Fique conectado

Música

Cantora Miúcha morre no Rio aos 81 anos

Irmã de Chico Buarque e mãe de Bebel Gilberto estava em tratamento contra um um câncer e morreu após ser internada nesta quinta-feira (27).

Publicado em

167

A cantora e compositora Miúcha morreu às 17h30 desta quinta-feira (27), aos 81 anos, no Hospital Samaritano, no Rio. Irmã de Chico Buarque, mãe de Bebel Gilberto, ela tratava de um câncer e sofreu uma parada respiratória.

O enterro será na sexta-feira (28) no Cemitério São João Batista, na Zona Sul do Rio.

Miúcha — Foto: Divulgação / Beti Niemeyer

Ao longo de mais de 40 anos de carreira, lançou 14 discos e fez parcerias com artistas da bossa nova e da MPB.

“Na música, na alegria, no otimismo e na vontade de pensar sempre no lado positivo da vida, Miúcha é um modelo (…) Ela deixou isso de bom para a gente”, disse nesta quinta-feira sua irmã Ana de Hollanda, também cantora e compositora, além de ex-ministra da Cultura.

Miúcha, apelido de Heloisa Maria Buarque de Holanda, nasceu no Rio, e era filha do historiador e jornalista Sérgio Buarque de Holanda e da pintora e pianista Maria Amélia Cesário Alvim.

Quando criança, formou um grupo vocal com seus seis irmãos, incluindo Chico Buarque. Nos anos 60, foi estudar História da Arte na França, onde começou a fazer apresentações musicais na Europa.

Na itália, conheceu a cantora chilena Violeta Parra, que a apresentou a João Gilberto, com quem se casou. Eles foram morar em Nova York, tiveram a filha Bebel e ficaram casados durante 8 anos.

Entre as faixas cantadas por ela que ficaram mais conhecidas estão “Pela luz dos olhos teus”, “Maninha” e “Vai levando”.

Sua estreia fonográfica foi em 1975, ao cantar no disco “The best of two worlds”, de João Gilberto e Stan Getz

Entre os trabalhos mais marcantes como intérpretes estão dois discos com Tom Jobim, em 1977 e 1979, e um álbum solo, “Miúcha” em 1989. Em 1977, ela participou do musical “Os Saltimbancos”.

Ela ficou mais conhecida como intérprete, mas também compôs algumas músicas como “Triste alegria” (1979), “Todo amor” (1980) e “No Carnaval de Olinda” (1982).

Bebel Gilberto publicou uma homenagem à mãe no Instagram: “Pra sempre no meu coração. Te amo muito. Descansa meu amor… Saudades”.

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Pra sempre no meu coração ❤️. Te amo muito. Descansa meu amor… saudades.

Uma publicação compartilhada por Bebel Gilberto (@bebelgilberto) em

Miúcha — Foto: Reprodução

Chico Buarque e a irmã Miúcha em momento de descontração nos bastidores do show de Bebel Gilberto em outubro de 1989 — Foto: Cristina Granato / Divulgação

Vinícius de Moraes e Miúcha durante show no Canecão, no Rio de Janeiro, “em 77 ou 78”, segundo a cantora — Foto: Chico Nelson/Arquivo pessoal

Entretenimento

Zé Neto desabafa sobre rotina de shows e chora em Americana: ‘Meu filho não quer falar comigo’

Declaração de sertanejo, que faz dupla com Cristiano, comoveu o público na 2ª noite da festa do peão neste sábado. Também se apresentaram Gustavo Mioto e Dennis DJ.

Publicado em

Do G1
Zé Neto se emocionou durante apresentação na Festa do Peão de Americana — Foto: Júlio Cesar Costa/G1
Zé Neto se emocionou durante apresentação na Festa do Peão de Americana — Foto: Júlio Cesar Costa/G1

Considerada a “dupla do momento”, Zé Neto e Cristiano tinha neste sábado (15) o show mais esperado da Festa do Peão de Americana, segundo votação dos internautas em enquete realizada pelo G1. A expectativa se confirmou. Durante quase duas horas, os sertanejos desfilaram alguns dos maiores hits da atualidade, além de surpreender e emocionar o público do rodeio. Zé Neto, em um momento de desabafo, chorou ao falar sobre a árdua rotina de apresentações.

