Fique conectado

Lutas

Mayweather dá aula de boxe em dez rounds e nocauteia Conor McGregor

Americano chega às cinquenta vitórias em cinquenta lutas e se aposenta invicto diante do irlandês, que começou a luta bem, mas não resistiu à maior categoria do rival.

Publicado em

95

Floyd Mayweather nocauteou Conor McGregor em Las Vegas e ficou com o “Money Belt” (Foto: Getty Images)

Na luta do dinheiro, venceu o “Money”. Contra tudo e contra todos, Floyd Mayweather cumpriu o que prometeu. Com uma performance dominante a partir do quarto round, o americano venceu por nocaute técnico a 1m05s do décimo assalto um surpreendente Conor McGregor e manteve a invencibilidade no boxe profissional. Voltando após dois anos de aposentadoria, o americano não se importou com as vaias na T-Mobile Arena, estudou o adversário nos quatro primeiros rounds, quando foi atacado, e daí em diante ditou o ritmo contando com o cansaço do irlandês. Ainda em cima do ringue, Floyd, agora aplaudido, anunciou que está definitivamente aposentado após voltar a nocautear, o que não acontecia desde 2011, contra Victor Ortiz.

– Ele é um competidor muito duro, eu acho que demos aos fãs o que eles gostariam de ver. Ele foi muito melhor do que eu achei que era. Essa foi a nossa estratégia, deixar ele jogar os golpes mais fortes no começo e cansá-lo. Eu dei a minha garantia de que essa luta não iria para a decisão. Essa é a minha última luta, senhoras e senhores, com certeza – disse Floyd, que entrou na arena com roupas negras e uma máscara que só deixavam seus olhos e lábios à mostra.

Com a vitória, Mayweather não apenas engorda ainda mais sua conta bancária, chegando a aproximadamente US$ 1 bilhão na carreira, como também amplia seu cartel invicto. Agora são 50 triunfos e nenhuma derrota. Apesar de ter citado várias vezes que não contaria essa luta para seu recorde, ele ultrapassa a lenda Rocky Marciano, que teve 49 vitórias e nenhuma derrota na carreira. O nocaute dá ao americano o “Money Belt”, mais um na sua coleção, uma cinta feita com pedras preciosas especialmente pelo Conselho Mundial de Boxe para a luta.

– Ele não é tão rápido e tão forte, mas como ele é sereno na luta, eu achei que estava equilibrado. Acho que o juiz interrompeu muito cedo. Eu fico um pouco cambaleante quando estou cansado. Aquilo era fadiga. Eu não tinha me entregado. Ninguém assume esse tipo de risco. Deixa o cara me derrubar. Eu o dominei nos primeiros rounds. Ele tinha que me nocautear, não sei como me sentir agora. Vamos ver o que acontece, agora vou me divertir – disse McGregor sobre se continuará sua carreira no boxe, para depois garantir que retornará ao UFC. O irlandês entrou no ringue com os dois cinturões do UFC, apesar de não ser mais o campeão peso-pena.

McGregor começa melhor, mas Mayweather domina depois

Vestindo branco, Conor McGregor tratou de mostrar desde o soar do gongo que nãoestava lá  para brincadeiras. O round inicial teve exatamente a ação esperada. Conor encurralou Floyd nas cordas e soltou boas sequências. Mayweather dançou pelo ringue e procurou apenas se defender. Vendo que o rival não atacava tanto, o irlandês chegou a abaixar a guarda e colocar as mãos para trás, zombando. A torcida foi ao delírio e gritava: “Olê, Olê, Olê, Olê, Conor, Conor”. No replay do round, os golpes conectados pelo campeão do UFC tiravam aquele “Uhhhh”.

Floyd Mayweather castigou Conor McGregor a partir do quarto round, conseguindo o nocaute no décimo (Foto: Reuters)

O segundo round foi um pouco mais frio, mas Conor pareceu mais à vontade. O irlandês usava a mão direita à frente e, com sua envergadura, evitava o americano. Na segunda metade do round, Conor segurou Mayweather por duas vezes pela cintura e o árbitro chamou a sua atenção. No terceiro round, Conor acertou bons jabs, Floyd teve boas esquivas e também acertou mais. O irlandês, por três vezes, foi advertido por golpes na nuca.

