Fique conectado

Lutas

Mayweather dá aula de boxe em dez rounds e nocauteia Conor McGregor

Americano chega às cinquenta vitórias em cinquenta lutas e se aposenta invicto diante do irlandês, que começou a luta bem, mas não resistiu à maior categoria do rival.

Publicado em

4

Floyd Mayweather nocauteou Conor McGregor em Las Vegas e ficou com o “Money Belt” (Foto: Getty Images)

Na luta do dinheiro, venceu o “Money”. Contra tudo e contra todos, Floyd Mayweather cumpriu o que prometeu. Com uma performance dominante a partir do quarto round, o americano venceu por nocaute técnico a 1m05s do décimo assalto um surpreendente Conor McGregor e manteve a invencibilidade no boxe profissional. Voltando após dois anos de aposentadoria, o americano não se importou com as vaias na T-Mobile Arena, estudou o adversário nos quatro primeiros rounds, quando foi atacado, e daí em diante ditou o ritmo contando com o cansaço do irlandês. Ainda em cima do ringue, Floyd, agora aplaudido, anunciou que está definitivamente aposentado após voltar a nocautear, o que não acontecia desde 2011, contra Victor Ortiz.

– Ele é um competidor muito duro, eu acho que demos aos fãs o que eles gostariam de ver. Ele foi muito melhor do que eu achei que era. Essa foi a nossa estratégia, deixar ele jogar os golpes mais fortes no começo e cansá-lo. Eu dei a minha garantia de que essa luta não iria para a decisão. Essa é a minha última luta, senhoras e senhores, com certeza – disse Floyd, que entrou na arena com roupas negras e uma máscara que só deixavam seus olhos e lábios à mostra.

Com a vitória, Mayweather não apenas engorda ainda mais sua conta bancária, chegando a aproximadamente US$ 1 bilhão na carreira, como também amplia seu cartel invicto. Agora são 50 triunfos e nenhuma derrota. Apesar de ter citado várias vezes que não contaria essa luta para seu recorde, ele ultrapassa a lenda Rocky Marciano, que teve 49 vitórias e nenhuma derrota na carreira. O nocaute dá ao americano o “Money Belt”, mais um na sua coleção, uma cinta feita com pedras preciosas especialmente pelo Conselho Mundial de Boxe para a luta.

– Ele não é tão rápido e tão forte, mas como ele é sereno na luta, eu achei que estava equilibrado. Acho que o juiz interrompeu muito cedo. Eu fico um pouco cambaleante quando estou cansado. Aquilo era fadiga. Eu não tinha me entregado. Ninguém assume esse tipo de risco. Deixa o cara me derrubar. Eu o dominei nos primeiros rounds. Ele tinha que me nocautear, não sei como me sentir agora. Vamos ver o que acontece, agora vou me divertir – disse McGregor sobre se continuará sua carreira no boxe, para depois garantir que retornará ao UFC. O irlandês entrou no ringue com os dois cinturões do UFC, apesar de não ser mais o campeão peso-pena.

McGregor começa melhor, mas Mayweather domina depois

Vestindo branco, Conor McGregor tratou de mostrar desde o soar do gongo que nãoestava lá  para brincadeiras. O round inicial teve exatamente a ação esperada. Conor encurralou Floyd nas cordas e soltou boas sequências. Mayweather dançou pelo ringue e procurou apenas se defender. Vendo que o rival não atacava tanto, o irlandês chegou a abaixar a guarda e colocar as mãos para trás, zombando. A torcida foi ao delírio e gritava: “Olê, Olê, Olê, Olê, Conor, Conor”. No replay do round, os golpes conectados pelo campeão do UFC tiravam aquele “Uhhhh”.

Floyd Mayweather castigou Conor McGregor a partir do quarto round, conseguindo o nocaute no décimo (Foto: Reuters)

O segundo round foi um pouco mais frio, mas Conor pareceu mais à vontade. O irlandês usava a mão direita à frente e, com sua envergadura, evitava o americano. Na segunda metade do round, Conor segurou Mayweather por duas vezes pela cintura e o árbitro chamou a sua atenção. No terceiro round, Conor acertou bons jabs, Floyd teve boas esquivas e também acertou mais. O irlandês, por três vezes, foi advertido por golpes na nuca.

O quarto round foi de trocação franca. Conor parecia aparentar mais cansaço, e Mayweather passou a soltar mais golpes. Os dois se acertaram com socos limpos, e Floyd acertou uma bomba em cheio. Depois, explorou a linha de cintura do irlandês. No round posterior, McGregor perdeu o domínio. Floyd dominou o centro, abusou de socos na linha de cintura com combinações de jabs e diretos no rosto do irlandês. No fim do round, Conor deu um soquinho provocativo no americano.

