Amigos se unem para financiar carreira de cantor sertanejo em Goiás

Felipe Souza criou canção que brinca com hits sertanejos já conhecidos. Ele conta que trocou até de nome ‘para não ficar igual ao Gusttavo Lima’.

Cantor sertanejo Felipe Souza gravou o primeiro clipe oficial (Foto: Arquivo pessoal)

O goianiense Felipe Souza está batalhando o sucesso no meio sertanejo. O primeiro passo do jovem de 24 anos foi compor uma música que, de forma divertida, faz referência a hits já conhecidos como “Eu quero tchu, eu quero tcha” e “Lê, Lê, Lê”. Para começar a carreira, contudo, ele contou com a ajuda de três amigos, que pagaram a produção de dois vídeos que já fazem sucesso nas redes sociais e também custearam a divulgação do trabalho. Graças ao empenho dos colegas, o primeiro clipe oficial do cantor já foi gravado e deve ser lançado ainda este mês. Em nome da nova profissão, o ex-publicitário deixou de ser Gustavo e passou a se chamar Felipe. “Foi para não ficar igual ao cantor Gusttavo Lima”, justifica.

Apesar de não terem ligação com o mundo da música, o médico Bruno Pinto Fernandes, o publicitário Homero Maurício e o empresário Leo Júnior acreditaram no talento de Felipe Souza e decidiram investir na carreira dele. Bruno prefere não revelar o valor investido, mas conta que sempre admirou o talento do amigo e que nunca deixou de acreditar no potencial dele. “Ele sempre foi muito talentoso, canta super bem além de compor todas as músicas. Então, a gente, com o objetivo de dar oportunidade para que ele se levantasse nessa carreira, decidiu ajudá-lo. Eu sou médico, mas sempre investi em outras áreas e entrar no meio artístico foi mais uma delas. Acredito que seja um trabalho de investimento com talento”, explica.

Felipe se diz agradecido com a ajuda que teve dos amigos para pagar a divulgação e produção do material de trabalho e comemora o crescimento profissional que está tendo. “Tudo isso foi possível graças aos meus amigos que acreditaram em mim”, ressalta.

Clipe oficial
As gravações do primeiro clipe oficial de Felipe Souza terminaram no dia 28 de outubro e a previsão de lançamento é para a segunda quinzena deste mês. A música “Ioiô, Iaiá” remete aos refrões dos sucessos “Eu quero tchu , eu quero tcha”, de João Lucas e Marcelo, e “Lê Lê Lê”, da dupla João Neto e Frederico, misturando o sertanejo universitário com o arrocha. “Se sua balada é boa e você quer o tchu, tcha, tcha, eu não sei o lê lê lê e nem dançar o tchu tcha tcha”, diz parte do refrão da canção.

Segundo Felipe Souza, a paixão pelo violão existe desde criança, mas a profissão de publicitário em Goiânia ainda não permitia que ele pudesse transformar o que até então era hobby em trabalho profissional. “Eu fazia marketing, trabalhava com política e isso tomava muito tempo. Só agora, depois que tudo mudou, que tive de parar”, lembra.

O cantor conta que tudo começou de maneira muito espontânea. Certa vez, na recepção da empresa de um dos amigos, ele tocava sentado no chão o hit que criou quando os colegas resolveram fazer um vídeo, gravado de um celular. Então, publicaram a gravação no Youtube e os acessos foram se multiplicando.

Ainda com a ajuda dos colegas, o cantor gravou um clipe, também amador, através de um tablet. O vídeo também foi postado na internet. O cenário utilizado foi um ônibus do transporte coletivo de Goiânia. Para Felipe, a escolha do local teve o objetivo de inovar: “Acabou gerando uma polêmica porque o meio sertanejo vende uma ideia de status. Então, de repente, um cantor aparece dançando e cantando dentro de um ônibus. É diferente”, avalia.

Contudo, ele se diz ansioso pelo lançamento do clipe oficial: “Espero que as pessoas curtam e que seja um sucesso porque estamos preparando com muito profissionalismo”. Com direção e roteiro de Marcello Rosa, o vídeo está sendo produzido pela M2 Filmes, produtora de Goiânia.

Felipe Souza brinca com refrões já conhecidos
(Foto: Arquivo pessoal)

Novo nome
Solteiro, Felipe Souza revela estar encantado com a carreira de cantor. “A minha vida era muito simples e, em dois meses, mudou praticamente tudo. Mas estou muito feliz, me adaptando bem a tudo isso. Agora, tenho que administrar essas mudanças, ter foco. Nós já passamos a pensar na formalidade de uma empresa e tudo isso saiu de uma informalidade”, ressalta o ex-publicitário.

Para ele, difícil mesmo foi se acostumar com o novo nome. “As pessoas passam a vida inteira te chamando de um nome e, de repente, você muda de nome e tem de virar quando as pessoas gritam Felipe. Tem de virar e acreditar que é comigo. Isso é muito louco. Só a minha mãe que disse que nunca vai me chamar de Felipe”, afirma o jovem.

Ele revela que, recentemente, se sentiu surpreso ao chegar em uma feira livre da cidade e já ser reconhecido por algumas pessoas. “Está sendo tudo muito rápido”, surpreende-se.

Suas grandes referências musicais são os cantores sertanejos, entre eles as duplas Bruno e Marrone, João Neto e Frederico e Jorge e Matheus. “Mas gosto muito também de alguns nomes internacionais como Bob Sinclair . Gosto de músicas mais ritmadas. Essa é a diferença que quase não temos aqui no Brasil”, acredita.

Focado no trabalho, Felipe já está se organizando para a abertura da agenda de shows e o lançamento do clipe, com a abertura oficial da turnê em uma casa de shows em Goiânia, prevista para este mês de novembro. “Já temos vários contatos para shows, mas estamos organizando tudo ainda. Primeiro, queremos fazer o lançamento oficial do clipe”, pondera.

Cantor deve começar turnê de shows este mês, em Goiânia (Foto: Arquivo pessoal)

VEJA TAMBÉM

#MAIS LIDAS DA SEMANA