Fique conectado

Cinema

Leandro Hassum e Daniele Winits estrelam ‘Até que a sorte nos separe’

Longa parte do livro de autoajuda ‘Casais inteligentes enriquecem juntos’.
Roteiro padece sem boas piadas, e comédia não escapa de clichês.

Publicado em

196

 

Sem parar de apostar em comédias, o cinema brasileiro adentra uma nova modalidade com “Até que a Sorte Nos Separe”, em cartaz a partir desta sexta-feira (5) em amplo circuito. Muito livremente inspirado no best-seller “Casais Inteligentes Enriquecem Juntos”, o filme estrelado por Leandro Hassum e Danielle Winits simula o padrão da indústria norte-americana.

Tirando os atores, da história previsível à trilha sonora e fotografia a impressão é a de se estar assistindo a um enlatado de Hollywood – nem mesmo a paisagem do Rio de Janeiro ajuda a conferir alguma personalidade.

É a ideia de produto pasteurizado para consumo rápido, que o diretor Roberto Santucci, formado nos EUA, já tinha experimentado em “De Pernas pro Ar” (que, aliás, ganha sequência no final do ano). No Brasil, o exemplo máximo desse entretenimento rasteiro sempre foi a televisão, portanto a entrada do roteirista Paulo Cursino, tarimbado por humorísticos da Globo (“Zorra Total”, “Sob Nova Direção”), soa natural. Mais do que um filme, um especial de TV maquiado como cinema.

O livro de auto-ajuda financeira escrito por Gustavo Cerbasi inspirou a história de Tino, um instrutor de academia atlético e simples que, depois de ganhar R$ 100 milhões na loteria, em dez anos vira um boa-vida gorducho e mão-aberta – obviamente o papel de Hassum. Sua mulher, Jane (Danielle Winits), mãe de dois filhos, se transforma numa perua tão esbanjadora que, dizem, se fosse casada com Eike Batista faria ele “virar vendedor de coco em dois tempos”.

Pois essa vida de excessos, regada a viagens em gravidade zero, Ferraris e shows exclusivos de Ivete Sangalo, leva a família à falência. Só que Tino não pode contar a verdade para Jane – grávida, ela corre o risco de perder o filho, já que tem a saúde fragilizada por ter feito 28 cirurgias plásticas (!). O desafio passa a ser, então, manter as aparências sem um tostão no banco, enquanto o vizinho Amauri (Kiko Mascarenhas), um consultor financeiro, dá dicas para Tino se controlar.

Leandro Hassum e Danielle Winits em ação durante cena do longa ‘Até que a sorte nos separe’, comédia dirigida por Roberto Santucci (Foto: Divulgação)

Tudo serve de pretexto para Leandro Hassum fazer o que sabe, a começar pelas caretas e grunhidos que já mostrava na TV, mas agora com um pouco mais de liberdade. Santucci deixava a câmera ligada para que o ator improvisasse à vontade, e daí saem os melhores momentos do filme. Da mesma forma que Ingrid Guimarães segurava “De Pernas pro Ar”, Hassum garante algumas risadas.

De resto, “Até que a Sorte Nos Separe” apela para o ridículo (flatulência, “cofrinhos” à mostra) e piadas batidas – haja paciência para ainda aguentar boladas no saco, dentes cuspidos depois de uma paulada e alguém fingindo ser gay (no caso, Ailton Graça). As referências a “Flashdance”, “Apertem os Cintos, o Piloto Sumiu!” e “De Volta para o Futuro” com boa vontade podem ser encaradas como homenagem, mas parece ser mais o caso de reciclagem mesmo.

Hassum e Winits, ambos estreando como protagonistas no cinema, se mostram competentes em cena e com boa química, mas a parcela dramática da história é tão superficial que desanima. Um filme genérico, que se não contribui artisticamente, ao menos sustenta o mercado – o público deve se divertir – e replica o padrão técnico das produções norte-americanas que emula: é saudável ver, por exemplo, um merchandising que não seja gritante e créditos com uma arte bacana. De originalidade e ambição, “Até que a Sorte Nos Separe” não tem nada, mas faz a roda do cinema nacional girar.

