Fique conectado

Entretenimento

Humorista Evandro Santo pede R$ 60 mil de indenização por agressão em Marília

Agressão teria ocorrido após uma apresentação na cidade. No processo, advogados do comediante pedem indenização por danos morais ao agressor e o pai dele.

Publicado em

982

Evandro Santo, ex-Pânico, registrou boletim de ocorrência por agressão em show realizado em Marília — Foto: Facebook/Reprodução

Evandro Santo, ex-Pânico, registrou boletim de ocorrência por agressão em show realizado em Marília — Foto: Facebook/Reprodução

O humorista Evandro Santo entrou com uma ação na Justiça com pedido de indenização por danos morais no valor de R$ 60 mil pela agressão que teria sofrido em outubro deste ano, após uma apresentação em Marília (SP).

Na ação, os advogados do comediante pedem que o suspeito da agressão, que teria dado um soco no rosto de Evandro e o pai dele, que teria incentivado a agressão, paguem R$ 30 mil cada de indenização por danos morais.

“Trata-se de ação de indenização por dano moral decorrente de homofobia, consistente em um soco na região da boca e do nariz, cometida pelo primeiro requerido, incentivado por seu genitor, segundo requerido, contra o autor, figura pública”, consta na denúncia.

Após ser agredido em Marília, Evandro Santo, ex-Pânico, registra B.O por lesão corporal e homofobia — Foto: Lucas Alves/Divulgação

Após ser agredido em Marília, Evandro Santo, ex-Pânico, registra B.O por lesão corporal e homofobia — Foto: Lucas Alves/Divulgação

No processo, os advogados também reforçam que a indenização não visa reparar a dor do episódio sofrido por Evandro, mas obter um valor que amenize o sofrimento provocado.

A ação foi ingressada na Justiça na tarde de terça-feira (26) e distribuída na 11ª Vara Cível em São Paulo e será julgada pela juíza Gisele Valle Monteiro da Rocha.

Entenda o caso
Evandro Santo, ator conhecido pelo seu personagem Christian Pior, postou uma foto com o rosto inchado nas redes sociais, em outubro deste ano, e relatou ter sido vítima de homofobia após um show de comédia que apresentou em uma casa noturna de Marília.

“Esta não é uma foto bonita e nem legal. Esta foto mostra o quanto devemos ter cuidado com pessoas com aparência “normal”, porque o ódio e a homofobia não tem cara.”

O agressor teria participado, minutos antes, de um quadro do show onde ganhou um selinho do humorista. Um vídeo divulgado pela assessoria de Evandro mostra o momento do “beijo” e os aplausos da plateia.

“Ele super aceitou bem, fez o Tinder, ganhou um selinho meu, deu risada assim como a moça ganhou um meu e deu risada. Saiu do palco de boa”, escreveu o ator na época.

No entanto, depois que o show acabou, o ator conta que foi surpreendido ao sair do banheiro e levou um soco no rosto, do rapaz que havia participado do show. Além disso, o comediante disse que foi chamado de “viado”.

Por causa disso, a assessoria informou que o artista foi até a delegacia de Marília para registrar um boletim de ocorrência, mas recebeu a notícia de que teria que esperar quatro horas.

Assim, ainda segundo a assessoria, como o ator tinha compromissos em São Paulo, decidiu não aguardar e fazer o BO na capital, além de processar os envolvidos por homofobia e danos morais.

O boletim de ocorrência registrado em São Paulo, na Decradi (Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância), ligada ao Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP), relata os crimes de lesão corporal e homofobia, situação que passou a ser criminalizada com base na lei de racismo por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF).

Entretenimento

Cantor sertanejo Juliano Cezar morre após sofrer um infarto em pleno show

Juliano Cezar chegou a socorrido em um posto médico perto do local do evento. Porém, o artista não resistiu.

Publicado em

Do Istoé
Juliano Cezar
Divulgação

Juliano Cezar teve um infarto fulminante, no momento que cantava em uma festa da cidade de Uniflor PR, realizada pelo município hoje de madrugada.

