Fique conectado

Tecnologia & Games

WhatsApp limita reenvios de mensagens a cinco usuários

Segundo empresa, medida visa manter o WhatsApp focado em mensagens privadas com contatos próximos.

Publicado em

218

REUTERS / Thomas White

O WhatsApp anunciou nesta segunda-feira, 21, que vai limitar o reenvio de mensagens em seu aplicativo dos atuais 20 para até cinco contatos da lista pessoal. Segundo a empresa, a medida “vai ajudar a manter o WhatsApp focado em mensagens privadas com contatos próximos”.

A mudança será implementada a partir desta segunda-feira, através de uma atualização no aplicativo, e foi decidida, diz a companhia, após ouvir a avaliação de usuários do durante seis meses.

A mudança ocorre meses após o WhatsApp ser alvo de polêmicas durante a campanha eleitoral, quando a plataforma foi acusada de ser usada para disseminar rapidamente notícias falsas.

Um grupo de especialistas brasileiros chegou a pedir à empresa, durante a eleição, que restringisse o número de reenvios já naquela época, a exemplo do que ocorreu na Índia em julho.

Naquele momento, o reenvio de mensagens foi restringido de 256 para 20 contatos em todo o mundo após uma onda de linchamentos na Índia matar 20 supostos suspeitos de serem sequestradores de crianças, ladrões e predadores sexuais. Na época, o próprio WhatsApp, no entanto, disse não ser possível realizar outra mudança.

Para o professor Pablo Ortellado, um dos especialistas que fizeram apelo à empresa, a mudança vai na direção certa. “O WhatsApp tem duas características que são muito incompatíveis: a privacidade e comunicação em massa”, disse. “A privacidade é fundamental na comunicação pessoal, é um direito civil importante, mas quando é combinada com comunicação de massa, traz muitos problemas. Ela permite uma comunicação com milhões e uma campanha desinformação de massa, na qual as pessoas não sabem nem quem foi o autor da mensagem e impedem o contraditório ”

Para Ortellado, a decisão, no entanto, é apenas metade do caminho. “Acho que fica faltando limitar a criação de listas de transmissão. Hoje, você continua podendo mandar o mesmo conteúdo para 256 contatos. É a outra metade da mesma estratégia: um produtor espalha para 256 ativistas. E cada um deles podia reencaminhar para outros 20 grupos”, explicou.

Facebook

Após saírem do ar, Facebook, Instagram e WhatsApp voltam a funcionar

As três empresas pertencem ao mesmo dono, Mark Zuckerberg.

Publicado em

Do AssisNews

Após instabilidades que começaram a ser apontadas por usuários de várias parte do mundo por volta das 6h30min deste domingo (14), Facebook, Instagram e WhatsApp voltaram a funcionar normalmente após as 10h. As três empresas pertencem ao mesmo dono, Mark Zuckerberg.

No Facebook e no Instagram, os relatos apontavam instabilidade sobretudo no feed de notícias, segundo o site DownDetector, que registra reclamações de redes sociais que ficam fora do ar. No WhatsApp, usuários relataram problemas para enviar ou receber mensagens.

Os comentários eram de várias parte do mundo. O Facebook ainda não se pronunciou em seu canal oficial.

Os aplicativos de mensagem devem ser integrados entre o fim deste ano e o início de 2020. Usuários do Facebook, por exemplo, poderão enviar mensagens a quem só baixou o WhatsApp no celular.

Continue lendo

Tecnologia

Celulares piratas serão bloqueados a partir deste domingo

Bloqueio será São Paulo e outros 14 Estados de Norte, Nordeste e Sudeste.

Publicado em

Agência Estado
Celulares falsos serão bloqueados no Estado de São Paulo (Foto: Rita Benezath)

A partir desde domingo (24), celulares piratas em São Paulo e outros 14 Estados de Norte, Nordeste e Sudeste começa a ser bloqueados.

