Fique conectado

Região

Hospital é condenado a indenizar mulher presa após suposto aborto

Caso aconteceu no Hospital das Clínicas em Marília (SP).

Publicado em

388

Hospital é condenado a indenizar mulher presa após suposto aborto (Foto: Reprodução)

O Hospital das Clínicas de Marília (HC/Famema) foi condenado pelo Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) a indenizar em R$ 5 mil uma mulher presa em flagrante em 2014 após denúncia de aborto. Ainda cabe recurso.

A paciente, que tinha 19 anos na época, chegou no hospital com febre, aumento da frequência cardíaca e dores. Os médicos que a examinaram teriam suspeitado do crime de aborto e informaram a polícia, que prendeu a mulher em flagrante.

A paciente acabou sendo solta um dia após a decisão judicial. Agora, conforme decisão publicada esta semana, os três desembargadores da 3ª Câmara de Direito Público entenderam de forma unânime que houve quebra ilegal do sigilo médico.

Ela estaria de 38 semanas e teria descoberto a gravidez poucos dias antes, pois a menstruação continuava vindo e somente naquele momento começara a notar mudanças no corpo.

Os abortivos teriam sido comprados pela internet. O óbito do feto teria ocorrido antes do aborto, segundo a defesa da jovem, o que tornaria o caso um “crime impossível”.

Além de ter ficado um dia com escolta policial no quarto coletivo em que estava internada, a moça precisou largar a graduação de odontologia que cursava, pois seu nome foi divulgado na mídia local, provocando constrangimento.

O desembargador Maurício Fiorito observou que o Código de Ética Médica veda que sejam revelados informações pessoais do paciente obtidas durante o exercício da profissão, ainda que tais dados possam envolver a suspeita de crime.

Os advogados da jovem entraram com uma denúncia no Conselho Federal de Medicina contra os profissionais envolvidos, mas o caso ainda não foi julgado.

Outro lado

A superintendência do hospital, por meio de sua assessoria de imprensa, informou que não houve nenhuma notificação oficial sobre a decisão do TJ.

Polícia

Idosa de 80 anos fica ferida após ser roubada no centro de Paraguaçu Paulista

O autor do roubo foi preso e encaminhado para a cadeia pública de Lutécia.

Publicado em

Do i7 Notícias
Bicicleta que o indiciado estava no momento do roubo (Foto: Manoel Moreno)

Bicicleta que o indiciado estava no momento do roubo (Foto: Manoel Moreno)

Uma idosa, de 80 anos, foi vítima de roubo no último sábado (14), por volta das 12h, no centro de Paraguaçu Paulista (SP). Ela teve fratura no braço esquerdo após ser empurrada pelo bandido.

Segundo o boletim de ocorrência, a Polícia Militar foi acionada para comparecer na Rua Professor Luiz Gonzaga de Camargo, onde havia uma senhora, que havia acabado de ser roubada.

Ao chegarem no local, os policiais encontraram a vítima sendo ajudada por populares, que indicaram a característica do acusado e o tipo de bicicleta em que ele estava.

Os policiais levaram a idosa para o Pronto-Socorro.

Através das imagens da câmera de monitoramento de um estabelecimento comercial, os policiais observaram, mediante violência, que o homem, de 33 anos, subtraiu a bolsa da vítima e derrubou-a no chão, de forma tão violenta, que ela teve lesão no braço esquerdo.

A equipe saiu em patrulhamento e localizou o acusado. Foram até a residência dele e encontraram a bolsa da vítima com vários objetos. Ele confessou que a bolsa era da senhora. A polícia suspeita que os outros objetos sejam de um furto ocorrido no mesmo dia.

O indiciado foi autuado e levado para a cadeia pública de Lutécia.

Objetos apreendidos no imóvel do acusado, que podem ser de um furto ocorrido na manhã de sábado (Foto: Manoel Moreno)

Objetos apreendidos no imóvel do acusado, que podem ser de um furto ocorrido na manhã de sábado (Foto: Manoel Moreno)

Continue lendo

Polícia

Churrasqueira explode, mata mulher e deixa homem ferido

As vítimas era moradores de Vera Cruz (SP).

Publicado em

Do Marília Notícia
Natali morreu devido queimaduras (Foto: Arquivo Pessoal)

Natali morreu devido queimaduras (Foto: Arquivo Pessoal)

Uma mulher identificada como Natali Steffani Martins, de 22 anos, morreu nesta segunda-feira (16) em decorrência de graves ferimentos causados por queimaduras.

Natali e o marido identificado apenas como ‘Welinton’ sofreram um acidente na madrugada de domingo (15) quando uma churrasqueira explodiu após ser acendida com álcool. Eles moravam em Vera Cruz (distante 15 quilômetros de Marília).

O casal procurou socorro no Hospital das Clínicas de Marília e foram transferidos para a Unidade de Tratamento de Queimados da Santa Casa.

Natali não resistiu e faleceu nesta segunda. Ela será velada em Vera Cruz a partir de 14h e o sepultamento ocorrerá às 17h30 na cidade vizinha. O marido dela continua internado.

A assessoria de imprensa da Santa Casa se recusou a prestar informações do atendimento feito do caso.

Welinton também ficou ferido (Foto: Arquivo Pessoal)

Welinton também ficou ferido (Foto: Arquivo Pessoal)

Continue lendo

Polícia

Morre uma das irmãs atropeladas por motorista embriagado em Tupã

Criança tinha 4 anos e estava com a irmã gêmea e uma mais velha no momento do acidente. Corpo ser velado nesta segunda-feira (16) e o enterro está marcado para terça-feira (17) às 8h30.

Publicado em

Do G1
Homem é preso depois de atropelas três crianças em rodovia de Tupã — Foto: Tupãense Notícias

Uma das crianças que foi atropelada por um motorista embriagado no final da tarde de domingo (15) não resistiu aos ferimentos e morreu nesta segunda-feira (16) no Hospital das Clínicas de Marília (SP).

Segundo o Corpo de Bombeiros, o acidente ocorreu na frente de um frigorífico na saída de Tupã, na vicinal que liga a cidade a Queiroz.

Além da menina que morreu, a irmã gêmea dela também ficou ferida. As duas foram encaminhadas para a Santa Casa de Tupã, mas nesta madrugada uma delas foi transferida para o HC, por conta da gravidade do caso.

Uma terceira criança, que também é irmã das meninas, foi atingida pelo carro, mas sofreu apenas escoriações. As irmãs caminhavam pelo acostamento da via acompanhadas pelas primas de 16 e 17 anos quando foram atropeladas.

O motorista do carro se recusou a fazer o teste do bafômetro, mas, segundo a polícia, apresentava sinais claros de embriaguez. Por isso, ele passou por exame clínico que confirmou que ele estava alcoolizado e foi preso em flagrante.

Continue lendo
Solutudo 300
WhatsAssp AssisNews
Publicidade

FaceNews

Mais lidas