Fique conectado

Esporte

Assis, Bauru, Jaú e Marília serão sedes da Copa São Paulo 2020

Confira os grupos e quais times irão jogador nas regiões.

Publicado em

962

Vai começar a Copinha mais famosa do Brasil. Atletas de 128 clubes irão desfilar seus talentos nos estádios do interior paulista na 51ª edição da Copa São Paulo de Futebol Júnior.

A partir de janeiro, os times serão divididos em 32 grupos espalhados por cidades do estado de São Paulo. Dentro da região de Bauru e Marília, quatro cidades irão sediar a competição.

Confira abaixo o perfil de cada uma delas:

Assis – Estádio Antônio Viana da Silva

  • Apelido: Tonicão
  • Capacidade: 8.525 pessoas
  • Data de Inauguração: 18 de março de 1992
  • Clubes mandantes: Assisense e Vocem

A cidade de Assis irá receber a Copa São Paulo no ano em que completa 115 anos. Lar do Assisense e do Vocem, o clube tem vocação para o futebol desde a década de 1920, com o surgimento da Associação Atlética Ferroviária de Assis, que já se licenciou do futebol. Os times fizeram um acordo para se revezarem na Copinha e, na 51ª edição, o representante será o Assisense.

GRUPO 3:

  • Assisense
  • Atlético-GO
  • Dimensão Capela-AL
  • Botafogo-SP
Estádio Tonicão irá receber a Copinha — Foto: Wendell Giuli / Cedida

Estádio Tonicão irá receber a Copinha — Foto: Wendell Giuli / Cedida

Bauru – Estádio Alfredo de Castilho

  • Apelido: Alfredão
  • Capacidade: 18.866 pessoas
  • Data de Inauguração: 1º de agosto de 1935 /reinauguração: 5 de junho de 1960
  • Clube mandante: Noroeste

Depois de se ausentar por quatro anos de sediar a Copa SP, a cidade de Bauru volta ao calendário. A cidade, que revelou Pelé para o mundo do futebol, conta com o Noroeste como time representante. Em 2016, o Norusca chegou à segunda fase, mas acabou eliminado pelo Cruzeiro.

GRUPO 4:

  • Noroeste
  • Botafogo-RJ
  • Visão Celeste-RN
  • Novorizontino
Estádio Alfredão, em Bauru — Foto: Sérgio Pais

Estádio Alfredão, em Bauru — Foto: Sérgio Pais

Jaú – Estádio Zezinho Magalhães

  • Apelido: Jaúzão
  • Capacidade: 9.999 pessoas
  • Data de Inauguração: 15 de agosto de 1973
  • Clube mandante: XV de Jaú

A cidade de Jaú também é bastante tradicional no futebol. O XV de Novembro existe desde 1924 e revelou grandes craques para o futebol nacional. Alguns chegaram a vestir a camisa da seleção brasileira em uma Copa, como o pentacampeão Edmilson. É a estreia da cidade como sede da Copa SP.

GRUPO 5:

  • XV de Jaú
  • Vitória-BA
  • Serra-ES
  • Guarani
Estádio Zezinho Magalhães, em Jaú — Foto: Paulo César Grange/XV de Jaú

Estádio Zezinho Magalhães, em Jaú — Foto: Paulo César Grange/XV de Jaú

Marília – Estádio Bento de Abreu Sampaio Vidal

  • Apelido: Abreuzão
  • Capacidade: 15.587 pessoas
  • Data de Inauguração: 4 de abril de 1967
  • Clubes mandantes: Marília

Desde 2016, a cidade de Marília não sabe o que é ficar sem a Copinha em seu estádio. O time da cidade é o homônimo Marília Atlético Clube, que inclusive venceu a competição em 1979, sendo o primeiro time do interior a conseguir o feito.

GRUPO 2:

  • Marília
  • Santos
  • Timon-MA
  • Olímpico-SP
Estádio Bento de Abreu, em Marília — Foto: Rodrigo Villalba / Memory Press

Estádio Bento de Abreu, em Marília — Foto: Rodrigo Villalba / Memory Press

Grupos da Copa São Paulo 2020 — Foto: Reprodução

Grupos da Copa São Paulo 2020 — Foto: Reprodução

Grupos da Copa São Paulo 2020 — Foto: Reprodução

Grupos da Copa São Paulo 2020 — Foto: Reprodução

Esporte

Assisense goleia e segue vivo na Copa São Paulo

Time da casa cravou 5 gols, contra 0 do adversário.

