Fique conectado

Região

Tia recebe pedido de ‘empréstimo’ da ‘sobrinha’ pelo WhatsApp, deposita R$ 850, mas descobre que caiu em golpe

Vítimas dizem acreditar que falso pedido para depósito em dinheiro tenha sido feito por um estelionatário, que fez clonagem do aplicativo de conversas pela internet.

Publicado em

204

Criminosos clonam WhatsApp de uma pessoa e passam a pedir dinheiro, pelo aplicativo, aos contatos gravados na agenda de celular dela — Foto: AFP

Um homem, de 42 anos, e sua mulher, caíram num golpe aplicado via WhatsApp na tarde desta segunda-feira (7), em Presidente Prudente.

No boletim de ocorrência registrado pelo homem consta que a esposa dele recebeu uma mensagem da sobrinha pelo aplicativo solicitando um depósito de R$ 850 a ser feito em uma conta corrente.

Ele disse que a sobrinha estava solicitando o depósito porque, de acordo com a mensagem, ela não estaria conseguindo realizar a operação bancária. E que posteriormente, efetuaria o pagamento para os tios.

Após receber as informações do depósito, a tia entrou em contato novamente com a sobrinha informando que a operação havia sido concretizada, mas recebeu a resposta que nenhuma solicitação de depósito de dinheiro havia sido feita por ela.

As duas, então, descobriram que o número da sobrinha havia sido clonado, e o pedido de dinheiro teria sido feito por um estelionatário.

A Polícia Civil vai investigar o caso.

Outros casos

Em setembro e outubro do ano passado, o G1 noticiou uma série de golpes aplicados através da clonagem de WhatsApp em Presidente Prudente e região.

Em um dos casos, uma mulher perdeu R$ 2 mil.

Dias antes, um médico e um admistrador de empresas tiveram prejuízos de R$ 6 mil.

A Polícia Civil estima que o número de casos deve ser maior, porque há quem não faça o registro das ocorrências.

Além dos golpes efetivados, há boletins de ocorrência confeccionados também para denunciar diversas tentativas de estelionato.

Como funciona

Os golpes são aplicados da seguinte maneira (segundo os boletins de ocorrência registrados na Polícia Civil de Presidente Prudente):

  1. A pessoa tem o WhatsApp clonado.
  2. Em nome dessa vítima que teve o aplicativo clonado, os estelionatários passam a pedir dinheiro para diversos contatos gravados na agenda do telefone.
  3. Geralmente, os criminosos, se passando por essa pessoa que teve o WhatsApp clonado, dizem que precisam fazer uma transferência bancária (ou um depósito em dinheiro) com urgência para uma terceira pessoa. Eles indicam nome, a agência, o banco e o número de uma conta para que o dinheiro seja enviado. E dizem, que posteriormente, vão fazer o reembolso o mais breve possível.
  4. Como a foto e o nome da pessoa que teve o celular clonado permanecem os mesmos, as vítimas acabam confiando no pedido, e muitas delas, atendem aos pedidos e fazem o depósito (ou a transferência). Geralmente, quem deposita é uma pessoa de extrema confiança daquela que teve o WhatsApp clonado. Quanto maior o grau de parentesco e intimidade, maiores são as chances de se cair no golpe.
  5. Assim que o depósito ou transferência bancária são realizados, os criminosos vão rapidamente a um caixa eletrônico e efetuam o saque da quantia, evitando que, por exemplo, uma transferência bancária online seja cancelada.
  6. Normalmente, essas contas bancárias usadas para receber o dinheiro são abertas irregularmente. Assim, não é possível saber, portanto, o verdadeiro “dono” da conta, dificultando o trabalho de investigação da polícia.
  7. O “esquema” dos bandidos é cada vez mais facilitado a partir do momento que as pessoas indicam em suas agendas telefônicas, os nomes e os graus de parentesco dos contatos. Por isso, a polícia orienta a não gravar nomes nas agendas que possam “dar dicas” aos bandidos, como “mãe”, “pai”, “amor”, “tio (a), irmão (ã)”, “cunha”, “cunhado (a)” Etc.

Região

Rodovia Raposo Tavares opera com sistema Pare e Siga em Palmital

Intervenção no trânsito segue até 24 de janeiro, no quilômetro 414 da SP-270. Na Rodovia Castello Branco também há pontos de interdições.

Publicado em

Do G1
Rodovia vai operar em sistema Pare e Siga — Foto: Polícia Rodoviária Federal / Divulgação

As obras de manutenção na Rodovia Raposo Tavares (SP-270), no perímetro urbano de Palmital (SP), alteram o tráfego no quilômetro 414 até quinta-feira (24), das 7h30 às 17h30.

