Assis se rende ao poker

O poker é um dos esportes que mais cresce no mundo. Claro que no Brasil não seria diferente. O esporte mental vem conquistando aproximadamente um milhão de novos praticantes brasileiros por ano.

A Confederação Brasileira de Texas Hold’em (CBTH), entidade que gere o poker no país, calcula que oito milhões de brasileiros praticam o esporte hoje em dia. E a expectativa é que esse crescimento continue em ritmo acelerado. Prova disso é que, até o momento, 22 Estados da Federação já possuem a sua própria federação dedicada ao poker.

Segundo Uelton Lima, presidente da Confederação Brasileira de Texas Hold’’em, a meta é dobrar o número de praticantes do esporte nos próximos três anos no Brasil. Uma meta ousada, é verdade, porém bastante plausível.

Um indicativo promissor é o crescimento meteórico do campeonato nacional de poker, o Brazilian Series of Poker (BSOP). Realizado desde 2006, o Brazilian Series Of Poker visita as maiores capitais brasileiras com suas diversas etapas e hoje consolidou-se como o maior evento de poker de toda a América Latina. Na edição de 2015, o torneio alcançou a marca de 3866 inscritos, tornando-se o segundo maior campeonato de poker do planeta.

Toda essa força foi refletida na imagem do Brasil no exterior, dando ao nosso país o status de uma das principais potências do esporte no mundo. Estamos entre os cinco países com mais fãs de poker e logo subiremos neste ranking. Com tantos outros campeonatos acontecendo por aqui, como o Latin American Poker Tour e o World Series of Poker Circuit Brazil, esse futuro está cada vez mais próximo.

Foto: flipchip (Author)/CC Public Domain

Para se ter uma ideia do quão bem o Brasil é representado pelo mundo nesse esporte, saiba que o nosso país já conta com uma lista de quatro campeões mundiais do World Series of Poker (WSOP).

O primeiro a conquistar o maior título de poker do planeta foi o curitibano Alexandre Gomes, na edição de 2008. Em 2011 foi a vez de André Akkari, a maior personalidade do poker brasileiro. A conquista do famoso bracelete dourado do World Series Of Poker se deu na meca do esporte, em Las Vegas. Quatro edições depois, em 2015, o paulistano Thiago Decano levantou o troféu e levou pra casa uma premiação de mais de 500 mil dólares. E em 2018, o goiano Roberly Felício abocanhou um prêmio de 1 milhão de dólares ao trazer o quarto bracelete dourado para o Brasil.

Foto: Juliano Maesano (Author)/CC Public Domain

Todo esse movimento em torno do esporte acabou alavancando também o mercado especializado de poker no Brasil. Atualmente, existem cerca de 500 estabelecimentos dedicados à prática no país. Uma presença que se dá em todo o território nacional, porém com uma maioria de 15% concentrada no Estado de São Paulo. E é aqui que a cidade de Assis entra na história.

Percebendo a tendência do esporte mental no país e sobretudo no Estado, os empresários Ricardo Homse e Rodrigo Novaes decidiram inaugurar o R2 Poker Club em Assis. Um ambiente acolhedor dedicado integralmente ao poker, onde profissionais e amadores podem trocar experiências e conhecimentos sobre o esporte. O estabelecimento também funciona como um ponto de encontro para treinamentos e alguns torneios. A cidade ainda conta com outra casa dedicada ao poker, o Assis Poker Club.

O fato de ser um esporte tanto presencial quanto online, pode muito bem ser aproveitado pelos moradores de Assis. Através do projeto que visa instalar wifi gratuito em 10 praças da cidade, vai ficar fácil de praticar o poker em qualquer lugar.

Entre os diversos atletas de poker de Assis, o grande destaque fica por conta de Marcel Carli. O assisense de 28 anos largou uma promissora carreira como analista de sistemas para se dedicar ao esporte que mais cresce no mundo. Entre os seus maiores resultados, destacamos o título da Copa América de 2015 (Americas Cup of Poker) e um vice-campeonato na mesma competição.

Além dessas conquistas, Marcel Carlo coleciona resultados relevantes em torneios nacionais, como um nono lugar no Brazilian Series of Poker de Balneário Camboriú e uma quarta colocação no Brazilian Series of Poker de São Paulo.

A relação de Marcel com o poker começou em 2012, na época em que estava na universidade, através dos torneios online. No ano seguinte, Marcel migrou para as competições presenciais viajando para cidades como São Paulo, Londrina e Curitiba. Em 2014, já com uma boa bagagem de experiência, ele resolveu viver exclusivamente do esporte e largou o seu emprego. Segundo os seus cálculos, seus ganhos com o esporte hoje em dia superam os 300 mil reais.

Resta agora saber quem será o próximo assisense a brilhar no mundo do poker. Seja nos clubes da cidade em torneios ao vivo, seja nas praças em torneios online, é apenas uma questão de tempo para que Assis revele o seu próximo campeão.

VEJA TAMBÉM

#MAIS LIDAS DA SEMANA