Na data, entra em vigor a fase final do programa da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) contra aparelhos sem certificação, aparelhos cujos roubos tenham sido notificado às autoridades e aparelhos com IMEI (número único de identificação) adulterado.

Além de São Paulo, serão bloqueados aparelhos em Alagoas, Amapá, Amazonas, Bahia, Ceará, Maranhão, Minas Gerais, Paraíba, Pará, Piauí, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Sergipe e Roraima. Desde 7 de janeiro, os celulares em situação irregular nesses Estados passaram a ser notificados.

Até o último mês de fevereiro, a Anatel identificou 50.984 aparelhos piratas no Estado de São Paulo, mas não sabe dizer quantos serão bloqueados. O processo de bloqueio demora 75 dias após a identificação do caso.

O bloqueio de aparelhos irregulares começou por usuários do Distrito Federal e de Goiás, em maio de 2018. No total, 244.217 aparelhos irregulares foram bloqueados em todo o Brasil nas duas primeiras fases do programa.

Continue lendo

Games

Google anuncia o Stadia, um ‘Netflix dos games’

Com ajuda de sua infraestrutura de processamento na nuvem, os jogadores desfrutarão de games em qualquer tela, do celular à TV e com qualquer controle.

Publicado em

Agência Estado
Google anuncia o Stadia, um ‘Netflix dos games’

“O futuro dos games não está mais numa caixa”: foi assim que o Google apresentou nessa terça-feira (19), o Stadia, seu novo serviço de streaming de games. Com ajuda de sua infraestrutura de processamento na nuvem, a gigante americana vai permitir que os jogadores desfrutem de games em qualquer tela, do celular à TV e com qualquer controle, desde que estejam conectados à internet. Se funcionar, a ideia pode acabar com um mercado tradicional do entretenimento: a venda de consoles e jogos em formato físico, desbancando marcas como Sony, Nintendo e Microsoft.

Anunciado durante a Game Developers Conference, evento do setor realizado nesta semana em São Francisco, o Stadia (estádios, em latim) deve chegar ao mercado até o fim do ano nos EUA, Canadá, Reino Unido e na Europa. Não há data prevista para o Brasil. Ainda não está claro, porém, como os jogadores pagarão para usar o Stadia.

Analistas apontam que uma assinatura, nos moldes do Netflix ou do Spotify, é o modelo de negócios mais provável. Ainda não se sabe também quais e como serão os jogos disponíveis – em São Francisco, títulos de alto desempenho como Doom e Assassin’s Creed surgiram entre as promessas.

Funcionalidades

Além de permitir partidas pela rede, sem que o usuário precise de um novo dispositivo, o Google quer trazer novas funções aos games.

Por meio do Stadia, criadores de conteúdo poderão jogar partidas ao vivo junto com espectadores, em uma função chamada Crowd Play Outra ferramenta, chamada State Share, permitirá que um jogador comece a jogar uma fase específica de um jogo, em menos de dez segundos, a partir de um vídeo que mostre o mesmo nível.

O Google criou um estúdio próprio de jogos para o Stadia – comandado por Jade Raymond, que criou games como Watch Dogs, da Ubisoft. Haverá ainda um controle próprio do Stadia, no qual usuários poderão apertar botões específicos para gravar vídeos de seus jogos ou pedir ajuda ao Google Assistant para consultar como passar de fase.

Competição

O Stadia não chega sozinho ao mercado: Sony e Microsoft também devem lançar algo parecido este ano. Para analistas, é um setor cheio de potencial, mas com incertezas.

“O Stadia é uma ótima prova de conceito, mas só fará sucesso se tiver usuários e bom conteúdo disponível”, disse Daniel Ahmad, da consultoria Niko Partners, pelo Twitter.

Já André Pase, professor da PUC-RS, aponta que redes podem ser entrave. “Não basta uma conexão boa, é preciso que ela seja boa o suficiente para permitir ao jogador ter tempo de reação dentro dos games.”

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Continue lendo
WhatsAssp AssisNews
Solutudo 300
Publicidade

FaceNews

Mais lidas