Fique conectado

Tecnologia

Japão cria robôs que detectam mau hálito e chulé

As máquinas se valem de sensores disponíveis no mercado, o que deixa claro como a tecnologia já evoluiu.

Publicado em

117

Quando o mau hálito é forte, robô Kaomi ‘decreta’ emergência (Foto: BBC)

O Japão revelou dois robôs que advertem usuários se eles estão sofrendo de mau hálito ou de chulé.

Um dos robôs se assemelha à cabeça de uma mulher e se chama Kaori, que em japonês significa “cheiro” ou “fragrância”. O outro se chama Shuntaro e tem o formato de um cãozinho.

Os detalhes a respeito das duas máquinas foram revelados pelo diário japonês Asahi Shimbun. O robô detector de mau hálito atua da seguinte forma: o usuário dá uma baforada diante do rosto de Kaori. Se seu hálito estiver agradável, ela dirá: “um bom cheiro, sem problemas”. Se não estiver tão bom, dirá coisas como “seu hálito está meio fedido” ou ainda “isso está ruim, intolerável”.

E quando o seu hálito está realmente malcheiroso, Kaori diz: “Está declarado um estado de emergência; isso ultrapassa o limite da minha tolerância”.

Chulé derruba cãozinho
Já o cão-robô Shuntaro balança a cabeça enquanto analisa os odores que emanam do pé de um usuário. Se o cheiro está decente, ele se aproxima do pé da pessoa e os alto-falantes do robô tocam a Quinta Sinfonia de Beethoveen.

Cãozinho Shuntaro ‘desmaia’ diante de chulés fortes (Foto: BBC)

Se o cheiro não for muito agradável, ele dá um grunhido. Mas se o chulé realmente for forte, a cabeça do cão-robô cai ao chão, como se ele desmaiasse.

As máquinas se valem de sensores disponíveis no mercado, o que deixa claro como a tecnologia já evoluiu.

Os dois robôs foram criados pela companhia japonesa CrazyLabo e pelo Colégio Nacional de Tecnologia de Kitakyushu.
As máquinas se valem de sensores de gás capazes de identificar odores específicos. A informação é proecessada por computadores que, por sua vez, controlam a resposta dos robôs.

Após ter anunciado estes dois primeiros produtos, o CrazyLabo diz que agora pretende tornar seus robôs rentáveis, alugando-os para diferentes eventos.

O presidente da companhia, Kennosuke Tsutsumi, disse ter se inspirado em reclamações de sua própria família a respeito de seus odores corporais.

Uso médico
Mas além de utilizações bem-humoradas como a feita pelos especialistas japoneses, já estão sendo desenvolvidos produtos tecnológicos com finalidades médicas que se valem de odores.

Uma companhia holandesa, a Enose, está desenvolvendo um kit de diagnóstico chamado Aenose, que busca, no odor, sinais de tuberculose, asma e câncer de garganta.

A empresa americana Alpha Szsenszor está desenvolvendo um equipamento feito para estudar o hálito humano a fim detectar câncer de pulmão e outras doenças.

E a britânica Universidade de Bristol está desenvolvendo um projeto chamado Odour Reader (Leitor de Odores), que analisa vapores coletado de amostras de fezes dos pacientes para ajudar a diagnosticar causas de diarreia. Mesmo assim, as tecnologias atuais são ainda menos sofisticadas do que o nariz humano.

O sistema olfativo humano contém cerca de 100 milhões de receptores que fazem uso de cerca de 350 milhões de diferentes tipos de proteínas. Já os “narizes eletrônicos” costumam usar 32 ou menos sensores químicos.

