Estrutura, idioma e fome de título: Arthur comemora nova realidade no Barça

Há pouco mais de uma semana no Barcelona, volante diz que quer acelerar processo de adaptação e “entrar nos trilhos o mais rápido possível” para atuar pelo clube culé já na temporada 2018/2019.

Apresentado no Barcelona há pouco mais de uma semana, Arthur já consegue perceber a diferença entre atuar no Brasil e no exterior. Apesar de ter contado com uma boa estrutura, a nível nacional, no Grêmio, o volante enaltece a grandeza do Barça e aponta algumas particularidades dos treinamentos na Europa.

– São diversas coisas. Realmente o Grêmio tem uma estrutura fantástica, falando de Brasil. Mas falando de Europa, acho que o Barcelona é referência mundial, pela grandeza do clube, pela estrutura. Os treinos aqui, realmente, os treinos são um pouco diferentes, mais curtos e intensos. Essas foram as principais características que senti a diferença – disse Arthur, em entrevista ao Planeta SporTV.

Ansioso para entrar em campo vestindo a camisa do clube culé, o jogador não poupa esforços para se ambientar o mais rápido possível. O meio-campista prefere nem considerar a possibilidade de ser emprestado na primeira temporada na Europa: vai se doar ao máximo para dar os primeiros passos na história do Barça a partir de agora.

– Não cheguei a pensar nisso. Meu foco é entrar nos trilhos o mais rápido possível. Vou fazer de tudo para me adequar ao estilo de jogo do Barcelona, ter um entrosamento maior com a equipe. Meu objetivo é permanecer no Barcelona, ter uma carreira linda aqui, com vários títulos. Minha cabeça está centrada, 100% nessa ênfase minha.

Arthur nem pensa em ser emprestado: quer começar a jogar pelo Barça já na temporada 2018/2019 (Foto: REUTERS/Albert Gea)

De olho na ida para o Barcelona, Arthur iniciou as aulas de espanhol quando ainda atuava pelo Grêmio. O volante destaca que compreende muito bem o idioma, mas ainda tem um pouco de dificuldade para se expressar – nada que não possa ser superado com uma ajuda dos companheiros brasileiros.

– Eu estou falando com todos, realmente são pessoas do bem, pessoas agradáveis, me receberam muito bem. Com certeza vai ter mais afinidade com brasileiro por causa do idioma. Como eu não falo tão bem o espanhol, às vezes converso um pouco mais com os brasileiros. Mas os brasileiros que estão aqui já falam espanhol fluentemente, então sempre estão enturmados na resenha. Então a gente vai conversando, o que eu não consigo falar, pergunto para um brasileiro. A gente se diverte – finaliza.

VEJA TAMBÉM

#MAIS LIDAS DA SEMANA