O quarto round foi de trocação franca. Conor parecia aparentar mais cansaço, e Mayweather passou a soltar mais golpes. Os dois se acertaram com socos limpos, e Floyd acertou uma bomba em cheio. Depois, explorou a linha de cintura do irlandês. No round posterior, McGregor perdeu o domínio. Floyd dominou o centro, abusou de socos na linha de cintura com combinações de jabs e diretos no rosto do irlandês. No fim do round, Conor deu um soquinho provocativo no americano.

No sexto round, Mayweather tentou manter os ataques. A torcida começou a apoiar ainda mais Conor McGregor. Numa boa sequência finalizada com um cruzado, Mayweather levantou sua torcida. No ápice do round, Conor mostrou a língua para o rival após evitar soco. O sétimo round mostrou o cansaço de McGregor. Levou mais golpes por estar com a guarda mais baixa. Mayweather, quando era pressionado, virava de costas como que numa estratégia de defesa, forçando o árbitro a parar o combate.

No nono assalto, McGregor chegou a bater em Mayweather quando o árbitro dava orientações para os dois. Na metade da ação, o americano tomou a iniciativa e Conor chegou a se escorar em Floyd após levar uma combinação. Com um minuto final dominante, Mayweather ficou perto do nocaute técnico e o gongo pareceu ter salvado o irlandês. Na volta, Mayweather seguiu com os ataques, teve sequências precisas de golpes e fez o árbitro interromper o combate por nocaute técnico no décimo round. Ao perceber a vitória, Mayweather correu para as cordas e comemorou muito.

Enquanto teve fôlego, Conor McGregor conseguiu agredir Floyd Mayweather (Foto: Steve Marcus/Reuters)

Publicidade

Lutas

Vinícius Dionizio venceu por nocaute no FightDragon Kickboxing na edição da Bolívia

Nesta luta, o atleta assisense, teve que perder 6 kg para se enquadrar na categoria dos médios de 80 kg.

Publicado em

Do AssisNews
Vinícius Dionizio venceu por nocaute no FightDragon Kickboxing na edição da Bolívia

O assisense Vinicius Dionizio disputou este final de semana na Bolívia o FightDragon Kickboxing, evento profissional que já tem várias edições realizadas no Brasil, Japão e Bolívia. Vinicius representa a academia Marega Thai Fight e Fitness como aluno e instrutor, e também representa a cidade de Assis pela SEMEA como atleta de Kickboxing, inclusive sempre levou o nome da cidade nos Jogos Abertos.

Nesta luta internacional ele teve que perder 6 kg para se enquadrar na categoria dos médios de 80 kg, uma categoria perigosa em que o lutador deste peso tem força e velocidade de forma equilibrada, portanto alto poder de nocaute, não pode vacilar nem 1 segundo, porque isso pode representar fim de combate. Mas o nocaute saiu a favor do Brasileiro, que no segundo round encaixou dois poderosíssimos ganchos na linha de cintura do Boliviano que despencou na lona e não conseguiu mais se levantar.

Vinicius agradece o apoio de toda Academia Marega Thai, dos alunos e parceiros de treino. Além do seu professor Bruno Marega e dos patrocinadores: Karony Painéis, BigPower, Doctor Muscle, Ricieri, Casa das Miudezas e Elétrica Forte.

Vinícius Dionizio venceu por nocaute no FightDragon Kickboxing na edição da Bolívia (Foto: Divulgação)

Continue lendo

Lutas

Lutadores de Cândido Mota disputam campeonato catarinense de boxe

Publicado em

De O Diário do Vale
Lutadores de Cândido Mota disputam campeonato catarinense de boxe (Foto: Divulgação)

O boxeador cândido-motense Mateus Leopoldino da Silva, 31 anos, da categoria super pesado, acima de 91 quilos, do boxe olímpico (amador), venceu por w.o. a primeira etapa do Campeonato Catarinense, que está sendo disputado em Itajai, em luta que seria realizada no dia 22 de setembro com Rodrigo Benta, da equipe ‘Sergião Boxe’, de Santa Catarina. O boxeador catarinense, mesmo estando no local da luta, desistiu do combate alegando problemas de saúde. O lutador de Cândido Mota está disputando a competição pela equipe ‘Duhal Boxe’, de Curitiba.

