Fique conectado

Televisão

Ricardo Boechat, jornalista, morre aos 66 anos em queda de helicóptero em SP

Jornalista era apresentador do Jornal da Band e da rádio BandNews FM. Aeronave bateu na parte dianteira de um caminhão que transitava pela Rodovia Anhanguera.

Publicado em

872

Ricardo Boechat, em foto de março de 2006 — Foto: José Patrício/Estadão Conteúdo/Arquivo

O jornalista, apresentador e radialista Ricardo Eugênio Boechat morreu no início da tarde desta segunda-feira (11), aos 66 anos, em São Paulo.

O jornalista estava em helicóptero que caiu na Rodovia Anhanguera, em São Paulo, e bateu na parte dianteira de um caminhão que transitava pela via.

Boechat era apresentador do Jornal da Band e da rádio BandNews FM e colunista da revista IstoÉ. Ele também trabalhou nos jornais “O Globo”, “O Dia”, “O Estado de S. Paulo” e “Jornal do Brasil” e foi comentarista no Bom Dia Brasil, da TV Globo.

Ele ganhou três vezes o Prêmio Esso, um dos principais do jornalismo brasileiro e atuou em alguns dos principais veículos e canais do país.

Boechat estava dando uma palestra em Campinas, no interior do estado, e retornava a São Paulo nesta segunda, de acordo com jornalistas da TV Band.

Ao longo de uma carreira iniciada na década de 1970, esteve jornais como “O Globo”, “O Estado de S. Paulo”, “Jornal do Brasil” e “O Dia”. Na década de 1990, teve uma coluna diária no “Bom Dia Brasil”, na TV Globo.

Bombeiros recolhem peças do helicóptero que caiu na Anhanguera — Foto: TV Globo/Reprodução

Acidente

O chamado de socorro foi feito às 12h14. A queda ocorreu perto do quilômetro 7 do Rodoanel, sentido Castelo Branco. De acordo com a CCR Rodoanel Oeste, que administra o Rodoanel, houve uma terceira vítima com ferimentos, o motorista do caminhão.

Segundo informações iniciais, o helicóptero era do hangar Sales, no Campo de Marte, na Zona Norte da capital paulista, que ficou destelhado após um vendaval nas últimas semanas.

Foram enviadas ao menos 11 viaturas para o local. A Polícia Rodoviária Estadual informou que a alça de acesso do Rodoanel à Rodovia Anhanguera precisou ser interditada. Já a rodovia não teve bloqueio.

Investigadores do Quarto Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (SERIPA IV), órgão regional do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA), começaram a investigação, que chamam de “ação inicial da ocorrência envolvendo a aeronave de matrícula PT-HPG”.

A ação inicial é o começo do processo de investigação e possui o objetivo de coletar dados: fotografar cenas, retirar partes da aeronave para análise, reunir documentos e ouvir relatos de pessoas que possam ter observado a sequência de eventos. Segundo nota, a investigação realizada pelo CENIPA tem o objetivo de prevenir que novos acidentes com as mesmas características ocorram.

Helicóptero prefixo PT-HPG que se acidentou na Anhanguera — Foto: Matheus Herrera/Arquivo pessoal

Caminhão também se envolveu em acidente com helicóptero — Foto: TV Globo/Reprodução

Carreira

Ao longo de uma carreira iniciada na década de 1970, esteve jornais como “O Globo”, “O Estado de S. Paulo”, “Jornal do Brasil” e “O Dia”. Na década de 1990, teve uma coluna diária no “Bom Dia Brasil”, na TV Globo.

O perfil de Boechat no site da Band News FM informa que ele era o recordista de vitórias no Prêmio Comunique-se – e o único a ganhar em três categorias diferentes (Âncora de Rádio, Colunista de Notícia e Âncora de TV). Em pesquisa do site Jornalistas & Cia em 2014, que listou cem profissionais do setor, Boechat foi eleito o jornalista mais admirado. Boechat lançou em 1998 o livro “Copacabana Palace – Um hotel e sua história” (DBA).

Em pesquisa do site Jornalistas & Cia em 2014, que listou cem profissionais do setor, Boechat foi eleito o jornalista mais admirado. Boechat lançou em 1998 o livro “Copacabana Palace – Um hotel e sua história” (DBA).

Ricardo Eugênio Boechat nasceu em 13 de julho de 1952, em Buenos Aires.

Ricardo Boechat, em foto de março de 2006 — Foto: José Patrício/Estadão Conteúdo/Arquivo

Entretenimento

Suspeito de matar Rafael Miguel não aceitava o namoro da filha, diz boletim

O comerciante Paulo Cupertino Matias era contra o namoro da filha, Isabela Tibcherani, com o ator da novela “Chiquititas”.

Publicado em

Da Folhapress - Via o Tempo

O comerciante Paulo Cupertino Matias, principal suspeito de executar o ator Rafael Miguel e os pais dele, João Alcisio Miguel, de 52 anos, Miriam Selma Miguel, de 50, continua foragido após o crime que ocorreu na estrada do Alvarenga, no bairro Pedreira, na zona sul de São Paulo.