O Japão revelou dois robôs que advertem usuários se eles estão sofrendo de mau hálito ou de chulé.Um dos robôs se assemelha à cabeça de uma mulher e se chama Kaori, que em japonês significa “cheiro” ou “fragrância”. O outro se chama Shuntaro e tem o formato de um cãozinho.Os detalhes a respeito das duas máquinas foram revelados pelo diário japonês Asahi Shimbun. O robô detector de mau hálito atua da seguinte forma: o usuário dá uma baforada diante do rosto de Kaori. Se seu hálito estiver agradável, ela dirá: “um bom cheiro, sem problemas”. Se não estiver tão bom, dirá coisas como “seu hálito está meio fedido” ou ainda “isso está ruim, intolerável”.E quando o seu hálito está realmente malcheiroso, Kaori diz: “Está declarado um estado de emergência; isso ultrapassa o limite da minha tolerância”.Chulé derruba cãozinhoJá o cão-robô Shuntaro balança a cabeça enquanto analisa os odores que emanam do pé de um usuário. Se o cheiro está decente, ele se aproxima do pé da pessoa e os alto-falantes do robô tocam a Quinta Sinfonia de Beethoveen.Se o cheiro não for muito agradável, ele dá um grunhido. Mas se o chulé realmente for forte, a cabeça do cão-robô cai ao chão, como se ele desmaiasse.As máquinas se valem de sensores disponíveis no mercado, o que deixa claro como a tecnologia já evoluiu.Os dois robôs foram criados pela companhia japonesa CrazyLabo e pelo Colégio Nacional de Tecnologia de Kitakyushu.As máquinas se valem de sensores de gás capazes de identificar odores específicos. A informação é proecessada por computadores que, por sua vez, controlam a resposta dos robôs.Após ter anunciado estes dois primeiros produtos, o CrazyLabo diz que agora pretende tornar seus robôs rentáveis, alugando-os para diferentes eventos.O presidente da companhia, Kennosuke Tsutsumi, disse ter se inspirado em reclamações de sua própria família a respeito de seus odores corporais.Uso médicoMas além de utilizações bem-humoradas como a feita pelos especialistas japoneses, já estão sendo desenvolvidos produtos tecnológicos com finalidades médicas que se valem de odores.Uma companhia holandesa, a Enose, está desenvolvendo um kit de diagnóstico chamado Aenose, que busca, no odor, sinais de tuberculose, asma e câncer de garganta.A empresa americana Alpha Szsenszor está desenvolvendo um equipamento feito para estudar o hálito humano a fim detectar câncer de pulmão e outras doenças.E a britânica Universidade de Bristol está desenvolvendo um projeto chamado Odour Reader (Leitor de Odores), que analisa vapores coletado de amostras de fezes dos pacientes para ajudar a diagnosticar causas de diarreia.Mesmo assim, as tecnologias atuais são ainda menos sofisticadas do que o nariz humano.O sistema olfativo humano contém cerca de 100 milhões de receptores que fazem uso de cerca de 350 milhões de diferentes tipos de proteínas. Já os “narizes eletrônicos” costumam usar 32 ou menos sensores químicos.

Publicidade

Cidade

99 Pop, ‘concorrente do Uber’, chega a Assis

Aplicativo chega à cidade como opção de transporte barato, rápido e seguro.

Publicado em

Do AssisNews

Depois de superar as expectativas de cadastro de motoristas, a 99, empresa brasileira de transporte urbano que integra a companhia global DiDi Chuxing, amplia sua atuação em São Paulo e anuncia a chegada da categoria Pop em Assis, oferecendo uma opção de transporte barato, rápido e seguro aos assisenses.

O aplicativo de mobilidade, que já opera em mais de 1.600 cidades em todo o Brasil, conta com diversos diferenciais. Para os passageiros, a 99 tem o melhor preço da categoria, em média 15% menor. Para os motoristas, as principais vantagens são uma taxa menor do que a praticada pela concorrência e pagamento do valor da corrida em até 48 horas através do Cartão 99.

A empresa também investe em recursos de segurança para proteger tanto motoristas quanto passageiros. Entre eles está o compartilhamento da rota das corridas em tempo real, ferramentas de checagem de cadastro de condutores e botão de emergência. A 99 conta ainda com sistemas de segurança que alertam sobre regiões com maior número de incidentes e tecnologia de inteligência artificial que monitora todas as corridas em tempo real, 24h por dia, 7 dias na semana.

Como baixar o app

Para pedir o 99Pop, os passageiros devem baixar o aplicativo “99 – Carro Particular e Taxi” na Google Play Store, para smartphones com sistema Android, ou na App Store, para dispositivos com iOS. Aqueles já são utilizam a categoria 99Taxi, devem apenas atualizar a plataforma para que a opção da nova categoria apareça na tela inicial.