“Eu peço desculpas, porque não estou em um dia muito bom. Sinto saudade do meu filho. Ele não quer falar comigo. Sei que ele é criança e não entende, mas um dia irá entender tudo o que faço por ele e nossa família. Muito obrigado por tudo que vocês tem feito por nós, estou aqui, porque amo cantar para vocês”, confessou Zé Neto, que se tornou pai há dois anos.

Zé Neto e Cristiano desfilaram hits durante show em Americana — Foto: Júlio Cesar Costa/G1 

Zé Neto e Cristiano desfilaram hits durante show em Americana — Foto: Júlio Cesar Costa/G1

Com um abraço, Zé Neto foi consolado pelo parceiro, que também lembrou a rotina puxada de shows, realidade vivida por muitos artistas. “A gente não consegue ser tão presente quanto gostaria. Não voltamos pra casa às 18h, como um trabalho normal. Não me lembro do último churrasco que fizemos em família”, disse Cristiano. Ele também afirmou que neste domingo (16) estariam de folga, em casa.

Zé Neto e Cristiano abriram o segundo show da noite com a estourada “Notificação Preferida” e foram recebidos com entusiasmo pelo público, que cantou junto com a dupla. Os amigos de infância, criados no interior de São Paulo, agradeceram os visitantes. Em seguida, eles emendaram os sucessos “A Gente Continua”, “Bateria Acabou” e “Seu Polícia”.

Zé Neto e Cristiano desfilaram hits durante show em Americana — Foto: Júlio Cesar Costa/G1 

Zé Neto e Cristiano desfilaram hits durante show em Americana — Foto: Júlio Cesar Costa/G1

Em clima de sofrência, o set list também contou com os hits “Estado Decadente”, “Amigo Taxista” e “Status Que Eu Não Queria”. Os fãs estavam afinados quando a dupla puxou os versos de “Largado às Traças” e fez a arena vibrar.

Recuperados, os sertanejos ainda trouxeram para o palco um momento de “modão de viola”, com sucessos de Tião Carreiro e Pardinho, Sérgio Reis, Milionário e José Rico e Trio Parada Dura. No show ainda teve espaço para clássicos de Bruno e Marrone e Leandro e Leonardo. Já passava das 4h20 deste domingo, quando Zé Neto e Cristiano se despediram dos fãs ao som de “Eu Ligo Pra Você”.

Gustavo Mioto abriu a noite

Com o recinto lotado, o jovem sertanejo, de 22 anos, abriu a segunda noite da festa em Americana. O cantor cumpriu a promessa que fez de trazer um novo show para a cidade. No repertório, hits do EP ‘Pé na Areia’, lançado em fevereiro, como “Fake News”, “3 da Manhã” e “A Lua e Eu”, embalaram os corações apaixonados dos casais. Com direito a chuva de papeis picados, Mioto cantou “Impressionando os Anjos” e emocionou os fãs.

O sertanejo lembrou do cantor Gabriel Diniz, morto no final de maio em um acidente aéreo. Ele se apresentaria na festa na próxima sexta-feira (21). “Com toda a alegria que vocês cantaram a última música, quero que vocês cantem essa que vamos dedicar ao nosso grande amigo Gabriel Diniz”, disse o cantor, que pediu à plateia uma salva de palmas após encerrar a música ‘Jennifer’.

O sertanejo também faz sucesso com o público solteiro. “Alguém mais concorda comigo que a vida de solteiro é muito mais gostosa?”, perguntou aos visitantes. Em seguida, brincou com uma fã que fazia a despedida de solteira na festa: “você vai casar dia 31 de agosto? Meus pêsames”, disse.

Especialmente para os solteiros de plantão, Mioto emendou os sucessos “Anti-Amor” e “Solteiro Não Trai”. O show ainda teve músicas de Marília Mendonça, Henrique e Juliano, Kevinho e Léo Santana, Anitta e até rock ’n roll. O cantor impressionou o público quando, na guitarra, puxou “Ana Júlia”, da banda Los Hermanos, e “Mulher de Fases”, dos Raimundos. O cantor saiu do palco às 2h35 para dar lugar a Zé Neto e Cristiano.

