Fique conectado

Entretenimento

Atriz trans conta sobre como conseguiu superar preconceito: ‘Amor dos meus pais me ajudou’

Glamour Garcia, de Marília (SP), integra elenco da novela A Dona do Pedaço, da Rede Globo.

Publicado em

617

Glamour Garcia saiu de Marília em busca do sonho de ser atriz e hoje está na sua primeira novela — Foto: Arquivo Pessoal

“Uma adolescente trans sem o apoio familiar é muito difícil prosperar. Eu só consegui ser o que eu sou, porque tive o amor dos meus pais, que me ajudaram e sonharam junto comigo”. A declaração é da atriz trans Glamour Garcia, de 30 anos, que resume como conseguiu driblar o preconceito.

A vontade de ser atriz foi o que fez Glamour sair de Marília, interior de São Paulo, e ir para São Paulo e Rio de Janeiro. A busca pelo sonho se tornou realidade e, atualmente, ela interpreta a personagem “Britney” na novela A Dona do Pedaço, exibida durante o horário nobre.

No Dia do Orgulho LGBT, comemorado nesta sexta-feira (28), a atriz conversou com o G1 sobre os desafios de uma pessoa trans na teledramaturgia.

“Acho essencial esse tipo de papel dentro de uma novela em um horário tão importante. A arte está além de gêneros. Fazer uma personagem trans para mim é muito gratificante. Diariamente, mulheres transexuais são expostas à violência e estou na mídia para ser mais uma voz. A arte serve para ser algo construtivo na sociedade”, argumenta.

De acordo com Glamour, muito mais do que apenas provocar uma discussão, a televisão e o cinema tem um poder de recorte social. Para ela, ter atores e atrizes trans é uma maneira de empoderar a comunidade LGBT no seu dia a dia e que possam ter seus direitos respeitados.

“A arte tem um papel construtivo dentro de uma sociedade. Esses personagens trazem dois recortes importantes que é da ficção e outro da representatividade”, contextualiza.

Ainda na adolescência, Glamour conseguiu formar um grupo de teatro na escola e decidiu que seguiria essa carreira — Foto: Arquivo Pessoal 

Ainda na adolescência, Glamour conseguiu formar um grupo de teatro na escola e decidiu que seguiria essa carreira — Foto: Arquivo Pessoal

Dificuldades
A atriz conta que a parte mais difícil de ser trans sempre foi o medo em relação à agressão e violência física.

Quanto ao preconceito, Glamour afirma que foi vítima durante a adolescência, mas que sempre soube driblar, tanto que prefere nem relatar.

“Eu sou de uma cidade do interior e a violência era muito forte. A parte mais difícil foi o medo. Sou de uma geração que não tinha gente trans pelas ruas e pela cidade. Toda essa revolução da comunidade trans que vemos hoje começou a surgir a partir de 2010″, diz.

Ela ainda ressalta a importância da comemoração do Dia do Orgulho LGBT.

“Como o próprio nome diz, é uma data não para frisar as desigualdades, mas para pontuar o direito à cidadania de todos e mostrar o quanto nós temos orgulho de sermos quem somos na sociedade. O mote dessa comemoração será sempre o orgulho e não o preconceito”, destaca.

Glamour começou a carreira no teatro e se profissionalizou com atriz há 10 anos — Foto: Arquivo Pessoal 

Glamour começou a carreira no teatro e se profissionalizou com atriz há 10 anos — Foto: Arquivo Pessoal

O sonho de ser atriz
A vontade da Glamour em se tornar atriz surgiu ainda na infância. O interesse pela área artística foi aumentando ao longo dos anos, mas foi no início da adolescência que decidiu que essa seria realmente sua carreira.

Com a ajuda de uma professora, ela formou um grupo de teatro na escola e nunca mais abandonou a interpretação.

“Já faz 10 anos que sou atriz profissional, estudei teatro, literatura, danças contemporâneas, cinema, performance”.

Glamour ressalta que ser atriz no interior não é fácil, pois falta espaço para o artista. Por isso, muitos buscam grandes centros para mostrar o trabalho, apesar de reconhecer que agora o cenário para artistas do interior está um pouco melhor.