Publicidade

Cinema

Animação de ‘Velozes e Furiosos’ ganha primeiro teaser

Publicado em

Agência Estado

DreamWorks divulgou nesta quinta-feira, 13, o primeiro teaser de Fast & Furious: Spy Racers, a animação de Velozes e Furiosos. A produção, que ainda não tem data de estreia definida, estará disponível na Netflix.

O título da série já aparece no catálogo da plataforma de streaming, mas sem muitos detalhes.

A empresa define o gênero da produção como “programa infantis” e “desenhos animados”. Há também uma breve sinopse.

“Aventuras não faltam quando um grupo de adolescentes se infiltra em uma liga de corridas de elite controlada por uma organização que quer dominar o mundo”, descreve a Netflix.

O teaser não diz muito, mas já aquece os motores para as próximas novidades da série. Confira abaixo:

Continue lendo

Cinema

Homens de Preto Internacional: Tessa Thompson revela fala que se recusou a dizer no filme

Atriz também exaltou importância da franquia ter uma protagonista negra.

Publicado em

Do Terra
Foto: Sony / AdoroCinema

MIB: Homens de Preto – Internacional, continuação da franquia de sucesso, traz um quê de nostalgia para os fãs da saga. Mas Tessa Thompson não quis que tivesse em excesso. Tanto que a atriz se recusou a dizer uma fala no filme.

Thompson interpreta M, uma mulher que passou sua vida procurando a organização secreta depois de testemunhá-los neutralizar a memória de seus pais quando criança. Depois que ela veste o traje de agente, o público provavelmente espera ouvi-la dizer: “Eu faço isso aqui ficar bonito”, uma fala do Agente J, personagem interpretado por Will Smith no primeiro filme. Apesar de a fala não estar no roteiro, o diretor F. Gary Gray sugeriu que ela dissesse isso. Entretanto, a atriz se recusou.

“Eu não teria dito isso. Na verdade, acho que alguém me pediu — como opção — e eu disse não”, disse Thompson ao The Hollywood Reporter com uma risada. “M é diferente daquele personagem . Sim, eu estava realmente consciente de muita nostalgia”, continuou.

“Para ser honesta, uma coisa legal sobre revisitar os filmes 22 anos depois é que você pode fazê-los com uma sensibilidade moderna — e eu não quero dizer melhor efeitos visuais, embora isso seja legal também. Quero dizer, a sensibilidade moderna agora, e o tempo que estamos, permitiria a uma mulher como eu encabeçar um filme de estúdio como este, e acho que isso é impactante. Certamente introduz toda uma nova geração, uma geração de jovens mulheres e jovens meninos, que podem seguir uma protagonista que se parece comigo. Eu acho que isso significa alguma coisa. Então, essa foi definitivamente uma razão convincente, e eu acho que é algo novo, fresco e não nostálgico. Simplesmente não existia há 20 anos e estou feliz que isso aconteça agora”, completou ela.

Estrelado por Thompson e Chris Hemsworth, MIB: Homens de Preto – Internacional está em cartaz nos cinemas.

Continue lendo

Cinema

Tom Holland pega fogo durante ensaio. Entenda!

Ator passou por pequeno sufoco.

Publicado em

De O Fuxico
Tom Holland pega fogo durante ensaio

Recentemente, Tom Holland realizou um ensaio fotográfico para a revista Man About Town.

As fotos envolviam uma pequena fogueira e um vídeo divulgado nas redes mostra o ator sentado em uma cadeira.

O ator se distrai um momento e as chamas atingem as suas nádegas. Tom Holland levanta rapidamente e sai correndo quando percebe o acontecido.

Holland interpreta o personagem principal de Homem-Aranha: Longe de Casa, previsto para estrear nos cinemas brasileiros no dia 4 de julho.

Confira o vídeo completo!

Continue lendo
Solutudo 300
WhatsAssp AssisNews
Publicidade

FaceNews

Mais lidas