Acessos em banda larga ultrapassam 85 milhões em outubro

Só neste ano, as redes de terceira geração chegaram a 477 novos municípios, somando em outubro 3.127 municípios cobertos com 3G

O número de acessos em banda larga fixa e móvel alcançou 85,5 milhões em outubro, segundo dados da Associação Brasileira de Telecomunicações (Telebrasil). De acordo com o levantamento, 29,6 milhões de novos acessos foram ativados nos últimos doze meses, o que representa um crescimento de 53% frente a outubro de 2011. 

A expansão mais significativa se deu na banda larga móvel, que apresentou 74% de crescimentos em doze meses. O segmento de internet rápida pela rede móvel alcançou 65,5 milhões em outubro, a um ritmo de ativação de um novo acesso por segundo. Na banda larga móvel, 52,5 milhões são de conexões de celulares de terceira geração (3G), incluindo os smartphones, e 13 milhões de terminais de dados, entre eles modems de acesso à internet e chips de conexão máquina-máquina (M2M). 

A banda larga 3G avançou também em cobertura, com crescimento de 74% nos últimos doze meses. As redes de terceira geração estão instaladas em 3.127 municípios, onde moram 87% da população. Esse total supera em mais de três vezes as obrigações de cobertura prevista no edital, que são de conectar 928 municípios até abril de 2013. Só neste ano, de janeiro a outubro, 477 novos municípios receberam as redes 3G. 

Os acessos em banda larga fixa, por sua vez, somaram 20 milhões em outubro. Desse total, 1,7 milhão de conexões foram ativadas nos últimos doze meses. A infraestrutura de banda larga fixa está presente em todos os municípios brasileiros. É por meio dessas redes que as concessionárias atendem com banda larga gratuita a mais de 63 mil instituições públicas de ensino fundamental e médio, pelo programa Banda Larga nas Escolas.

A velocidade de conexão da banda larga também evoluiu significativamente. Segundo dados da consultoria Akamai, a velocidade média da banda larga fixa cresceu 50% nos últimos dois anos, chegando a 2,1 megabits por segundo (Mbps), no segundo semestre de 2012.

Para a continuidade dessa expansão da banda larga no Brasil são necessárias políticas públicas e legislações que incentivem a ampliação da cobertura, com a instalação de infraestrutura, e a oferta de novos modelos de negócios, com diferentes produtos para atender a diferentes demandas. As prestadoras de serviços de telecomunicações continuam investindo pesadamente e contribuindo para o desenvolvimento sustentável do País, com a inclusão de mais brasileiros.

VEJA TAMBÉM

#MAIS LIDAS DA SEMANA