A competição é seletiva e eliminatória. A vencedor de cada etapa avança para a fase seguinte. A próxima luta de Mateus Leopoldino acontece neste sábado, dia 6. O adversário será conhecido momentos antes do embate. O vencedor das sete etapas eliminatórias ganhará o direito de diputar o Campeonato Brasileiro representando o Estado de Santa Catarina. “O Campeonato Catarinense é muito bem organizado. Sinto que estou bem e que posso avançar às próximas etapas”, disse o lutador cândido-motense.

Apesar do bom desempenho na carreira, ele ainda não tem patrocinador máster. Dessa forma, ele busca apoiadores em Cândido Mota e cidades da região, para que possa atuar nas competições em que é convidado. “Na primeira luta em Santa Catarina, tive o apoio da Ótima Nutri Suplementos, da Auto Escola Félix, do Espaço Sintonia e da Academia Max Forma. As despesas para estar nestas competições são muito altas e está cada vez mais difícil marcar presença nelas. Por isso, coloco-me à disposição de empresários, comerciantes e prestadores de serviços que queiram estar comigo neste desafio”, falou Mateus Leopoldino.

75 quilos

A competição catarinense teve outro lutador de Cândido Mota. O jovem Alexander Silveira lutou na categoria 75 quilos, e acabou derrotado por pontos para João Ferreira, de Joinvile. O resultado desclassificou o boxeador, que agora ficará esperando a próxima competição para entrar no ringue. Enquanto isso, continua treinando em Cândido Mota, para ganhar forma física e técnica. “O Alexander é um boxeador muito técnico. Mas acabou perdendo por pontos uma luta em que ele foi muito bem. Agora ele vai continuar se preparando para as próximas competições”, disse Mateus.

Continue lendo

Lutas

Rampage nocauteia Wanderlei em luta animada; Mousasi mantém título

Luta foi realizada no último sábado (29), em San Jose (EUA).

Publicado em

Do MSN
Rampage Jackson nocauteou Wanderlei Silva no segundo round de luta (Foto: Esther Lin/MMA Fighting)

Uma noite de grandes lutas marcou o card histórico do Bellator 206, realizado no último sábado (29), em San Jose (EUA). Na luta principal, com um grande desempenho, Gegard Mousasi nocauteou Rory MacDonald no segundo round e manteve o título peso-médio da organização. No co-main event, o outro nocaute foi aplicado por Quinton “Rampage” Jackson, que travou um duelo intenso com Wanderlei Silva e saiu vencedor no segundo assalto, empatando a rivalidade diante do brasileiro.

Ainda no card principal, na abertura do GP dos meio-médios da organização, Douglas Lima teve uma atuação segura e finalizou Andrey Koreshkov no quinto round. Na luta anterior, pela divisão peso-pena, o brasileiro Leandro Higo não teve chances contra o prospecto Aaron Pico, que o nocauteou ainda no primeiro round de luta.

Mousasi supera MacDonald e mantém cinturão

Com muito respeito e pouca movimentação, Gegard Mousasi e Rory MacDonald só trocaram os primeiros golpes após três minutos de luta e o campeão dos médios teve uma leve vantagem no primeiro round, controlando melhor o ritmo e tendo a favor sua envergadura nos momentos de aproximação na luta em pé. No segundo assalto, ao aproveitar uma brecha, Mousasi levou a luta para o chão e, a partir daí, dominou o canadense, conseguindo a montada e, com bons golpes no ground and pound, nocauteou MacDonald, mantendo o título peso-médio da organização.

Derrotado por Mousasi em superluta válida pela divisão dos médios, Rory MacDonald agora terá que concentrar suas atenções no GP dos meio-médios da organização, categoria onde é o atual campeão.

