Zagueiros falham e São Paulo e Fluminense empatam em 1×1 no Morumbi

Por erros de Gum e Toloi, Luis Fabiano e Fred marcam. Com recorde de público no Brasileirão, São Paulo e Fluminense ficam no 1 a 1

Artilheiros marcam no Morumbi, e São Paulo e Fluminense empatam

Os atacantes Fred, do Fluminense, e Luis Fabiano, do São Paulo, são os principais artilheiros do Campeonato Brasileiro. Brigam cabeça a cabeça pelo posto de goleador da competição. Com os dois em campo, todo cuidado é pouco. Os zagueiros Gum, do Flu, e Rafael Toloi, do Triclor paulista, não tiveram essa precaução. Falharam em lances capitais e permitiram o empate por 1 a 1, neste domingo, no Morumbi, pela 34 rodada. O jogo marcou o recorde de público desta edição do Brasileiro: 54.118 pagantes.

Com os gols deste domingo, Fred agora tem 17, contra 16 de Luis Fabiano. O empate deixa o Fluminense, com 73 pontos,  soberano na liderança. O São Paulo, com 59, se consolida cada vez mais na quarta posição, a última do grupo que garante vaga na Taça Libertadores.

O São Paulo volta a campo na próxima quarta-feira, para enfrentar o Universidade de Chile, no Pacaembu, jogo de volta das quartas de final da Copa Sul-Americana. Já o Fluminense joga domingo que vem, contra o Palmeiras, pelo Brasileirão.

Correria e monotonia
Dois times recheados de estrelas, com escalações ousadas – ambos com três atacantes e contando com os principais goleadores do Brasileirão: Fred e Luis Fabiano. O clima era de final, expectativa de grande jogo, muita gente nas arquibancadas. O cenário estava preparado, mas o espetáculo ficou só na promessa. O que se viu foi uma partida burocrática. No máximo, morna.
Os tricolores começaram se respeitando demais. A marcação era forte e os destaques não conseguiram caminhar em campo. O são-paulino Lucas, bastante acionado, sofria com faltas. Em uma delas, num carrinho de Edinho, aos 25, por pouco o atacante não sofreu uma lesão mais grave. Pelo lado carioca, Wellington Nem tentava levar perigo em arrancadas, mas, como Lucas, foi freado pelos defensores adversários.

Aos poucos, as marcações foram se afrouxando, os times começaram a chegar mais, mas ainda sem conseguir ameaçar efetivamente os goleiros. Tanto que Rogério Ceni e Diego Cavalieri só praticaram uma defesa cada. Ceni, aos 24, num chute cruzado de Carlinhos, de pé esquerdo; Cavalieri, aos 38, em cabeçada de Osvaldo.

Um primeiro tempo corrido, mas sem muita graça.

O que é isso, zagueirão!
Talvez incomodados com a monotonia do primeiro tempo, Gum e Toloi resolveram dar graça à partida. Aos 4, o defensor do time carioca tentou recuar a bola para Cavalieri, mas o passe, de tornozelo, saiu fraco. Esperto, Luis Fabiano alcançou a bola, passou pelo goleiro e abriu o placar.

Em êxtase, a torcida são-paulina festejava o gol, que colocava o Fabuloso na ponta da artilharia, ao lado de Fred, ambos com 16, e ria da falha bisonha de Gum. Mas aos 18, foi a vez de Toloi retribuir. Ele tentou cercar a bola na linha de fundo, pela esquerda, mas perdeu para Samuel, que passou para Fred empatar a partida e retomar a ponta da artilharia.

Os gols animaram as equipes, que passaram a trocar ataques. O Fluminense, melhor posicionado, foi mais perigoso, mas parou em Rogério Ceni, como aos 19, quando o goleiro fez grande defesa em chute de Fred. O São Paulo conseguia fazer bem a transição do meio para o ataque, sempre com velocidade, mas falhava na hora do passe final. Quando conseguiram invadir a área, os paulistas esbarraram em Diego Cavalieri: aos 46, ele espalmou chute forte de Ademílson, garantindo o empate.

No mais, trocas de ataques, correria, disputas intensas pela bola, mas nenhuma chance mais clara de gol. Os dois tricolores seguem em posição confortável. Os cariocas têm uma mão da taça. Os paulistas estão próximos de garantir vaga na Taça Libertadores.

VEJA TAMBÉM

#MAIS LIDAS DA SEMANA