Dennis até amanhecer

A segunda noite de shows foi encerrada ao som de funk brasileiro. Às 5h em ponto, Dennis DJ assumiu o palco e, apesar do horário, o público se manteve no recinto. O DJ carioca está no topo, com 1,2 milhão e 2,3 milhões de seguidores no Spotify e no Youtube, respectivamente.

O Pancadão do DJ tirou o público do chão com as músicas “Só Você”, “Medley da Gaiola” e “Na Farra”. As músicas “Sou Teu Fã” e “Agora Tudo É Meu” também fizeram parte do repertório do artista que tocou até o amanhecer.

Neste domingo (16), a festa continua com Luan Santana e Fernando e Sorocaba, com ingressos disponíveis a partir de R$ 15.

Provas de montaria

No segundo round da Professional Bull Riders (PBR), 19 competidores conseguiram permanecer por 8 segundos nos touros. Silvano Alves, tricampeão mundial da modalidade, foi o melhor. No touro “Tempo de Mudança”, ele somou 86,75 pontos, a maior pontuação da noite, que também rendeu ao atleta a liderança da etapa de Americana.

Nas provas cronometradas, Ana Laura Savini Gomes foi a número um dos três tambores. A atleta marcou o menor tempo da noite: 17,336. Na segunda semifinal do Team Penning, a liderança ficou com o trio Valber Winston, Júnior Ferreira e Maurício Garcia, que somaram 27,438.

Na montaria em burros estilo “Traia Cheia”, Amarildo Rocha conquistou 65 pontos e foi o melhor da noite. Rocha está empatado em primeiro lugar com Tertuliano Rodrigues. Os dois peões têm 106 pontos.

Atleta praticante da modalidade de montaria em burro — Foto: Júlio Cesar Costa/G1

Atleta praticante da modalidade de montaria em burro — Foto: Júlio Cesar Costa/G1

Prova solidária

O ‘Desafio do Bem’, montaria especial para angariar fundos ao Hospital de Câncer de Barretos, foi no estilo ‘Traia Cheia’, com Tietê, burro invicto desde 2009. O peão Tertuliano Pereira foi o desafiado, mas não conseguiu permanecer os 8 segundos no lombo do animal.

A segunda prova da ação beneficente acontecerá no próximo sábado (22). Dessa vez, a montaria será em touro e o voluntário é o tricampeão mundial da PBR, Silvano Alves.

Para arrecadar recursos ao Hospital, até o dia 23, encerramento da festa, bandanas da instituição serão vendidas no recinto e o dinheiro será revertido integralmente à entidade.

Público acompanha a segunda noite da Festa do Peão de Americana — Foto: Júlio Cesar Costa/G1

Público acompanha a segunda noite da Festa do Peão de Americana — Foto: Júlio Cesar Costa/G1

Continue lendo

Música

Sem Luan Santana, Paula Fernandes canta hit sozinha em DVD

Desfalque de Luan Santana fez com que Paula Fernandes cantasse sozinha o dueto ‘Juntos’, durante gravação do DVD da cantora. No mesmo dia, o sertanejo estava curtindo o Dia dos Namorados com Jade Magalhães em Buenos Aires.

Publicado em

Do Terra
Sem Luan Santana, Paula Fernandes canta hit sozinha em DVD

Paula Fernandes realizou a gravação de seu novo DVD em Sete Lagoas, Minas Gerais, na noite desta quarta-feira (12).

Com o desfalque de Luan Santana, a cantora estave em busca de um novo parceiro para o feat de ‘Juntos’, versão brasileira de ‘Shallow’, canção romântica de Lady Gaga e Bradley Cooper, mas optou por fazer sozinha, com apenas a voz, violão e o coro dos fãs presentes na casa nortuna Clube Chalezinho.

No show, a sertaneja ainda recebeu outros famosos no palco, como Kell Smith, Gustavo Mioto e a dupla César Menotti e Fabiano.

Cantor recursou fazer dueto de ‘Juntos’: “Luan é insubstituível”

Gustavo Mioto foi bastante solicitado pelos internautas para substituir Luan Santana. Apesar do pedido dos fãs, o cantor não recebeu nenhum convite para dueto e, mesmo que tivesse sido convidado, não aceitaria substituir o amigo.