“Ninguém chega numa novela da Globo do nada. Tive que estudar muito, trabalhar em várias peças, foram anos e anos de trabalho para hoje ser reconhecida por ele”.

Integrar o elenco de uma novela em uma emissora de rede nacional foi um divisor de águas na carreira dela, tanto que se recorda com bastante emoção do dia que recebeu o telefonema que tinha passado no teste de elenco.

“Eu estava na garagem da casa da minha mãe em Marília, quando me ligaram. Eu nunca vou me esquecer. Fiquei muito emocionada. Na hora não tive nem reação. Chorava, chorava, foi incrível, nunca vou me esquecer”.

Famosos

Roberto Leal, cantor português, morre aos 67 anos em SP

Cantor, conhecido pelas músicas ‘Arrebita’ e ‘Bate o pé’, estava internado havia 5 dias no Hospital Samaritano e morreu em decorrência de insuficiência renal causada por tumor.

Publicado em

Do G1
Roberto Leal — Foto: Divulgação/Blog oficial/vasco.com.br

O cantor português Roberto Leal morreu na madrugada deste domingo (15), em São Paulo, aos 67 anos. A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa do Hospital Samaritano, onde o cantor estava internado. Ele ficou conhecido pelas músicas “Arrebita” e “Bate o pé”.

O cantor deixa a mulher, Márcia Lúcia, e três filhos.

A morte ocorreu devido a um melanoma maligno (tumor) que evoluiu, atingindo o fígado e causando síndrome de insuficiência hepato-renal. O cantor fez tratamento contra o câncer por dois anos. Segundo a assessoria de imprensa do cantor, Leal foi internado no hospital na última terça-feira (10).

O velório será na segunda-feira (16) na Casa Portugal, das 7h às 14h. O enterro será à tarde, no Cemitério de Congonhas, na Zona Sul da capital paulista, informou o empresário do cantor há mais de 40 anos, José Sá.

“A luta era uma luta feroz, ia fazer três anos que ele lutava. Começou na vista passou para a perna, coluna e depois descobrimos que tomou o corpo”, explicou o empresário, em relação ao tumor.

“Nós mantínhamos a agenda normal. Nesses três anos cancelamos 6 shows que ele teve que ficar no hospital. A cada 15 dias ele vinha, segunda e terça e depois tocava a agenda”, disse o empresário.

Roberto Leal morava na capital paulista havia alguns anos.

Benfica e Brasil

O filho mais velho do cantor, Rodrigo Leal, falou da paixão do pai pelo time de futebol português Benfica e pelo Brasil.

“Ele falava que o artista nunca pode falar a camisa do futebol que ele torce, nem a religião que tem. Ele era muito autêntico, muito católico e em Portugal ele tinha uma paixão, que era o Benfica. No Brasil torcíamos pelos times da nossa colônia, a Portuguesa de Desportos e o Vasco da Gama, no Rio de Janeiro. Ele sempre vibrava muito com o Benfica, era nossa desforra como a gente aqui não conseguia ser campeão com a Portuguesa, com o Benfica lá tinha isso quase todos os anos, era uma das paixões que ele tinha”, disse.

A última coisa que conversaram, conta Rodrigo, foi sobre um jogo do Benfica. “Papo de pai e filho para animar, sabe. Ele estava muito sereno, deitadinho. Eu falei pra ele que o Benfica ganhou, em casa, de 2 a 0, ele era benfiquense roxo. Se tinha uma coisa que ele parava para fazer no final de semana, quando não tinha show, era ver o Benfica. Ele era autenticamente português”, disse.

Mas o amor de Roberto Leal era pelo Brasil.

“O Brasil, aquilo que eu te falei, é verdade. Eu faço um desafio de quantos artistas tiveram essa atenção, esse carinho no país dos outros. Portugal chama ele de português brasileiro. E ele tem uma música que diz isso, ‘sou português brasileiro’. Ele era um cara que se apaixonou pelo Brasil de verdade. Se você pegar a discografia do meu pai você vai ver isso. Ele gravou no Maranhão, Recife, Piauí, São Paulo, etc. Se você for procurar dentro da discografia dele, vai ver que ele se deixou misturar. Essa é a grande obra artística dele”, contou.

