São Paulo leva gol após trapalhada e perde jogo sonolento em Mogi Mirim

Ambos jogarão as quartas de final como mandantes.

Mogi Mirim e São Paulo, pela última rodada da primeira fase (Foto: Rafael Bertanha/E aí? Produções)

Após muita adrenalina com a classificação para as oitavas da Libertadores, o São Paulo relaxou e descansou. Em jogo sonolento e que atuou recheado de reservas, perdeu para o Mogi Mirim por 1 a 0, neste domingo, em Mogi Mirim, em partida com pouco interesse para o time.

Na próxima fase, o time do Morumbi encara em seu estádio nas quartas de final a Penapolense, oitava colocada da primeira fase.

O resultado no interior não influenciaria a posição e nem adversários do time do Morumbi nas quartas de final do Paulista, já que estava assegurado como primeiro colocado e só aguardava para conhecer o oitavo e último colocado.

Mas o mau resultado desta tarde evita uma garantia antecipada de poder jogar todos os jogos com vantagem de mando de campo até uma eventual decisão do torneio.

Com apenas dois pontos a mais do que Santos e Mogi Mirim, o time do Morumbi pode ter que decidir fora em uma eventual final entre os dois clubes caso avance à decisão com empates e seja ultrapassado na pontuação total (os resultados da fase final são considerados).

O técnico Ney Franco mandou a campo neste domingo uma equipe completamente reserva. O único titular anunciado antes do confronto, o atacante Luis Fabiano, foi cortado horas antes.

Ele foi cortado por uma contratura na região posterior da coxa esquerda. Não foi anunciado o prazo de seu retorno. Com isso, o ataque foi formado por Wallyson e Ademílson.

Desentrosado, o São Paulo pouco produzia e praticamente não assustava o goleiro Daniel. O Mogi também demonstrava pouca empolgação e colaborava para um jogo morno no primeiro tempo.

Mogi Mirim atacou muito mais do que o São Paulo neste domingo (Foto: Rafael Bertanha/E aí? Produções)

O time do interior chegava um pouco mais, usando jogadas de velocidades e bolas alçadas na área. Algumas delas assustaram o goleiro Dênis. O São Paulo permanecia apático e lento. Cañete, responsável pela armação, estava sumido.

E o “sono” são-paulino fez o Mogi abrir o placar no fim do primeiro tempo em uma verdadeira trapalhada. Aos 41min, após uma cobrança de tiro de meta, Dênis, Rodolfo e Fabrício passaram a trocar passes. Mas o último vacilou e errou o toque. Roger foi mais rápido, ruobou a bola e invadiu a área para finalizar e abrir o placar.

Para piorar, o volante Fabrício ainda teve que ser substituído no intervalo por Douglas por sentir uma lesão na coxa. O patamar não mudou na segunda etapa, e o São Paulo não chegava. Aos 15min, Ney Franco se cansou da inoperância de Cañete e sacou o argentino para a entrada do novato Adelino.

Mas nada mudou. A partida continuava com ritmo de treinamento. Muitos toques laterais com pouca objetividade.  Nem mesmo a chance de mostrar serviço para Ney Franco parecia inspirar os tricolores.

O Mogi Mirim também era ineficiente nos contra-ataques e fazia com que a partida tivesse pouca emoção até o final.

Veja os duelos das quartas de final:

São Paulo x Penapolense – Morumbi
Mogi Mirim x Botafogo – Romildo Ferreira
Santos x Palmeiras – Vila Belmiro
Ponte Preta x Corinthians – Moisés Lucarelli

#MAIS LIDAS DA SEMANA