Tite conquista primeiro título usando experiência e abre caminho para renovação do Brasil

Após conquistar o primeiro título como treinador da Seleção Brasileira, Tite deve começar a trazer algumas novidades na lista de convocados. O treinador disputou a Copa América com alguns nomes experientes, como Daniel Alves e Fernandinho, que não devem disputar o Mundial de 2022. A ideia era fazer o Brasil voltar a ser campeão, após quase seis anos, e só depois dar chance para os mais jovens. Até agora, o plano do treinador tem funcionado perfeitamente, mas a parte complicada será neste segundo semestre.

Sem partidas oficiais até o final do ano, a Seleção Brasileira já confirmou dois amistosos, nos Estados Unidos, em setembro. O primeiro confronto será contra a Colômbia, no dia 7, e o segundo contra o Peru, no dia 11, relembrando a final da Copa América. Esses jogos devem ganhar alguma atenção do público, principalmente pela lista de convocados de Tite. Será a primeira, depois da conquista continental, que o treinador junta o elenco.

Por ter usado muitos jogadores acima dos 34 anos, Tite agora promete uma renovação no elenco pensando no Mundial de 2022. Logo após a conquista da Copa América, ele já mostrou que a tarefa não será fácil. Disse que uma nova equipe será construída, com novos atletas, e que até lá será complicado realizar a lista de convocados. Como exemplo, ele citou o surgimento de Everton como titular e um dos grandes nomes dentro de campo.

A pressão em cima do treinador será alta, principalmente após o título conquistado. A Seleção Brasileira tem sido colocada como principal candidata ao título da Copa do Mundo no Catar, principalmente por jornalistas e algumas cotações de apostas de futebol. No dia 21 de julho, o Brasil aparecia na frente de Alemanha e França, com 18,2% de chance de conquista, na corrida pela taça do Mundial. Ou seja, expectativa e favoritismo lá no alto.

Bons nomes

Com bastante moral e números positivos desde que assumiu, a vida de Tite na Seleção volta a ter uma tranquilidade maior. Já são 42 partidas no comando, onde conseguiu 33 vitórias, sete empates e apenas duas derrotas. Um aproveitamento de 84,1% que só é manchado pela eliminação no Mundial da Rússia, após revés de 2 a 1 contra a Bélgica. Uma queda que será usada como aprendizado para os próximos anos.

Alguns dos nomes que jogaram a Copa de 2018, e foram campeões continentais agora, devem dar espaço para jovens que estão cada vez mais aparecendo. Éder Militão, Vinícius Júnior, Paulinho, Everton e Rodrygo são apenas alguns nomes que podem aparecer na lista de convocados dos próximos amistosos. Serão atletas que vão ganhar experiência até março de 2020, quando começa os jogos das Eliminatórias.

O Brasil ainda tem Neymar, que não jogou a Copa América por lesão. O dono da camisa 10 virou uma incógnita por conta dos problemas físicos e, principalmente, os problemas fora de campo. Apesar de todo o potencial de jogar com o craque, a dependência do time por ele diminuiu. Isso é ótimo, pois caso ele volte a atuar como antigamente, Tite vai ter em mãos um elenco de dar inveja. Assim, a Seleção vai sendo montada aos poucos para realizar o sonho do hexa.

#MAIS LIDAS DA SEMANA