“Nunca fui convidado. Já tínhamos combinado outra música, sempre foi essa. E eu também não faria se fosse convidado. Não me sentiria confortável em fazer algo que o Luan fez. Ele é insubstituível. Eu entraria no ringue com o Anderson Silva pra que? Ele é incrível e eu não faria melhor do que ele”, explicou em entrevista ao jornalista Leo Dias.

Luan Santana curtiu Dia dos Namorados na Argentina

No mesmo dia da gravação do DVD de Paula Fernandes, Luan Santana já estava de viagem marcada para curtir mais um Dia dos Namorados com Jade Magalhães. Em Buenos Aires, na Argentina, o sertanejo compartilhou um clique para lá de fofa e com legenda apaixonada, destacando o amadurecimento do casal ao longo dos anos juntos.

“Eu acredito no amor. Acredito quando te olho. Acredito quando sorri pra mim. Estamos há 11 anos juntos, entre idas e vindas e mesmo assim você ainda me causa um frio na barriga. Pense, há 11 anos atrás eu tinha 17 anos e você, uma menina aprendendo a dar os primeiros passos na vida. Nós crescemos juntos em meio a tanta turbulência, e o amor sobreviveu. É por isso que acredito no amor. É por isso que canto ele nas minhas canções. Quero me casar com você, quero ter filhos com você, quero morar numa casa com uma cerquinha branca onde o sol se esconde por detrás da montanha. Seja minha esposa, minha mulher, a mãe dos meus filhos, a avó dos nossos netos, mas nunca deixe de ser minha namorada”, publicou.

Continue lendo

Música

Andre Matos, cantor de Angra e Shaman, morre aos 47 anos

Informação foi publicada pelas bandas Shaman e Angra nas redes sociais e confirmada ao G1 pelo baixista Luís Mariutti. Causa da morte não foi divulgada.

Publicado em

O roqueiro André Matos durante show em carreira solo em 2014 — Foto: Reprodução/Facebook/André Matos

Morreu neste sábado (8) Andre Matos, fundador das bandas Viper, Angra e Shaman e um dos maiores vocalistas do metal brasileiro. A informação foi publicada pelas bandas em suas redes sociais e confirmada ao G1, por telefone, pelo baixista da banda Luís Mariutti.

“O destino nos uniu, nos separou, nos reuniu e agora pregou mais essa com a gente. É com profunda dor em nossos corações que nos despedimos do Andre mais uma vez, desta vez de forma definitiva”, diz o comunicado assinado pelos companheiros e equipe da banda Shaman, Hugo Mariutti, Luís Mariutti, Ricardo Confessori, Fábio Ribeiro e Rick Dallal.

Atualmente, eles estavam em turnê de reunião da banda, em que Matos tocou entre 2000 e 2006. O último show que fizeram foi no domingo (2) e o próximo seria em 13 de julho no interior de São Paulo.

Os músicos que seguem no Angra, banda que Matos fundou em 1991, também falaram sobre a morte nas redes sociais. “Com muita dor recebemos a notícia do falecimento do Andre Matos. O Angra está de luto”, diz a nota publicada na conta oficial do grupo.

A causa da morte ainda não foi divulgada e não há informações sobre o velório.

Um dos grandes nomes do heavy metal, Matos nasceu em São Paulo em setembro de 1971 e começou a estudar música quando era criança.

A primeira banda em que fundou foi a Viper, quando ainda era adolescente, entre os anos 1985 e 1990. No Rock in Rio de 2013, o cantor fez um show em conjunto com a banda.

A criação do Angra aconteceu ao lado de Rafael Bittencourt e André Linhares, na época amigos de faculdade, em 1991. Matos gravou os quatro primeiros CDs da banda: “Angels Cry”, “Freedom Call”, “Holy Land” e “Fireworks”.

Ele seguiu no Angra até 2000, quando fundou a Shaman com o baixista Luis Mariutti e o baterista Ricardo Confessori, músicos que também fizeram parte da banda anterior. Eles tocaram juntos até 2006, quando Matos decidiu seguir em carreira solo.

No ano passado, no entanto, a banda se reuniu para uma turnê comemorativa. Eles fizeram uma apresentação em São Paulo no dia 02 de junho e tinham outra programada para 13 de julho em Santa Cruz do Rio Pardo (SP).

Continue lendo
Solutudo 300
WhatsAssp AssisNews
Publicidade

FaceNews

Mais lidas