Sobre a 99

A 99, empresa brasileira de tecnologia que conecta passageiros e motoristas através de seu aplicativo, faz parte da companhia global Didi Chuxing (“DiDi”). O aplicativo conecta mais de 600 mil motoristas a 18 milhões de passageiros em mais de 1.600 cidades no Brasil. Como uma das maiores provedoras de mobilidade do país, a startup oferece cinco tipos de serviços na sua plataforma: 99Pop, categoria de carros particulares presente em mais de 40 regiões metropolitanas e grandes cidades; 99Taxi, categoria que cobre todo o país; 99Top, serviço de táxis de luxo oferecido em São Paulo; 99Compartilha, serviço de corridas compartilhadas disponível em Belo Horizonte MG); e o 99Comfort, que reúne comodidade de carros novos e espaçosos a um preço acessível em Porto Alegre (RS), Curitiba (PR) e São Paulo (SP).

Continue lendo

Tecnologia

Xiaomi anuncia smartphone com tela também na parte traseira

A tela tem tecnologia OLED e mede 6,3 polegadas.

Publicado em

Do MSN
© Fornecido por Lulelo Serviços de Publicidade Ltda.

A Xiaomi apresentou ontem o Mi Mix Alpha, um smartphone cuja tela cobre praticamente todo o aparelho, inclusive a parte traseira. A tela do Mi Mix Alpha “escorre” pelas bordas do aparelho e cobre também a parte de trás do celular. Assim, praticamente todo o aparelho é coberto pela tela. A exceção fica por conta de uma faixa na parte traseira, onde ficam as câmeras.

Como aparelho top, o Mi Mix Alpha tem configuração parruda, com chip Snapdragon 855 Plus, 12 GB de RAM e 512 GB de armazenamento. A tela tem tecnologia OLED e mede 6,3 polegadas. O aparelho tem ainda conexão 5G e sistema Android 10.

O aparelho é visto pela Xiaomi como um conceito e deve ser produzido em pequena escala. Na China, ele deve custar cerca de R$ 11 mil, mas ainda não há data marcada para o lançamento.

The post Xiaomi anuncia smartphone com tela também na parte traseira appeared first on TechBreak – Tudo sobre Tecnologia.

© Fornecido por Lulelo Serviços de Publicidade Ltda.

Continue lendo

Especial Publicitário

Saiba como recuperar dados com o EaseUS Data Recovery

O AssisNews testou o EaseUS Data Recovery Wizard para Windows.

Publicado em

Do AssisNews

Neste artigo vamos abordar um assunto que cada vez mais vem sendo requisitado por pessoas e empresas ao redor do mundo: a recuperação de dados.

Convenhamos que não é exagero nenhum dizer que grande parte da vida de pessoas e de empresas estão em computadores. Documentos, fotos, vídeos, projetos, ideias, exames, e-mails são apenas alguns exemplos de coisas que passaram da forma física para a digital nos últimos anos e que ficaram suscetíveis aos mais variados problemas intrínsecos à tecnologia.

Quanto mais dados são gerados, maior a possibilidade de perdê-los, por isso, é importante conhecer ferramentas que possam lhe ajudar no momento da necessidade de recuperar algum dado perdido. Uma ferramenta que atende muito bem a esta demanda é o programa para recuperar dados “EaseUS Data Recovery, do qual vamos tratar daqui em diante.

O AssisNews testou o Data Recovery Wizard da EaseUS Software, um programa recuperador de arquivos perdidos das mais diversas formas, e que cumpre bem o seu papel. O programa tem uma versão gratuita, mas a versão que testamos foi a paga para Windows. 

Saiba como recuperar dados com o EaseUS Data Recovery (Foto: AssisNews)

Saiba como recuperar dados com o EaseUS Data Recovery (Foto: AssisNews)

Ao entrar no aplicativo, você tem a opção de escolher em qual disco quer procurar pelos arquivos apagados. O processo de digitalização vai demorar alguns minutos, então a sugestão é que o usuário faça alguma outra coisa enquanto espera.

Depois que a digitalização estiver completa, é só escolher qual a pasta ou arquivo que deve ser recuperado e clicar no botão “recuperar”. Caso o usuário não possa ou não queira fazer a recuperação dos dados do disco na hora, é possível salvar e deixar para outro momento. Ao mostrar o conteúdo apagado, o programa dá a opção de fazer uma visualização prévia dos arquivos, sejam eles fotos, vídeos ou outros arquivos.

Saiba como recuperar dados com o EaseUS Data Recovery (Foto: AssisNews)

Ao fazer a busca em um cartão microSD antigo, por exemplo, descobrimos fotos de um evento de alguns anos atrás que não estavam com o resto das fotos, ou seja, a gente até lembrava que tinha tirado, mas nunca mais iria ver na vida. Por estas e outras, o investimento em um programa de recuperação de dados é sempre válido. Nunca se sabe o que pode estar escondido em arquivos apagados em algum HD, SSD ou cartão de memória esquecido numa gaveta.

