Atletas de Cândido Mota se destacam na ‘base’ do vôlei de grandes equipes

Henrique de Carvalho Pepece, de 17 anos, e Jorge Augusto Delfino de Paula, de 18 anos, tem um sonho em comum: defender a seleção brasileira de vôlei.

A busca da realização do sonho de defender a seleção brasileira de vôlei levou os cândido-motenses Henrique de Carvalho Pepece, de 17 anos, e Jorge Augusto Delfino de Paula, de 18 anos, a buscar espaço em equipes de voleibol de polos esportivos da categoria em grandes centros.

Ambos estão conseguindo destaque em categorias de base de clubes de voleibol nos estados de São Paulo e Paraná. Henrique Pepece joga na categoria sub 19 da Associação Atlética de São Caetano do Sul, com contrato renovado recentemente. Jorge Augusto ingressou no início deste ano também na categoria sub 19 do Vôlei Caramuru, da cidade paranaense de Ponta Grossa.

Os jovens iniciaram no voleibol, participando do time masculino de Cândido Mota, com o professor José Fernandes, o ‘Nenzico’. Foi onde aprenderam as noções do vôlei e participaram de campeonatos escolares e jogos regionais pelo Estado, representando a cidade e se destacando, chegando a fases finais, inclusive com disputa de medalhas. Após ganharem projeção competindo por Cândido Mota realizaram testes e seletivas em clubes de outras cidades pelo Estado, buscando novas experiências.

Henrique Pepece se destacou jogando pela Autarquia de Assis, sob o comando da técnica Juliana Lameu, no ano de 2016. Na equipe ele obteve boas participações e resultados que o levaram à realização de novos testes no final do ano, à São Caetano do Sul, na Grande São Paulo, conseguindo ser selecionado para o time na categoria sub 17 da Associação Atlética de São Caetano do Sul, jogando sempre na posição de ponteiro.

Por sua vez, Jorge Augusto acabou tendo destaque e conseguiu ser aprovado e ingressar nas categorias de base sub 17 no Clube Ibirapuera Vôlei, na capital paulista, participando de campeonatos estaduais. No decorrer do ano, ele foi aprovado e conquistou uma vaga na equipe do vôlei Renata, na cidade de Campinas, também jogando como ponteiro.

Gratificante

Após as longas experiências e se adaptando a novas fases, vivendo longe da família e amigos, eles garantem que a experiência tem sido gratificante e que ambos têm conseguido se adaptar à nova realidade. “É muito gratificante poder buscar novas etapas do sonho, conhecer novos lugares e fazer amizades, tudo através do esporte”, disseram.

Atualmente os amigos estão separados por centenas de quilômetros. Henrique Pepece continua sendo destaque pela Associação Atlética de São Caetano do Sul. E Jorge Augusto ingressou no início deste ano também na categoria sub 19, agora por um novo clube, o Vôlei Caramuru, da cidade paranaense de Ponta Grossa.

Mas ambos dizem que sempre que possível, retornam a Cândido Mota para matar a saudade dos familiares e rever amigos do vôlei. “Sempre que estamos em Cândido Mota jogamos voleibol com nosso ex-técnico Nenzico e os amigos. As nossas experiências em outras cidades, com jogadores de várias partes do país, têm sido maravilhosas. Isso mostra a importância do esporte para os jovens e crianças, como tem sido para nós”, completaram os esportistas, orgulhosos pela nova fase, reafirmando o sonho de conseguirem sucesso no vôlei.

#MAIS LIDAS DA SEMANA