No sexto round, Mayweather tentou manter os ataques. A torcida começou a apoiar ainda mais Conor McGregor. Numa boa sequência finalizada com um cruzado, Mayweather levantou sua torcida. No ápice do round, Conor mostrou a língua para o rival após evitar soco. O sétimo round mostrou o cansaço de McGregor. Levou mais golpes por estar com a guarda mais baixa. Mayweather, quando era pressionado, virava de costas como que numa estratégia de defesa, forçando o árbitro a parar o combate.

No nono assalto, McGregor chegou a bater em Mayweather quando o árbitro dava orientações para os dois. Na metade da ação, o americano tomou a iniciativa e Conor chegou a se escorar em Floyd após levar uma combinação. Com um minuto final dominante, Mayweather ficou perto do nocaute técnico e o gongo pareceu ter salvado o irlandês. Na volta, Mayweather seguiu com os ataques, teve sequências precisas de golpes e fez o árbitro interromper o combate por nocaute técnico no décimo round. Ao perceber a vitória, Mayweather correu para as cordas e comemorou muito.

Enquanto teve fôlego, Conor McGregor conseguiu agredir Floyd Mayweather (Foto: Steve Marcus/Reuters)

Publicidade

*

Atletas do Kickboxing vencem Campeonato em Marília

Atletas de Assis representaram a cidade no Elity Fight Championchip na modalidade de Kickboxing.

Publicado em

Os atletas que treinam na Academia Marega Thai em Assis e representam a cidade pela Secretaria Municipal de Esportes participaram no final de semana  na cidade de Marília do Elity Fight Championchip na modalidade de Kickboxing.

Segundo o professor Bruno Marega, o evento foi um sucesso já que todos os atletas de Assis venceram, e o destaque do adulto profissional  ficou com Cesar Oliveira campeão do título profissional do evento desbancando Marília na semi-final e Araçatuba na final.

Também foram campeões: Isadora Carneiro na categoria Juvenil Amador, Ryan Pedroso na categoria Juvenil Amador, Fabio Borges  no Adulto Semi Profissional e Flávio Cebs no Adulto Semi Profissional.

César Oliveira campeão profissional absoluto de Kickboxing (Foto: Divulgação)

Continue lendo

Judô

Judô Assis disputa Campeonato Paulista em Araçatuba

O Campeonato Paulista está em sua fase Inter Regional.

Publicado em

Seguindo o cronograma de atividades, a equipe de Judô Assis, participa neste final de semana do Campeonato Paulista em sua fase Inter Regional, na cidade de Araçatuba.

O evento acontece no Ginásio Municipal de Esportes Plácido Rocha, nas classes sub 15, 18 e 21, participando as 3ª, 4ª, 5ª, 6ª e 13ª Delegacias e na categoria Sênior – Divisão Especial que será aberto a todos os atletas do Estado São Paulo.

Continue lendo

Esporte

Atletas de Cândido Mota se destacam na Copa Xtreme de Jiu-Jitsu em Vera Cruz

Publicado em

Os atletas de jiu-jitsu de Cândido Mota, se destacaram na 8ª Etapa da Copa Xtreme, realizada no último dia 4, na cidade de Vera Cruz. O professor ‘Faixa Preta’, Vinícius Manfio de Lima, perdeu a final da categoria e ficou com a medalha de prata.

Ele também fez uma ‘luta casada’ com outro faixa preta e venceu. Outro competidor, Fernando Manoel Oliveira Santos, ficou com a ‘prata’ em sua categoria, a ‘faixa branca’. Paulo Ricardo Coelho Xavier foi ‘prata’ na categoria ‘faixa branca’.

Luiz Henrique Ribeiro Marques ficou com o ‘bronze’ na categoria ‘faixa azul’. Danilo Caetano ficou com a ‘prata’ em sua categoria, a ‘Sem Kimono no Gi faixa Azul’. Eduardo Ribeiro foi campeão no ‘Gi’ em sua categoria ‘faixa azul e ‘prata’ na categoria ‘Com Kimono’.

Por sua vez, Lucas Leme ficou com o ‘bronze’ na ‘faixa azul’ e com o ‘bronze’ também no ‘Absoluto Azul (todos os pesos)’. Lucas Prado ficou com o ‘bronze’ na categoria ‘faixa roxa’.

O professor e também ‘faixa preta’ Anderson Oliveira Martins, o ‘Tim’, se destacou como diretor de arbitragem do evento. Todos agradecem a Deus e Jesus pelas conquistas, bem como aos seus familiares, companheiros de treino, ao CT Mateus Silva e Lino Barros, ao ‘Mestre Gigi’. Eles também enalteceram os parceiros e patrocinadores.

Continue lendo
WhatsAssp AssisNews
classificados
Publicidade

FaceNews

Mais lidas