Facebook apresenta novo feed de notícias com destaque para fotos

Rede social deu mais destaque às fotos e aos conteúdos visuais.
Mark Zuckerberg reuniu a imprensa em evento nos Estados Unidos.

Novo feed de notícias do Facebook foi feito para trazer a mesma experiência no navegador, no tablet e no celular (Foto: Divulgação)

O presidente-executivo do Facebook, Mark Zuckerberg, apresentou nesta quinta-feira (7), em evento para a imprensa na Califórnia (EUA), o novo feed de notícias da rede social, que passou a destacar mais as fotos e os conteúdos visuais. O novo design estará disponível aos usuários de desktop a partir desta quinta (7). Nos tablets e celulares, a novidade chegará nas próximas semanas.

“O feed de notícias se tornou algo voltado para as fotos. Mais de 50% do feed são fotos e conteúdos visuais”, explicou Zuckerberg. A companhia decidiu aumentar o tamanho das imagens também pela qualidade das fotos feitas pelos aparelhos hoje, sejam celulares ou máquinas fotográficas.

Conforme o anúncio, todas as novidades estarão disponíveis na versão do Facebook para desktop e para celulares. O novo design foi criado com inspiração na versão móvel da rede social, o que permite que a tela e a experiência de uso sejam as mesmas em qualquer dispositivo.

Imagem mostra comparativo entre o antigo feed do Facebook e o novo (à direita) (Foto: Divulgação)

“Nosso objetivo é criar um jornal personalizado para os usuários. Tem que ser social e ter conteúdo de diversos veículos do mundo, além das atualizações de amigos. Tem que ter uma página inicial e deve seguir até as pequenas coisas que o usuário deseja ver, como notícias e informações de amigos”, disse Zuckerberg no início da apresentação.

O conteúdo do novo feed de notícias será personalizado para o usuário. Cantores que ele gosta e sites que acessa, por exemplo, serão mostrados para destacar as notícias mais compartilhadas ou as que têm maior relevância para ele. Uma aba chamada “Following”, que fica no topo da página, permitirá escolher temas como esportes, games e música. Nela, o usuário poderá acompanhar posts de pessoas, empresas, páginas e sites em um só lugar.

No caso da música, será possível ver o que os artistas estão publicando, o que os amigos estão escutando e quais shows vão acontecer em breve. A aba “Following” estará em ordem cronológica para que o usuário não perca nada. O novo feed também ganhou um filtro para ajudar o usuário a encontrar o conteúdo que deseja.

Para acompanhar a mudança, o álbum de fotos do Facebook também foi reformulado, apresentando imagens maiores e que contam uma história. Ao compartilhar uma notícia, a imagem também será maior, destacando a importância da notícia em si. O Facebook adicionará o logotipo da empresa que produziu o conteúdo sendo compartilhado. A imagem de perfil também ganhou um aumento de tamanho, facilitando ao usuário mostrar sua foto, mas isso também serve para páginas de empresas, restaurantes e cafés.

Publicidade
De acordo com Julie Zhuo, diretora de design do Facebook, o novo visual se aplica a todos os conteúdos postados na rede, incluindo anúncios publicitários. “O redesenho responde ao retorno que tivemos dos usuários. Tentamos apresentar um design melhor que se aplica a todos os tipos de conteúdo. Tudo se aplica a novos formatos, incluindo publicidade”, afirmou a diretora de design em entrevista por telefone na tarde desta quinta-feira.

De acordo com Julie, o novo feed de notícias foi testado por menos de 1% dos usuários do Facebook e será liberado aos poucos para todos. “Não temos uma data específica de quando todos os usuários terão o novo feed”, disse Julie, em entrevista por telefone na tarde desta quinta-feira.

Em destaque, nova área que permite filtrar os assuntos que o usuário deseja acessar no Facebook (Foto: Divulgação)

O Facebook ainda não tem planos para expandir a área de música para outros temas como livros ou filmes.

Apesar da inspiração nos tablets e smartphones – os novos ícones da barra lateral foram inspirados na versão móvel do Facebook – o novo feed de notícias começa a ser liberado primeiro no desktop. A razão, conforme Julie, envolve a aprovação do aplicativo em diferentes sistemas operacionais.

#MAIS LIDAS DA SEMANA