Todo mundo que mexe com computadores certamente passou por isso em algum momento, aquela tensão ao perceber que apagou sem querer algum arquivo importante, e perdeu fotos ou vídeos da família ou dos amigos, ou então quem sabe várias horas de trabalho. 

Pois é, perder dados importantes é algo que não se deseja nem pro pior dos inimigos. O pior de tudo é que, pelo menos na minha experiência, por mais cuidadoso que um usuário seja, é só uma questão de tempo até que algo imponderável aconteça e ele acabe perdendo dados importantes. É sempre melhor prevenir do que remediar, usando um programa de recuperação de dados como o EaseUS Data Recovery Wizard Professional.

O aplicativo tem uma versão gratuita, mas a versão que testamos foi a profissional, que pode efetivamente recuperar os dados. A versão free só serve para mostrar quais são os arquivos que podem ser recuperados, e suporte recuperar dados de 2GB de graça, então pra salvar mais dados importantes, você vai precisar comprar a versão paga.

Saiba como recuperar dados com o EaseUS Data Recovery (Foto: AssisNews)

O funcionamento do programa é bem simples, você escolhe qual disco rígido, SSD, flash drive ou cartão de memória quer analisar, e clica no botão “Digitalizar”, que aciona uma busca completa no local para mostrar o que pode ser efetivamente salvo. Essa parte do processo pode demorar, dependendo do tamanho do disco que está sendo analisado.

Depois disso, você pode ver em uma lista todos os arquivos que podem ser recuperados para fazer isso na hora, ou então salvar a busca para recuperar mais tarde. Com o Data Recovery Wizard dá pra salvar fotos, arquivos de vídeos e outros documentos que antes estavam totalmente inacessíveis para o usuário.

A recuperação é instantânea, basta escolher o arquivo e um local para salvá-lo (em outro disco que não seja o analisado, por favor) e clicar no botão “Recuperar Agora”. Dependendo da empolgação do usuário com o arquivo recuperado, ele pode até mesmo compartilhar a façanha nas suas redes sociais. Se ele achou mesmo que nunca mais iria poder acessar aquele conteúdo, pode dar vontade de contar pra todo mundo.

Saiba como recuperar dados com o EaseUS Data Recovery (Foto: AssisNews)

Ao contrário da versão para Mac, a versão para Windows permite fazer buscas de arquivos e dados perdidos dentro do próprio HD onde o sistema está instalado sem ter que entrar no modo de recuperação, o que é um ótimo diferencial e uma mão na roda.

É possível fazer buscas por tipos de arquivo ou pelo nome deles, para facilitar a vida do usuário. O EaseUS Data Recovery Wizard Professional é um aplicativo que cumpre o que promete, e que tem o potencial de salvar a nossa pele, dependendo de importância dos dados que tenham sido apagados ou perdidos.

Ah, para fechar o assunto, vale ressaltar que o EaseUS Data Recovery Wizard 12.9 recupera mais de 1.000 tipos de arquivos! Você não leu errado, é isso mesmo. Abaixo seguem alguns dos tipos:

  • Documento: DOC/DOCX, XLS/XLSX, PPT/PPTX, PDF, CWK, HTML/HTM, INDD, EPS, etc.
  • Imagem: JPG/JPEG, TIFF/TIF, PNG, BMP, GIF, PSD, CRW, CR2, NEF, ORF, SR2, MRW, DCR , WMF, RAW, SWF, SVG , RAF, DNG, etc.
  • Vídeo: AVI, MOV, MP4, M4V, 3GP, 3G2, WMV, MKV, ASF, FLV, SWF, MPG, RM/RMVB, MPEG, etc.
  • Áudio: AIF/AIFF, M4A, MP3, WAV, WMA, APE, MID/MIDI, RealAudio, VQF,FLV, MKV, MPG, M4V, RM/RMVB, OGG, AAC, WMV,APE, etc.
  • E-mail: PST, DBX, EMLX, etc. (Outlook, Outlook Express, etc)

*O conteúdo deste artigo é patrocinado.

Continue lendo
WhatsAssp AssisNews
Publicidade

FaceNews

Mais lidas