Emanuelle aguarda há três meses por aparelho (Foto: Arquivo Pessoal)

A pequena Emanuelle Ferreira de Mello, de três anos e cinco meses, está internada desde o dia 13 de março no Hospital Materno Infantil (HMI) de Marília à espera de um aparelho para poder retornar para casa.

Segundo a mãe de Emanuelle, a dona de casa, Maria José Ferreira de Mello, de 40 anos, a menina passou mal quando estava em sua residência e precisou ser internada.

Emanuelle nasceu com encefalocele,  é um defeito do tubo neural, doença na qual ocorre a herniação do cérebro e das meninges por aberturas no crânio

“Desde junho do ano passado ela passou a usar oxigênio em casa. No dia 13 de março deste ano ela passou mal, aí deu entrada no Materno. O oxigênio não é mais suficiente pra ela. Ela precisa de um aparelho chamado Bipap, que dá pressão no pulmão, para ele não fechar”, relatou a mãe em entrevista ao site Marília Notícia (MN).

Este aparelho Bipap, é um dispositivo binível, que permite a configuração de dois níveis diferentes de pressão: uma sobre a inspiração (IPAP) e outra sobre a expiração (EPAP). De acordo com a mãe ele custa entre R$ 22 mil a R$ 25 mil.

A família não tem condições e os médicos constataram que Emanuelle precisa do Bipap para sobreviver. Ela só vai receber alta com a máquina em mãos. Maria disse que o HMI pediu o aparelho para os órgãos que poderiam fornecê-lo, mas não conseguiu resposta.

A mãe então procurou a Defensoria Pública e acionou o Estado na Justiça. O juiz determinou o prazo de 30 dias úteis para compra ou aluguel do aparelho, caso contrário haveria o sequestro dos bens para a compra do equipamento.

Maria contou que ficou esperando e o prazo venceu no último dia 19 de junho. Uma assistente social do HMI é quem teria dito a ela que, em contato com a Diretoria Regional de Saúde (DRS), informaram que o prazo estava vencendo e que iam pedir mais 45 dias úteis para o cumprimento da decisão. A mãe alega que não foi informada de nada oficialmente pela Justiça.

De acordo com a dona de casa, se o prazo for estendido por mais esse período e no final o aparelho não chegar, haverá o sequestro de bens que deve demorar mais 20 ou 30 dias. O medo da mulher é de que ela tenha que permanecer no hospital com a filha até novembro.

“Tenho a casa, outro filho, minha vida parou aqui dentro. Não sei mais o que fazer. A gente criou uma vaquinha online, para ver o que pode arrecadar’, finaliza.

Quem quiser colaborar com a vaquinha online é só clicar aqui.

O MN pediu um posicionamento da Secretaria de Saúde do Estado, que enviou nota. “O Departamento Regional de Saúde (DRS) de Marília esclarece que o aparelho respirador (Bipap) foi adquirido e os fornecedores indicaram previsão de entrega e instalação na residência da paciente até a próxima semana. Os responsáveis serão contatados para agendamento da instalação”.

Assine nossa newsletter

Receba as notícias do AssisNews diretamente em seu email.

VOCÊ PODE GOSTAR

Homem foge após abandonar veículo com 250 quilos de maconha

Caso foi registrado nesta terça-feira.

Polícia procura suspeito de provocar acidente que matou dois

Delegado explicou que busca por câmeras de segurança.

Atividade Delegada completa um ano de atuação em Paraguaçu

Policiais militares prestam serviços durante folga para reforçar segurança no município.

A Polícia Científica também esteve no local para realizar a perícia.

O Corpo de Bombeiros de Cândido Mota atendeu no fim da manhã…