Rampage nocauteia Wanderlei em duelo intenso

Wanderlei Silva e Rampage Jackson levaram alguns minutos para, de fato, se colidirem. Com provocações, o brasileiro chamou o americano para a briga e levou o primeiro golpe, mas absorveu bem. “Wand” mostrava mais movimentação e chegava a responder os golpes, no entanto, levava clara desvantagem na curta e média distância.

No segundo round, o duelo esquentou de vez e ambos foram para a trocação franca, levando o público ao delírio. Na sequência, Rampage aplicou um cruzado que fez o paranaense balançar. Depois de mais um momento de intensa troca de golpes, o americano abriu distância e, ao aproxima, conectou mais um potente soco de direita, levando Wanderlei ao chão e garantindo a vitória com mais uma sequência de golpes no ground and pound. Agora, a rivalidade está empatada, com dois triunfos para cada lado.

Douglas Lima vence em trilogia e avança no GP

Após um início cauteloso, Andrey Koreshkov teve como primeira ação tentar derrubar Douglas Lima, mas não obteve êxito. Defendendo bem as investidas do adversário, o brasileiro aplicou bons chutes e levou vantagem no primeiro round. No segundo assalto, o confronto seguiu sem maiores ações, e Douglas seguiu defendendo bem as tentativas de queda do russo e, com boa movimentação, seguiu melhor nos poucos momentos de trocação.

A terceira parcial seguiu o mesmo roteiro e Douglas continuou castigando com chutes o russo Koreshkov, que com a movimentação comprometida por conta dos golpes recebidos, seguia tentando a aproximação, mas não conseguia derrubar o brasileiro. No quarto round, Douglas Lima manteve o ritmo e, de forma dominante, frustrou as ações de Andrey, que quase foi nocauteado no final, sendo salvo pelo soar do gongo. No quinto e último assalto, o brasileiro sacramentou seu grande desempenho e, após sequência de golpes no ground and pound, grudou nas costas do russo, finalizando com um mata-leão.

Com o triunfo na trilogia contra Andrey Koreshkov, Douglas Lima vence sua primeira luta no GP dos meio-médios da organização e avança de fase. O brasileiro agora vai encarar o vencedor da luta entre Paul Daley e Michael Page, que também prometem um grande show.

Pico volta a brilhar e nocauteia Leandro Higo

Os dois lutadores começaram o combate na trocação franca, com Aaron Pico agindo de forma mais ofensiva sobre Leandro Higo, que respondia bem com golpes no contra-ataque. O americano teve momento de destaque ao conectar um forte soco no brasileiro, que balançou. A partir daí, Pico apertou o ritmo e, com excelência no Boxe, não deu chances para Higo se recuperar, saindo vencedor por nocaute ainda no primeiro round, após uma dura sequência de golpes. Foi a quarta vitória do jovem atleta, de apenas 22 anos, no MMA, todas conquistadas no Bellator.

RESULTADOS COMPLETOS:

Bellator 206

San Jose, na Califórnia (EUA)

Sábado, 29 de setembro de 2018

Card principal

Gegard Mousasi derrotou Rory MacDonald por nocaute técnico no 2R

Quinton “Rampage” Jackson derrotou Wanderlei Silva por nocaute técnico no 2R

Douglas Lima finalizou Andrey Koreshkov com um mata-leão no 5R

Aaron Pico derrotou Leandro Higo por nocaute técnico no 1R

Keri Melendez derrotou Dakota Zimmerman por decisão dividida dos jurados

Gaston Bolanos derrotou Ysidro Gutierrez por nocaute técnico no 2R

Card preliminar

Adam Piccolotti derrotou James Terry por decisão unânime dos jurados

Cass Bell finalizou Ty Costa com um armlock no 2R

Arlene Blencowe derrotou Amber Leibrock por nocaute técnico no 3R

Jeremiah Labiano derrotou Justin Smitley por nocaute técnico no 1R

Josh San Diego derrotou Joe Neal por decisão dividida dos jurados

Chuck Campbell derrotou Joseph Ramirez por decisão unânime dos jurados

Anthony Figueroa Jr. derrotou Samuel Romero por decisão unânime dos jurados

Continue lendo
WhatsAssp AssisNews
Publicidade

FaceNews

Mais lidas