Publicado em

Assessoria
Assisense goleia e segue vivo na Copa São Paulo (Foto: Departamento de Comunicação)
Assisense goleia e segue vivo na Copa São Paulo (Foto: Departamento de Comunicação)

Jogando na quente tarde de segunda-feira, 6, no Estádio Tonicão, o Assisense goleou a equipe do Dimensão Saúde pelo placar de 5 a 0 em partida válida pela segunda rodada do grupo 3 da Copa São Paulo de Futebol Júnior.

Os gols foram marcados por Aber, Ramon e Genésio no primeiro tempo e completaram na etapa final Paulo Neto e João Lucas.

Agora, o time de Assis soma 3 pontos e está na segunda posição. O Botafogo-SP, que venceu os assisenses na primeira rodada, está na liderança com 4 pontos. O último e decisivo confronto será na quinta-feira, 9, contra o Atlético Goianiense às 15h15 no Tonicão.

Continue lendo

Esporte

Assisense faz hoje seu segundo jogo na copinha

Time foi derrotado na primeira rodada.

Publicado em

O Assisense faz na tarde desta segunda-feira (6), às 13h seu segundo jogo pela Copa São Paulo de Juniores no estádio Municipal Antônio Viana da Silva, o ‘Tonicão’.

Na primeira rodada, realizada na última sexta-feira (03) o time foi derrotado por 3 a 0 pelo Botafogo e precisa de um bom resultado hoje contra o Dimensão Saúde para sonhar com a segunda fase.

Todas as partidas do Grupo 3 acontecem no estádio Tonicão, em Assis.

Edy Junior Silva/Assisense

Edy Junior Silva/Assisense

Continue lendo

Esporte

Melhor brasileiro na São Silvestre, Paraguaçuense festeja volta por cima após abandono em 2018

Daniel Ferreira do Nascimento, que é de Paraguaçu Paulista, mas corre por equipe de Bauru (SP), chegou na 11ª colocação e relembrou a decepção sofrida na prova do ano passado.

Publicado em

TV Globo/Reprdução
TV Globo/Reprdução

A 95ª edição da Corrida de São Silvestre, disputada na manhã desta terça-feira, em São Paulo, foi especial para o Centro-Oeste Paulista, que festejou o resultado do atleta Daniel Ferreira do Nascimento, de Paraguaçu Paulista, o melhor brasileiro na classificação geral. Daniel Nascimento, de 21 anos e que corre por uma equipe de Bauru, largou no pelotão de elite e chegou na 11ª colocação, com o tempo de 46min32s.

A prova foi vencida de forma espetacular pelo queniano Kibiwott Kandie, que cruzou a linha de chegada com o tempo de 42min59s, após uma arrancada nos metros finais para ultrapassar Jacob Kiplimo, de Uganda. A marca anterior, de 1995, pertencia a Paul Tergat, com 43min12s.

Com o troféu pela 11ª posição na prova desta terça-feira, Daniel Nascimento relembrou seu abandono na edição do ano passado — Foto: Arquivo pessoal

Com o troféu pela 11ª posição na prova desta terça-feira, Daniel Nascimento relembrou seu abandono na edição do ano passado — Foto: Arquivo pessoal

Após a entrevista coletiva, Daniel Nascimento aproveitou para agradecer os torcedores de Paraguaçu Paulista e de Bauru, e relembrou a decepção sofrida na prova do ano passado, quando precisou abandonar antes da chegada.

– No ano passado acabei abandonando, mas agora eu estava muito bem preparado e confesso que foi muito gratificante poder ser o melhor brasileiro nesta tradicional prova – disse o atleta enquanto exibia seu troféu na sala de entrevistas.

Para a prova deste ano, o corredor paraguçuense chegou com o grande desafio de quebrar a má fase dos atletas brasileiros, que não vencem a maior corrida de rua da América de Sul desde 2010, ano em que Marílson Gomes dos Santos sagrou-se tricampeão – antes, havia vencido em 2003 e 2005.

Daniel Nascimento sequer figurava entre as principais “promessas” brasileiras, numa lista que tinha nomes como Daniel Chaves da Silva, top 15 na Maratona de Londres deste ano e garantido na qualificação para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, e Wellington Bezerra, 18º na Maratona de Hamburgo e vice da Maratona Internacional de São Paulo, em 2018.

O paraguaçuense Daniel Nascimento (nº 58) largou no pelotão de elite ao lado de atletas estrangeiros — Foto: TV Globo/Reprodução

O paraguaçuense Daniel Nascimento (nº 58) largou no pelotão de elite ao lado de atletas estrangeiros — Foto: TV Globo/Reprodução

Continue lendo
WhatsAssp AssisNews
Publicidade

FaceNews

Mais lidas