Fique conectado

Região

Tradicional decoração natalina da Casa Di Conti será inaugurada neste sábado

Jardim Encantado é o tema da decoração de Natal neste ano, no jardim da empresa.

Publicado em

253

Jardim Encantado é o tema da decoração de Natal neste ano, no jardim da empresa (Foto: Divulgação)

A partir deste sábado (1º de dezembro), às 20h, estará todo iluminado o Jardim Encantado da Casa Di Conti, que conta com aproximadamente um milhão de lâmpadas de led coloridas, e ainda com a presença da Sagrada Família, uma árvore de trinta metros de altura, coqueiros, pássaros, animais e muitas cores.

“É um trabalho que começamos três meses antes, com uma equipe dedicada, e a cada ano buscamos trazer algo inovador”, conta César Abreu, arquiteto responsável pelo projeto.

O Jardim Encantado da Casa Di Conti está em sua 11ª edição e permanecerá aceso todos os dias, até 06 de janeiro, das 20h às 00h.

Polícia

Dona de casa é presa com cocaína escondida nos seios

Caso aconteceu nesta terça-feira (19) em Marília (SP).

Publicado em

Do Marília Notícia

A dona de casa, Andriele Aparecida Jorge, de 28 anos, foi presa em flagrante por tráfico de drogas nesta terça-feira (19) no Jardim Califórnia, zona Oeste de Marília (SP).

Segundo o Boletim de Ocorrência, os policiais militares realizavam um patrulhamento quando localizaram uma motocicleta ocupada por dois ocupantes em atitude suspeita na rua Maestro Floriano de Souza por volta das 22h40.

Ao notar a viatura da polícia, o condutor da motocicleta estacionou e a passageira Andriele desceu e passou a caminhar. Em seguida, o motoqueiro evadiu tomando rumo ignorado sem ser localizado.

Os policiais realizaram a abordagem da dona de casa e, em revista pessoal feita por uma policial militar feminina, um saco plástico contendo cocaína foi localizado nos seios de Andriele.

Questionada sobre a droga, a indiciada alegou que havia comprado de um desconhecido e iria revendê-la porque estava desempregada e precisando de dinheiro.

Diante dos fatos, Andriele recebeu voz de prisão e foi conduzida até a Central de Polícia Judiciária (CPJ) de Marília, onde o delegado de plantão ratificou a prisão. Após audiência de custódia, a dona de casa seria recolhida à Penitenciária de Pirajuí.

Continue lendo

Polícia

Policial morre baleado com tiro de fuzil em perseguição em Dois Córregos

Troca de tiros aconteceu quando policiais tentavam abordar duas caminhonetes na noite desta segunda-feira (18). Oficial Marcelo Reinaldo Gardinal, de 43 anos, será enterrado no cemitério municipal da cidade.

Publicado em

Do G1

Um policial militar foi morto com um tiro na cabeça durante confronto com suspeitos na noite desta segunda-feira (18), na Rodovia Amauri Barroso de Souza, em Dois Córregos (SP).

Segundo a corporação, Marcelo Reinaldo Gardinal, de 43 anos, participava de uma perseguição da equipe para tentar abordar duas caminhonetes, que estavam sendo acompanhadas desde Mineiros do Tietê (SP).

Policiais militares perseguem suspeitos e trocam tiros (Foto: Arquivo pessoal)

Ainda de acordo com a polícia, os suspeitos viraram o veículo em direção à equipe da PM e iniciaram os disparos. Apesar de terem revidado, os policiais foram atingidos por tiros de fuzil. Conforme apurado pela TV TEM, Marcelo foi ferido na cabeça, braço e perna.

Após confronto com assaltantes, policial militar é morto a tiros em Dois Córregos (Foto: Reprodução/TV TEM)

Ainda não há informações sobre como a perseguição começou. Logo depois da ação, os criminosos fugiram sentido Torrinha (SP) e ainda não foram localizados. A ocorrência foi apresentada na delegacia da cidade.

O corpo de Marcelo será velado a partir das 10h no Velório Municipal de Dois Córregos. O enterro será as 16h no Cemitério Municipal da cidade.

