Jovem diz conviver há 7 anos com fratura exposta e feridas após sofrer grave acidente

Alessandro Almeida Melo o sofreu um acidente de carro em Cândido Mota (SP). Mesmo depois de passar por 21 cirurgias, ele ainda sofre com sequelas do acidente.

Alessandro tem uma fratura exposta no fêmur e precisa fazer curativos diaramente (Foto: Alan Schneider / TV TEM )

Há sete anos, o pedreiro Alessandro Almeida de Melo sofreu um acidente de carro em Cândido Mota (SP) e ficou paraplégico. Desde então ele conta que passou por 21 cirurgias e fez uma peregrinação por vários hospitais. Mas ainda hoje o rapaz, de 29 anos, sofre com uma fratura exposta no fêmur e tem várias feridas pelo corpo. Há um mês, Alessandro está em Bauru (SP) em busca de uma solução para o problema de saúde, mas a resposta que ele conseguiu dos médicos foi que não há nada o que se fazer no caso dele.

Enquanto aguarda, os dias de Alessandro são na cama do hospital. “Eu me encontro há sete anos praticamente em cima da cama, desde que eu sofri o acidente que quebrou a minha coluna. Hoje eu tenho as duas pernas quebradas. Eu tenho dificuldade para sentar por causa dos ossos que ficam expostos e afetam as minhas veias”, conta.

Isvaldair resolveu ajudar Alessandro após ver um depoimento dele nas redes sociais (Foto: Alan Schneider / TV TEM )

Desde que sofreu o acidente, o pedreiro luta pela vida e durante esse tempo todo, não teve apoio da família, mas através das internet, ganhou um amigo e guardião. Isvaldair viu as fotos e o depoimento de Alessandro nas redes sociais e resolveu ajudar. Ele buscou Alessandro em Jacarezinho, onde ele morava, e levou para casa, em Cabrália Paulista (SP).

“Ele ficou 30 dias no hospital em Duartina tratando uma infecção urinária, depois deram alta. Levei ele para casa e durante a noite voltei com ele para o hospital e de lá ele veio para o Pronto-socorro de Bauru, aguardou vaga na Hospital de Base, mas depois encaminharam para o Estadual. Mas em todo esse tempo não foi feito nada.”

Mais do que um tratamento de saúde, o amigo pede o mínimo de dignidade para o Alessandro. Ele está internado há mais de 15 dias no Hospital Estadual de Bauru, e a única coisa que ouve dos médicos, é que não há nada a ser feito. “Ele está com o fêmur exposto, as partes íntimas são um buraco só e até agora os médicos não dão uma solução, o que pode ser feito”. É só o que Alessandro deseja também.

Eu queria que alguém tomasse uma atitude e fechasse esses buracos, meu machucado, tomasse uma atitude e me desse uma chance de vida, porque sete anos sofrendo em cima de uma cama é muito triste.

Em nota, o Hospital Estadual informou que o Alessandro será encaminhado para uma avaliação em Dermatologia no Instituto Lauro de Souza Lima ainda nesta terça-feira (27). Disse ainda que o paciente está internado desde o dia 18 de junho e passou por avalições pelas especialidades de Ortopedia, Infectologia, Cirurgia Plástica e por uma comissão de curativos. E que o caso dele é crônico e está sob acompanhamento.

#MAIS LIDAS DA SEMANA