Em thriller dramático, Wagner Moura vive pai que busca filho desaparecido

Wagner Moura vive papel de médico desesperado é procura do filho desaparecido em “A Busca”

Com atuação de Wagner Moura em thriller dramático, “A Busca” de Luciano Moura, primeiro longa de um dos diretores da O2 Filmes, é forte concorrente ao prêmio Redentor do Festival de Cinema do Rio, na mostra competitiva da Première Brasil.

Exibido na noite desta quarta-feira (3), no Cine Odeon, o público lotou a sala de exibição na expectativa de ver a pre-estreia do longa que contou com Mariana Lima, participação de Lima Duarte no elenco e o ator revelação Brás Moreau Antunes, filho do cantor Arnaldo Antunes.

Wagner Moura vive o médico Theo, pai de Pedro (Brás Antunes), um adolescente prestes a completar 15 anos, que sai para viajar um fim de semana e não retorna para casa. Desesperado, Theo cai na estrada em busca do filho e vai reunindo vestígios por lugares onde o menino passou.

A gravação do filme foi praticamente uma maratona, foram 38 locações em seis semanas, entre março e abril de 2011, em Paulínia, no interior de São Paulo.

“Foi um exercício doloroso para mim, eu que sou pai de trás filhos. É um  filme sobre gerações. O Theo tenta controlar a família dele e um dia o filho some. Como um ser humano reage a todo esse mundo que ele construiu e desmorona? Eu próprio não consigo pensar numa coisa mais terrí­vel”, contou o ator minutos antes da pré-estreia.

O filme de 96 minutos já foi exibido pela primeira vez no Festival de Sundance, em janeiro, nos Estados Unidos. Mas a expectativa era grande para a pré-estreia nesta quarta.

#MAIS LIDAS DA SEMANA