Marcelo Reinaldo Gardinal morreu durante troca de tiros com suspeitos (Foto: Reprodução/Redes sociais)

Continue lendo

Região

Mães conseguem na Justiça direito de plantar maconha para tratamento dos filhos em Marília

Alto custo do canabidiol fez com que mulheres acionassem a Justiça, que concedeu salvo conduto autorizando a importação de 120 sementes por ano. Decisão determina que elas prestem contas mensais.

Publicado em

Do G1

Duas moradoras de Marília (SP) conseguiram na Justiça o direito de importar sementes para plantar maconha. A decisão determina que a planta seja utilizada como remédio para controlar as convulsões dos filhos das moradoras.

Claudia Marin é mãe do Mateus, de 11 anos, que sofre com crises diárias por causa da epilepsia de difícil controle. O canabidiol (CDB), remédio derivado da planta de maconha importado dos Estados Unidos, foi o único capaz de praticamente zerar as crises.

“O Mateus, antes do CDB, estava em uma fase apática, sem movimento de olhos, do corpo, braços e pernas com pouco movimento. Depois do CDB é como se ele tivesse renascido, é outra criança”, comemora Claudia.
Ela conta que obteve autorização da Anvisa para importar o CDB em 2014, mas só conseguiu retirar o medicamento de graça na Secretaria Estadual da Saúde durante dois anos. Depois, precisou comprar, e cada seringa custa aproximadamente R$ 1,2 mil.

Mães conseguem na Justiça direito de plantar maconha para tratamento dos filhos em Marília — Foto: TV TEM/Reprodução

A filha da Nayara também depende da medicação e o alto custo fez com que elas entrassem na Justiça pedindo autorização para importar a semente da cannabis sativa, para fazer o plantio, o cultivo e a extração do óleo.

Na ação, ela argumentou que o alto custo para adquirir o remédio inviabilizava o tratamento. O habeas corpus protocolado na Justiça Federal em Marília foi para garantir um “salvo conduto”, autorizando a importação sem que as mães fossem responsabilizadas pelo plantio e cultivo da planta de maconha.

Mães conseguem na Justiça direito de plantar maconha em Marília — Foto: Reprodução/TV TEM

“Nós colocamos um parâmetro a partir de pesquisas que as mães fizeram. A gente estabeleceu para o Judiciário um parâmetro não tão fixo que pode sofrer uma variação a depender da evolução da saúde das crianças, nos comprometendo por meio das mães, a realizar a fiscalização necessária para esse tipo de produção”, explica Estevan Marino, um dos advogados que representam as mães.

Na decisão liminar, o juiz federal Luiz Antônio Ribeiro Marins concedeu o salvo conduto às mães autorizando a importação de 120 sementes por ano. O juiz determina que elas se comprometam a prestar contas mensais, inclusive de acompanhamento médico e biológico de produção, e de tratamento.

“Teve amparo científico e também médico, que é fundamental. É justamente para evitar que a luta pela saúde não seja confundida com o crime. Embora a cannabis seja proibida, ela não vai ser usada para o fim para o qual ela é proibida na lei do tráfico, ela vai ser usada para fim medicinal”, explica o advogado Pedro Fracaroli.

Segundo os advogados autores do pedido, no estado de São Paulo são apenas três casos autorizados pela Justiça Federal. Essa foi a primeira ação onde aparecem duas mães fazendo o mesmo pedido.

Cláudia ainda não tem previsão para fazer a importação e iniciar o plantio, mas já comemora a decisão favorável, que vai reduzir os custos do tratamento em mais de R$ 1 mil por mês.

“É qualidade de vida que a gente busca. Então a gente está assim radiante de felicidade por saber que a gente conseguiu o salvo conduto e que as crianças agora vão conseguir novamente ter uma tranquilidade por um bom tempo”, comemora Cláudia.

Cláudia Marin afirma que o comportamento do filho Mateus mudou com o uso do CDB — Foto: Reprodução/TV TEM

Continue lendo
Solutudo 300
WhatsAssp AssisNews
Publicidade

FaceNews

Mais lidas