Suplementação de carboidratos em atividades indoor

Nos músculos esqueléticos existem sistemas que permitem a constante ressíntese do ATP. Estes sistemas são: fosfagênio, glicolítico e oxidativo.

Ao iniciar qualquer evento atlético, o corpo, na tentativa de manter uma condição estável, inicia vários ajustes, entre os quais se podem citar aumento da freqüência cardíaca, volume sistólico, pressão arterial, taxa de sudorese e metabolismo energético (McARDLE; KATCH; KATCH, 2003).

O exercício físico demanda intenso consumo de adenosina trifosfato (ATP). Nos músculos esqueléticos existem sistemas eficientes que permitem a constante ressíntese do ATP. Estes sistemas são: fosfagênio (ATP, creatina fosfato), glicolítico e oxidativo (POWERS; HOWLEY, 2006).

O ATP é a fonte imediata de energia utilizada nos processos de contração muscular, e devido a seus limitados estoques, sua contínua ressíntese é essencial para a manutenção da contração muscular durante o exercício físico (HARGREAVES, 2005).

O carboidrato dentro do organismo se apresenta principalmente de três maneiras: glicose sangüínea; glicogênio hepático e glicogênio muscular, sendo este último a fonte primária e mais disponível de glicose e energia para o metabolismo muscular (BACURAU, 2001).

A contribuição do glicogênio para a produção de energia durante o exercício de intensidade moderada a alta é importante, já que ele pode ser degradado tanto anaerobiamente quanto aerobiamente (WILLIAMS, 2004).

Segundo Rankin (1997), a utilização de carboidrato durante o exercício depende principalmente de dois fatores: duração e intensidade do exercício.  Já Wolinsky e Hickson (1996) afirmam que a velocidade de utilização dos estoques de carboidratos no organismo é determinada por quatro fatores: duração e intensidade do exercício; nível de condicionamento físico e níveis iniciais de glicogênio muscular.

A disponibilidade reduzida dos principais agentes bioquímicos envolvidos na produção de energia (creatina fosfato, glicogênio muscular e glicose sanguínea) pode limitar a oferta de ATP durante o exercício e comprometer os músculos esqueléticos em atividade (HARGREAVES, 2005).

Durante execução de exercícios com duração superior a 60 minutos a utilização do glicogênio muscular tende a diminuir, devido ao declínio em seus níveis musculares (MURRAY, 1996). Essa redução na utilização do glicogênio muscular é compensada por uma maior dependência da glicemia (COYLE, 1997). A glicose é um substrato fundamental para o cérebro. Uma queda na glicemia (hipoglicemia) que a leve abaixo dos valores fisiológicos (70mg/dl) reduz seu fornecimento ao cérebro e afeta de forma negativa a performance física, podendo levar à instalação da fadiga (BIESEK et al., 2005; NYBO; SECHER, 2004).

Segundo Hargreaves (2000a), o consumo de carboidratos antes ou durante exercícios extenuantes melhora o desempenho atlético. Isto é observado pela capacidade de manter, ou mesmo de melhorar a capacidade de trabalho durante a prática de exercícios, ou aumentar o tempo de exercício até a instalação da fadiga.

Os carboidratos ingeridos podem contribuir com uma porcentagem significativa no fornecimento de energia durante o exercício, variando de 20% a 70% (WILLIAMS, 2002). Segundo Hargreaves (2000b), a ingestão de carboidratos a uma velocidade de 30 –60g por hora melhora o desempenho atlético. Jeukendrup, Raben e Gijsen (1999) sugerem que os carboidratos consumidos durante o exercício contribuem efetivamente como substrato energético na ressíntese do ATP pelas fibras musculares exercitadas.

A suplementação com carboidrato durante o exercício é eficiente na prevenção da fadiga (ELSAYED; RATTU; ROBERTS, 1995). A fadiga é um processo multifatorial que reduz a performance durante o exercício. Definida como falha ou incapacidade de gerar força, está ligada à depleção dos substratos energéticos e/ou acúmulo de metabólitos (HARGREAVES, 2005).

Sendo assim, o consumo de carboidrato durante exercícios com duração superior a 60 minutos assegura o fornecimento de energia exógena nos estágios finais do exercício, fornecendo glicose para os músculos em atividade quando seus estoques de glicogênio estão baixos .

Fonte:
Diferentes estratégias de suplementação
com carboidrato e subseqüente resposta
glicêmica durante atividade indoor .

#MAIS LIDAS DA SEMANA