Segundo informações do boletim de ocorrência, que a reportagem do site UOL teve acesso, Paulo Cupertino era contra o namoro da filha, Isabela Tibcherani, com o ator de “Chiquititas” e que ficou famoso ainda criança no comercial de TV em que pedia para a mãe comprar brócolis em um supermercado.

Acompanhado pelos pais, o jovem de 22 anos teria ido até a casa da namorada para conversar sobre o namoro. “O comerciante Paulo Cupertino Matias, de 48 anos, chegou ao local armado e atirou nas três vítimas que estavam no portão da casa. As vítimas morreram do local”, diz o boletim.

O caso, registrado como homicídio consumado, é investigado pelo 98º Distrito Policial (Jardim Miriam) e as equipes estão em diligência para localizar e prender o autor do crime.

Os corpos da família ainda estão no Instituto Médico Legal (IML) em São Paulo, e ainda não há informações sobre velório ou enterro.

‘LIVRES PARA AMAR’

Namorada do Rafael Miguel, Isabela Tibcherani publicou uma homenagem ao ator em suas redes sociais.

“Só queríamos ser livres pra amar, sem medida. Queríamos explorar o mundo e explorar a vida. Crescer, lado a lado, como um só”, afirmou.

Isabela lembrou do encontro com Rafael um dia antes do crime: “Dá pra ver pelo nosso olhar, nesse momento éramos só você e eu, em meio a todas aquelas pessoas, não tinha mais nada além de nós dois. Lembra, minha vida, que a gente casou de brincadeira? Trocamos nossas alianças pra mão esquerda e dissemos ‘Pronto! Casamos!'”.

“Tá muito difícil de assimilar mas eu quero pensar em você como o homem iluminado que é, o homem que me orgulha, que me fez a mulher mais feliz do mundo, que me apresentou o amor de verdade, que me salvou e acreditou em mim, quando muitas vezes eu pensei em desistir. Você foi meu pilar, minha força, mesmo enfrentando seus próprios problemas, mesmo vivendo uma luta constante. Lutamos juntos, até o final”, disse

Continue lendo

Famosos

Ator de Chiquititas e seus pais são mortos ao visitar família da namorada dele em SP

Rafael Miguel trabalhou na novela Chiquititas e no comercial em que criança pede brócolis. Ele e os pais foram falar com família da namorada quando foram mortos a tiros.

Publicado em

Do G1
Jovem e seus pais foram mortos ao visitar família da namorada em SP — Foto: Reprodução/ TV Globo

Jovem e seus pais foram mortos ao visitar família da namorada em SP — Foto: Reprodução/ TV Globo

O ator Rafael Henrique Miguel , de 22 anos, e seus pais morreram após serem baleados por volta das 13h55 deste domingo (9) na Estrada do Alvarenga, no bairro da Pedreira, na Zona Sul da capital paulista. Ele interpretou o personagem Paçoca, na novela Chiquititas e trabalhou no comercial em que uma criança pede brócolis à mãe.

De acordo com a Secretaria da Segurança Pública, Rafael, acompanhado de seus pais, João Alcisio Miguel, de 52 anos, e Miriam Selma Miguel, de 50, foram conversar com o pai da namorada dele sobre o namoro. Eles foram recebidos pela jovem e sua mãe.

Durante a conversa, o comerciante Paulo Curpertino Matias, de 48 anos, chegou ao local armado e atirou nas três vítimas, que morreram no local. O autor fugiu. Foi solicitada perícia ao local e carro de cadáver. O caso foi registrado como homicídio consumado no 98º DP.

Continue lendo

Entretenimento

‘Punky, a levada da breca’ vai voltar com protagonista original no mesmo papel

Punky será uma mãe solteira de três crianças tentando colocar a vida nos eixos.

Publicado em

Do AssisNews
Punky
Soleil Moon Frye no seriado 'Punky, a levada da breca'

De acordo com o site especializado “Deadline”, a sitcom lançada em 1984 terá uma continuação, estrelada pela antiga protagonista, Soleil Moon Frye.

No reboot, Punky será uma mãe solteira de três crianças tentando colocar a vida nos eixos quando conhece uma garotinha que a lembra de si mesma na infância. Por enquanto, não há previsão de estreia.

Na série original, Punky é uma menina esperta e bem-humorada que é abandonada pelos pais em Chicago. Ela então é adotada pelo fotógrafo Henry Warnimont (Arthur Bicudo na versão brasileira), interpretado por George Gaynes .

No Brasil, “Punky” foi exibida entre 1989 e 2000 pelo SBT, com um breve retorno em 2015. Na Band, a atração foi veiculada entre 2008 e 2009.

Hoje com 42 anos, Soleil Moon Frye tinha oito anos quando “Punky” fez sua estreia. Depois, a atriz esteve no elenco de “Sabrina, aprendiz de feiticeira” e participou de séries como “Friends” e “Anos incríveis”.

Continue lendo
WhatsAssp AssisNews
Solutudo 300
Publicidade

FaceNews

Mais lidas