Nadal guarda o melhor para o fim, dá show e fatura o tí­tulo em São Paulo

Triunfo do ex-número 1 do mundo é o segundo no Aberto do Brasil.

Como cansou de fazer em Roland Garros, Rafael Nadal guardou o melhor para o fim. Após três atuações inconstantes em São Paulo, o ex-número 1 do mundo teve uma tarde incrível neste domingo e conquistou o título do Aberto do Brasil ao derrotar o argentino David Nalbandian por 6/2 e 6/3, em 1h18m.

A conquista, que teve Ronaldo e Anderson Silva como espectadores, foi a segunda de Rafael Nadal em solo brasileiro. Em 2005, quando ainda era um desconhecido do grande público, o jovem de 18 anos levantou o troféu na Costa do Sauípe. Agora, depois de sete meses longe do circuito e mesmo sem a consistência dos tempos de número 1, Nadal acumula um vice (no ATP 250 de Viña del Mar, na última semana) e um título em duas semanas.

Rafael Nadal morde o troféu de número 51 em sua carreira (Foto: Gaspar Nobrega / Inovafoto)

– Estou muito feliz. Ganhar no Brasil, pela segunda vez, foi muito bonito. Em 2005, (o título) foi um começo de todos este anos que foram lindos, e espero que este possa ser um recomeço. Nós (espanhóis) nos sentimos bem  no Brasil, perto de casa. O idioma não é o mesmo, mas podemos nos entender e comunicar perfeitamente, nos sentimos à vontade com o clima e com o povo. Quando estou na América Latina, eu me sinto muito mais perto de casa do que quando estou em outros lugares – disse Nadal, que manteve uma tradição espanhola no Aberto do Brasil. Nos últimos seis anos, só Nadal e seus compatriotas levantaram o troféu de simples.

Começo arrasador

Depois de dois dias passando sufoco contra os argentinos Carlos Berlocq e Martin Alund, Rafael Nadal abriu a final deste domingo em ótima forma. Usando bem seus forehands cruzados, forçou o adversário a erros. Quando Nalbandian mandou um voleio na rede, perdeu o serviço no sexto game. O argentino teve uma chance de quebra logo na sequência, mas o espanhol se salvou com uma bola indefensável. Pouco depois, fez um ace de segundo saque e abriu 5/2. Nalbandian, por outro lado, estava longe de apresentar seu melhor tênis. Ao cometer três erros seguidos, cedeu outra quebra e deu números finais à parcial: 6/2.

O argentino reagiu logo no começo do segundo set. Com boas devoluções, pressionou o serviço do heptacampeão de Roland Garros e foi recompensado quando Nadal errou um voleio. Nalbandian, aproveitando o bom momento, voltou a quebrar o espanhol no terceiro game e parecia prestes a forçar um terceiro set. O espanhol no entanto, montou uma reação furiosa, atacando com precisão e profundidade – algo pouco visto até então no torneio.

Ronaldo e Anderson Silva atrasam jogo

Pouco antes de Nalbandian sacar em 3/2, Ronaldo e Anderson Silva chegaram ao Ibirapuera. A entrada dos dois ídolos deixou o público agitado e atrasou o início do sexto game. Quando ambos finalmente se sentaram ao lado do diretor do torneio, Luis Felipe Tavares, e do ministro do Esporte, Aldo Rebelo, Nalbandian desandou a errar. Nadal devolveu a segunda quebra e virou o jogo.

Enquanto o argentino não se encontrava, o espanhol deslanchava com bons saques e golpes agressivos. Uma direita não forçada de Nalbandian cedeu outra quebra ao queridinho da torcida, e Nadal logo teve a chance de sacar para o jogo, com o placar em 5/3. Como nos melhores dias, o heptacampeão de Roland Garros não perdoou. Em pouco tempo, comemorava o título em São Paulo.

VEJA TAMBÉM

#MAIS LIDAS DA SEMANA