Fique conectado

Região

Servidora de Tarumã suspeita de usar carro oficial em encontro amoroso é absolvida após investigação

Relatório elaborado por comissão de servidores do legislativo não encontrou provas de irregularidades cometidas pela funcionária. Ela foi flagrada em Assis com um homem dentro do veículo; denúncia foi protocolada por funcionário público.

Publicado em

416

Segundo a denúncia, carro oficial da Câmara estava estacionada na Rua São Paulo, em Assis, com motor ligado — Foto: Bruno Henrique Garcia Paes/Arquivo pessoal

A funcionária da Câmara de Vereadores de Tarumã (SP) que foi alvo de uma denúncia de que teria usado o carro oficial da Casa para um “encontro amoroso” foi absolvida em relatório elaborado pela comissão que investigou o caso.

Na tarde de quarta-feira (21), uma portaria assinada pela Mesa Diretora da Câmara determinou a aceitação do relatório e o arquivamento do processo administrativo que investigou a conduta da contadora pela “comprovada inexistência de infração disciplinar”.

A portaria também determina o imediato retorno da servidora, que estava suspensa preventivamente, às suas funções na Câmara.

Segundo a advogada da Câmara, Eliane Coimbra Milck, que presidiu a comissão formada por funcionário do Legislativo, as investigações não encontraram indícios de que a contadora denunciada tenha cometido qualquer irregularidade prevista na legislação municipal.

A advogada disse ainda que tanto as imagens que sustentavam a denúncia como o depoimento do denunciante não provaram o suposto “encontro amoroso”.

Segundo o advogado Cláudio Alvarenga, que defendeu a contadora, o relatório entendeu que a servidora tinha autorização para usar o carro e que a entrada de uma terceira pessoa no veículo não constitui uma infração funcional.

“Os elementos que sustentaram a denúncia não conseguiram provar que houve o suposto encontro amoroso dentro do carro. No processo, não havia justificativa para puni-la”, explicou Alvarenga.

O advogado disse ainda que a contadora ficou abalada pela repercussão do caso na cidade de cerca de 15 mil habitantes e que, por isso, estuda a possibilidade de acionar judicialmente o autor da denúncia por danos morais.

Relembre o caso

As cenas do suposto encontro foram gravadas por Bruno Henrique Garcia Paes, motorista da prefeitura de Tarumã, em Assis, cidade onde ele mora. Com o material, ele protocolou a denúncia no último dia 12 de julho junto à Câmara de Tarumã.

Na denúncia, o funcionário público disse que gravou as cenas do suposto encontro amoroso com um celular na Rua São Paulo. Segundo o denunciante, ele passava pela rua quando reconheceu o carro oficial e viu, segundo ele, o que se passava dentro do veículo.

Após receber a denúncia, a Câmara instaurou um procedimento administrativo para investigar o caso e afastou preventivamente a funcionária, que é contadora concursada e está no cargo desde agosto do ano passado.

Polícia

Dona de casa é vítima do golpe do falso sequestro em Palmital

Vítima fez o depósito de R$ 1 mil em conta de bancária em cidade de Minas Gerais.

Publicado em

Do Jornal da Comarca
Dona de casa é vítima do golpe do falso sequestro em Palmital

Uma dona de casa dona-de-casa de 52 anos foi vítima do golpe do falso sequestro em Palmital (SP) na manhã desta terça-feira (19).

A vítima teria sido contatada via telefone por um criminoso que disse ter sequestrado suas duas filhas e, para não mata-las, exigia dinheiro para o resgate.

O golpista demonstrou ter informações sobre toda a família e até teria passado informações sobre o itinerário que a mulher fez até a Lotérica no centro da cidade, onde fez o depósito de R$ 1 mil em conta de bancária na cidade de Caratinga, em Minas Gerais.

O caso foi registrado na Delegacia da Polícia Civil, que vai apurar os fatos.

Um áudio que circula por redes sociais descreve todo o crime. A vítima atendeu ao telefone fixo de sua residência e, na chamada originada em um número restrito, um homem disse que havia sequestrado suas filhas.

Ele pediu R$ 300 mil de resgate para não mata-las e, enquanto a mulher conversava com o criminoso, havia uma pessoa no fundo gritando e pedindo socorro.

Na sequência, o golpista ligou no celular da dona-de-casa dizendo que tinha todas as informações da família, inclusive descrevendo características físicas das jovens que, na verdade, estavam trabalhando na loja da família no centro da cidade, além  de afirmar, corretamente, que o marido estava no sítio.

O criminoso fez várias ameaças e mandou que ela não desligasse, exigindo o dinheiro para o regate das filhas, pois sabia que o marido era sitiante e tinha como pagar o resgate.

Desesperada, a mulher alegou que iria aguardar a chegada do marido para levantar a quantia exigida, mas o golpista teria pedido que ele pegasse tudo o que tinha e fosse até a lotérica fazer o depósito em conta de agência da Caixa de Caratinga, em Minas Gerais. O nome da correntista beneficiária também foi informado à polícia.

A vítima relatou que acredita ter sido seguida por alguma pessoa quando foi fazer o depósito, pois o golpista teria até feito a descrição da roupa que ela usava e o itinerário de sua residência até a Lotérica, no centro da cidade, pedindo para que não passasse em frente à loja das filhas.