Para a segurança dos trabalhadores e dos motoristas, a Concessionária Auto Raposo Tavares (Cart) adotará no local o sistema Pare e Siga. A circulação de veículos será liberada em um sentido por vez, alternadamente.

Os motoristas devem redobrar a atenção ao trânsito, respeitar a sinalização do local, reduzir a velocidade e manter a distância segura do veículo a frente. O procedimento será remarcado em caso de chuva ou tempo instável.

Rodovia Castello Branco

Já na rodovia Castello Branco no trecho entre Tatuí e Santa Cruz do Rio Pardo terá interdições a partir desta segunda-feira (21) até o dia 27 de janeiro.

O motorista vai encontrar vários pontos com obras entre os quilômetros 129 e 315. Nas rodovias da região, os serviços vão ser realizados entre 7h e 19h.

Neste período o motorista pode encontrar o estreitamento de faixas, interdições parciais ou sistema Pare e Siga.

Continue lendo

Polícia

Viatura da Polícia Militar pega fogo na Rodovia Comandante João Ribeiro de Barros

Incêndio no veículo oficial da corporação foi no trecho de Irapuru. Não houve registro de feridos.

Publicado em

Do G1
Viatura da PM pegou fogo em Irapuru — Foto: Jorge Zanoni/Cedida

Uma viatura da Polícia Militar pegou fogo na tarde desta segunda-feira (21), enquanto transitava pela Rodovia Comandante João Ribeiro de Barros (SP-294).

O incêndio no veículo oficial da corporação ocorreu no trecho de Irapuru e não houve feridos. O motivo do incêndio de ordem mecânica será apurado, segundo a PM.

O veículo fazia parte da área da 3ª Companhia sediada na cidade de Osvaldo Cruz, ainda de acordo com a corporação.

A ocorrência foi atendida pelo Corpo de Bombeiros e pela Polícia Militar Rodoviária.

Viatura da PM pegou fogo em Irapuru — Foto: Jorge Zanoni/Cedida

Viatura da PM pegou fogo em Irapuru — Foto: Jorge Zanoni/Cedida

Viatura da PM pegou fogo em Irapuru — Foto: Jorge Zanoni/Cedida

Continue lendo

Região

Tentando procurar irmão, assisense encontra paraguaçuense desaparecido

O paraguaçuense, Luis Carlos Nunes, saiu de casa em setembro de 2015 e não quis mais retornar.

Publicado em

Do i7 Notícias
Luis Carlos Nunes foi encontrado em uma rodovia próxima à cidade de Brotas (SP)

Uma moradora de Assis (SP), na tentativa de localizar o seu irmão que está desaparecido desde 2017, encontrou um paraguaçuense que saiu de casa em 2015 e hoje se encontra andando sem rumo pelas estradas do Brasil.

Tudo começou quando Regina Fátima Lima Rodrigues encontrou Valmir Melnek Kaiser, que se ofereceu a ajudar a encontrar o seu irmão, Antonio Carlos Rodrigues. Recentemente, Kaiser entrou em contato com Regina informando que havia encontrado um homem, em uma rodovia próxima à cidade de Brotas (SP), que era morador da região de Assis.

Com as informações e fotos, Regina viu que não se tratava do seu irmão. Ela entrou em contato com a nossa reportagem para poder divulgar as informações do homem encontrado, visto que os seus familiares estão há tempo sem informações dele.

Trata-se de Luis Carlos Nunes, natural de Paraguaçu Paulista, nascido em 18 de janeiro de 1965, filho de Aparecido Nunes e Dolandina Mariana Nunes, desaparecido desde 19 de setembro de 2015.  Todas essas informações foram encontradas por Kaiser no cadastro de desaparecidos disponível no site da Secretaria de Segurança Pública.

Cadastro de desaparecido disponível no site da Secretaria de Segurança Pública

 

Quem for da família de Luis Carlos e quiser informações de como encontrá-lo, entre em contato com Regina, (18) 99797-7359, ou Valmir, (14) 99139-1608, que eles irão passar as informações necessárias.

E quem souber de informações do paradeiro de Antonio Carlos Rodrigues, favor entrar em contato com Regina, pelo número (18) 99797-7359.

Continue lendo
Maiara e Maraisa
Solutudo 300
Aflumar Cursos
WhatsAssp AssisNews
Publicidade

FaceNews

Mais lidas