículos chegou a 5 km no sentido Ourinhos-Assis.

Na sexta-feira, o grupo se reuniu com a Polícia Rodoviária para definir os próximos passos das manifestações. Nessa segunda-feira, o protesto segue pacífico e acompanhado pelos policiais rodoviários. A concessionária informou ainda que serviços de atendimento e de suporte na rodovia continuam à disposição dos usuários.

#MAIS LIDAS DA SEMANA