No final de 2014, o compositor lançou o álbum ‘Obrigado, Brasil!’ — Foto: Divulgação

Carreira

Em 45 anos de carreira, Roberto Leal vendeu mais de 17 milhões de discos e gravou mais de 400 músicas. Entre elas, também estão faixas como “Bate o pé” e “A festa ainda pode ser bonita”.

Nascido em Macedo de Cavaleiros, no norte de Portugal, o cantor se mudou para o Brasil aos 11 anos, com os pais e nove irmãos. Em São Paulo, trabalhou como sapateiro e vendedor em uma feira.

Em 1978, protagonizou o filme “O milagre – O poder da fé”, inspirado em sua própria história.

No final dos anos 80, voltou a morar em Portugal para se dedicar ao mercado musical europeu. Nesse período, comandou um programa na TV do país.

Mais de 20 anos depois do lançamento de “Arrebita”, a popularidade do cantor ganhou vida nova quando, em 1995, os Mamonas Assassinas lançaram “Vira-vira”, que satiriza músicas dele.

Em entrevistas, Leal costumava dizer que se sentia homenageado pelo grupo.

Retornou ao Brasil em 1998 e, dois anos depois, lançou o disco “Roberto Leal canta Roberto Carlos”. Seguiu produzindo discos e coletâneas. O último, “Arrebenta a festa”, saiu em 2016.

Em 2018, foi candidato a deputado estadual de São Paulo pelo PTB, mas não conseguiu se eleger.

Continue lendo

Televisão

Lulu Santos dá bronca em plateia do The Voice e vira piada na internet

Publicado em

Lulu Santos dá bronca em plateia do The Voice e vira piada na internet (Foto: Reprodução/Globo)

O The Voice Brasil da última terça-feira (11) teve grandes apresentações, mas o que chamou mesmo não foi a música, mas a bronca que Lulu Santos deu na platéia.

Ao final da disputa de Rik Oliveita e Pollyana Caires na Rodada de Fogo, Lulu passou a palavra para Ivete Sangalo, enquanto o público gritava em euforia.

O cantor então deu aquele puxão de orelha. “Pessoal, vou expressar uma coisa melhor que da última vez que a gente se viu ficou meio truncado. Vocês vão ter a oportunidade de votar loucamente daqui a dois programas. Agora, vamos tentar concentrar, por favor”, afirmou Lulu.

O comentário, claro, viralizou na internet, recebendo críticas, piadas e os bons memens. Confira:

Continue lendo

Entretenimento

Após diminuir shows, Gusttavo Lima se matricula em faculdade de música

O goiano realizará seus estudos a distância em uma faculdade particular.

Publicado em

Do Metrópoles
REPRODUÇÃO / INSTAGRAM

Muitas novidades para os fãs de Gusttavo Lima. Após o cantor anunciar que fará menos shows em 2020, na noite de quarta-feira (28), o sertanejo revelou que vai começar a fazer faculdade de música.

“Ah, bebê, fala comigo. Olha aqui ó. O cantor agora vai fazer faculdade de música. De verdade mesmo, eu estou apaixonado. Livro com força, agora vou conciliar minha agenda de shows com a minha família. É uma coisa que eu sempre amei, que é a música. E agora vou me especializar de verdade nisso. Para poder ter mais um pouco de conhecimento”, revelou o cantor em seu Instagram.

Com muito entusiasmo, o sertanejo ainda contou: “Agora para frente vocês vão me ver estudando para frente, para cima, para baixo, para os lados. Nos intervalos dos shows. O que eu vou fazer?! Especialização em estúdio, especialização em programas de gravação e especialização em partitura”.

Por fim, o cantor desabafou revelando sobre como era sua vida musical no início. “O pouco que eu sei de música, eu aprendi na raça. Por influência da família e do meu pai. Nunca tive a oportunidade de estudar música. E agora eu quero, e é isso que eu faço, então quero me especializar nisso. Começa uma grande etapa na minha vida e aplicando isso nas minhas músicas e trabalhos, com certeza vai ser um diferencial’, revelou Gusttavo.

Continue lendo
WhatsAssp AssisNews
Solutudo 300
Publicidade

FaceNews

Mais lidas