A apresentação do “Cowboy Vagabundo” acontecia em Uniflor, no Paraná. No vídeo gravado durante o show, o cantor aparece caindo atrás do sanfoneiro da banda.

Segundo informações, o cantor de 59 anos, sofreu uma parada cardíaca e morreu.

O cantor foi levado para hospital da cidade e foram feitas várias tentativas de reanimação, porém sem sucesso.

Uma fã registrou o momento em que o cantor passa mal, veja abaixo.

Segundo a página oficial do cantor no Instagram:

A notícia mais triste que poderíamos comunicar.
Com profundo pesar, a Explosion Music informa o falecimento cantor Juliano Cezar.

Juliano Cezar teve uma parada cardiorrespiratória enquanto se apresentava em um show em Uniflor, interior do Paraná.

O velório será realizado na cidade natal do cantor – Passos /MG. Quanto aos horários de velório e sepultamento, serão repassados assim que obtidos.

Maiores informações: Fabiana Villela / Assessoria Juliano Cezar / Explosion Music

Abaixo o post do perfil oficial:

Continue lendo

Entretenimento

Bira, baixista do programa do Jô Soares, morre em hospital em SP

De acordo com familiares, músico faleceu às 7h deste domingo (22). Ele estava internado no Hospital Sancta Maggiore, na Zona Leste da cidade.

Publicado em

Do G1
Músico Bira, do Programa do Jô, se apresenta em Piracicaba — Foto: Divulgação
Músico Bira, do Programa do Jô, se apresenta em Piracicaba — Foto: Divulgação

O músico Bira, baixista do Programa do Jô Soares, morreu na manhã deste domingo (22), aos 85 anos, em São Paulo. A informação foi confirmada por familiares.

Ele estava internado desde a última sexta-feira (20) no Hospital Sancta Maggiore, na Mooca, Zona Leste da cidade, após sofrer um AVC.

Natural de Salvador, Ubirajara Penacho dos Reis ficou conhecido como “Bira do Jô”.

O baiano era um dos integrantes do Sexteto, banda formada por Tomati (guitarra elétrica), Osmar Barutti (piano), Chiquinho Oliveira (trompete), Derico (saxofone) e Miltinho (bateria).

O grupo acompanhou o apresentador Jô Soares nos programas Jô Soares Onze e Meia, no SBT, e Programa do Jô, da TV Globo.

Bira ganhou ganhou popularidade no talkshow por sua risada forte e alta.

Ainda não há informações sobre o velório e sepultamento.

Continue lendo

Entretenimento

Morre a humorista Zilda Cardoso, a Dona Catifunda, aos 83 anos

Segundo perícia, ela morreu de causas naturais.

Publicado em

Morre a humorista Zilda Cardoso, a Dona Catifunda, aos 83 anos

Zilda Cardoso, atriz e humorista que interpretou a Dona Catifunda na’Escolinha do Professor Raimundo’, morreu aos 83 anos, na manhã desta sexta-feira, 20, em seu apartamento no centro de São Paulo. Segundo a perícia, Zilda, de 83 anos, teve morte natural.

Segundo informações preliminares, foi a diarista que encontrou a atriz morta e chamou pelo zelador para ajudá-la.

A família da atriz chamou a polícia para realizar a perícia. De acordo com o UOL, um investigador disse que Zilda teve morte natural, mas não enfrentava nenhum problema de saúde.

Zilda morava sozinha em no apartamento em São Paulo e recebia visita de uma cuidadora. Ela era considerada uma pessoa querida no bairro, principalmente entre os lojistas da região.

A atriz começou na carreira em 1962, quando apresentou o programa Zilda 23 Polegadas na TV Paulista. Logo depois, em 1964, foi convidada a integrar o elenco de A Praça da Alegria, no SBT.

A humorista também participou de Os Trapalhões, A Praça é Nossa e da novela Meu Bem, Meu Mal. De 1991 até 1995, ela interpretou Catifunda na Escolinha do Professor Raimundo.

Continue lendo
WhatsAssp AssisNews
Publicidade

FaceNews

Mais lidas