Por projeto pessoal, Cauã Reymond deixa novela das nove da Globo

O galã já estava certo na novela de Carrasco, que tem o nome provisório de Prova de Fogo. O substituto de Cauã na novela de Carrasco ainda não foi escolhido.

Por projeto pessoal, Cauã Reymond deixa novela das nove da Globo
Por projeto pessoal, Cauã Reymond deixa novela das nove da Globo

Cauã Reymond não será mais o protagonista da novela das nove que Walcyr Carrasco escreve para a Globo estrear em outubro. O ator deixou a trama, antes mesmo de começar a se preparar para ela, para se dedicar a um projeto pessoal, o longa-metragem Pedro, sobre Dom Pedro I, do qual será protagonista e coprodutor.

O galã já estava certo na novela de Carrasco, que tem o nome provisório de Prova de Fogo. Interpretaria um médico psiquiatra que disputaria o amor da personagem de Bianca Bin com o vilão de Sérgio Guizé.

Mas Reymond já tinha acertado com a Globo que, caso viabilizasse as filmagens de Pedro, daria prioridade ao longa, que terá coprodução da Globo Filmes e será exibido como uma minissérie futuramente. Na semana passada, o filme teve as últimas verbas aprovadas. Ontem (13), o ator foi liberado da novela.

Com orçamento de R$ 11 milhões, Pedro deverá ser filmado a partir de outubro. Quarenta por cento do material será captado em Portugal. A direção será de Laís Bodanzky, de Bicho de Sete Cabeças e As Melhores Coisas do Mundo.

Eternizado como mulherengo e boêmio, dom Pedro I nasceu em Portugal e se mudou para o Brasil com dez anos. Em 1822, proclamou a Independência. Nove anos depois, abdicou do posto de imperador do Brasil e voltou para Portugal, para brigar com o irmão, Miguel, que tomara o trono de sua filha. Morreu três anos depois, após contrair tuberculose, na mesma cidade em que nasceu, Queluz _uma das principais locações do filme.

O longa é uma ideia de Cauã Reymond. Foi ele que contratou a diretora Laís Bodanzky e viabilizou parcerias com outras produtoras, as brasileiras Biônica e Buriti, a portuguesa O Som e a Fúria.

“Queremos mostrar dom Pedro de um ponto de vista mais português. Nos acostumamos a ter uma visão muito restrita sobre ele. Queremos algo mais amplo. Ele era galanteador, sim, como conhecemos, mas também muito mais do que isso. Escolhemos a Laís Bodanzky como diretora para ter um olhar mais sensível e menos machista”, contou Cauã Reymond ao Notícias da TV em agosto passado, quando viajou a Portugal para escolher locações.

“Será um filme intimista, com o ponto de vista muito amarrado em dom Pedro, e não nos eventos históricos, um pouco como na série Downtown Abbey. Vamos nos aprofundar no lado pessoal, a boemia e o porquê desse vício no sexo. Ele deixou muitos filhos bastardos no país”, disse a produtora Bianca Villar, da Biônica, ao jornalista Thiago Stivaletti, do site Filme B, em dezembro.

O substituto de Cauã Reymond na novela de Carrasco ainda não foi escolhido. Com a mudança, Reymond poderá fazer a novela de Aguinaldo Silva que a Globo exibirá em 2018.

#MAIS LIDAS DA SEMANA