Quando ela cruzou com uma viatura da PM, o criminoso fez alerta para que não apresentasse nervosismo que chamasse atenção e que simulasse estar falando com uma das filhas.

O golpista disse ainda que a conta do depósito seria de uma advogada e que o dinheiro seria usado o dinheiro para pagar a cirurgia de um amigo que estava no hospital.

A empregada da casa percebeu que a patroa saiu desesperada e fez contato com as filhas da mulher, que saíram atrás da mãe e a localizaram na lotérica logo depois do depósito.

As vítimas foram até a agência da Caixa para tentar bloquear a operação, mas receberam informações de que o saque já havia sido feito.

O criminoso teria ligado outras duas vezes fazendo ameaças e exigindo mais dinheiro. Os membros da família, por medida de segurança, tiveram de deligar todos os telefones.

A vítima, que é diabética e passou mal devido ao estresse, compareceu à Delegacia de Palmital para registrar o crime.

A equipe da Polícia Civil informou que, nesta semana, foram registrados outros dois casos semelhantes na cidade.

Em áudio divulgado em redes sociais, uma das filhas disse que o criminoso alegou ser de uma facção criminosa que atua no Estado de São Paulo e que os golpes do falso sequestro seriam ações para vingar as mortes ocorridas durante confronto com a PM na semana passada.

Continue lendo

Polícia

Polícia apreende três caminhões com cigarros contrabandeados em Assis e região

Dois dos caminhões foram abordados na Raposo Tavares, em Assis, e um terceiro estava a cerca de 50 km de distância, em Ourinhos. Carga suspeita de sair do Paraguai foi levada para a PF de Marília.

Publicado em

Do G1
Dois dos caminhões carregados com caixas de cigarros foram apreendidos na SP-270, em Assis — Foto: Polícia Rodoviária/Divulgação
Dois dos caminhões carregados com caixas de cigarros foram apreendidos na SP-270, em Assis — Foto: Polícia Rodoviária/Divulgação

A Polícia Rodoviária apreendeu nesta terça-feira (19) três caminhões carregados com caixas de cigarros na mesma rodovia do interior paulista.

Dois dos caminhões foram abordados no km 438 da rodovia Raposo Tavares (SP-270), em Assis (SP), e um terceiro estava a cerca de 50 km de distância, em Ourinhos.

Segundo informações da polícia, nos dois caminhões parados na SP-270, em Assis, os motoristas demonstraram nervosismos e versões controversas sobre a viagem.

Durante vistoria na carga, os policiais encontraram uma grande quantidade de caixas de cigarros que seriam contrabandeadas do Paraguai.

O terceiro caminhão, abordado em Ourinhos, também estava lotado de caixas do mesmo tipo de cigarro.

A Polícia Rodoviária não informou a quantidade de cigarros apreendida e toda a carga foi encaminhada para a delegacia da Polícia Federal de Marília.

Continue lendo

Polícia

Mãe é presa suspeita de deixar bebê sozinho por 12h em casa

Segundo a polícia, mulher tinha saído na noite de segunda-feira (18) para comprar drogas. Criança foi encontrada suja e com fome em Santa Cruz do Rio Pardo.

Publicado em

Do G1
Mãe é presa suspeita de deixar bebê sozinho por 12h em casa em Santa Cruz do Rio Pardo — Foto: Reprodução/TV TEM
Mãe é presa suspeita de deixar bebê sozinho por 12h em casa em Santa Cruz do Rio Pardo — Foto: Reprodução/TV TEM

Uma mulher de 31 anos foi presa suspeita de deixar o filho de dois meses sozinho dentro de casa, por cerca de 12h, na manhã desta terça-feira (19), em Santa Cruz do Rio Pardo (SP).

Segundo a polícia, a mãe tinha saído de casa às 21h de segunda-feira (18) para comprar drogas e, até a manhã desta terça-feira (19), ainda não tinha retornado à residência.

A polícia descobriu o ocorrido depois que a sogra foi até a casa da mulher e ouviu o choro da criança. A porta da casa estava fechada e a sogra decidiu acionar a polícia.

“A polícia conseguiu ter acesso ao interior da casa por uma janela do banheiro e se deparou com a criança na cozinha no carrinho de bebê, chorando compulsivamente”, relata o delegado Renato Mardegan.

Com isso, os policiais acionaram o Conselho Tutelar. Eles trocaram as roupas e a fralda da criança, que estava suja. Em seguida, segundo a polícia, o bebê foi encaminhado para a UPA, para verificar as condições de saúde dele.

“Segundo informações extraoficiais junto à UPA, a criança está bem cuidada, mas estava chorando de fome, então o conselho agora vai tentar providenciar o encaminhamento dela para alguma das instituições da cidade”, explica o delegado.

A mãe da criança foi localizada na manhã desta terça-feira (19) no Bairro Bom Jardim, perambulando pelas ruas. Ela foi presa em flagrante e pode responder judicialmente por crimes como abandono de incapaz ou maus-tratos, dependendo do resultado das investigações.

Segundo o delegado, o pai do bebê trabalha em uma cidade vizinha e fica a semana toda fora. Assim, é a mãe quem fica responsável por cuidar da criança.

“Nós estamos registrando a ocorrência para apurar a conduta dessa mãe, onde deixou essa criança correndo sérios riscos, sozinha dentro da casa”, completa o delegado.

Continue lendo
WhatsAssp AssisNews
Publicidade

FaceNews

Mais lidas