Fique conectado

Tecnologia

Amazon contratará estagiários no Brasil

Estagiários receberão bolsa-auxílio no valor de R$ 1.900,00 mais benefícios como vale transporte, vale refeição, assistência médica.

Publicado em

137

Amazon contratará estagiários no Brasil

Em seu Programa de Estágio a Amazon vai contratar 60 interns para sua unidade em São Paulo. Os estudantes passam por um processo de formação e desenvolvimento enquanto trabalham na Companhia, sendo expostos a desafios reais e projetos nas diferentes áreas.

Os cursos

São aceitos estudantes dos cursos de: tecnologia como ciência da computação, análise de sistemas, sistemas de informação, administração, marketing, contabilidade, economia, engenharia, matemática, estatística, comunicação, jornalismo, publicidade e psicologia.

Os benefícios

Os estudantes terão possibilidade de atuar em na empresa que busca ser a mais focada no cliente do mundo e está entre as companhias mais inovadoras. Neste ambiente, serão expostos a desafios e aprendizados e ainda receberão bolsa-auxílio no valor de R$ 1.900,00 + benefícios como vale transporte, vale refeição, assistência médica.

Diversidade

A Amazon é uma empresa de oportunidades iguais e contrata indivíduos qualificados independente de gênero, raça, orientação sexual, religião, nacionalidade, idade ou deficiência. Como um empregador de oportunidades iguais,  a Amazon é aberta a estudantes de qualquer faculdade ou universidade cursando graduação no Brasil e com disponibilidade para estagiar em nossos escritórios. Não é necessário que o/a candidato/a tenha experiência profissional para se aplicar para o programa de estágio na Amazon Brasil.

Inscrições

A consultoria responsável pelo processo de seleção é a Companhia de Estágios.

Inscrições devem ser feitas através do site: www.ciadeestagios.com.br/amazon

Temos duas empresas diferentes da Amazon operando no Brasil, entenda melhor o business de cada uma delas em nosso país:

AWS (Amazon Web Services):

Há 12 anos, a Amazon Web Services é a plataforma em nuvem mais abrangente e amplamente adotada do mundo. A AWS oferece mais de 100 serviços completos para computação, armazenamento, banco de dados, networking, analytics, machine learning e inteligência artificial (AI), Internet das Coisas (IoT), mobile, segurança, hibridização, realidade virtual e realidade aumentada (VR e AR), mídia, e desenvolvimento de aplicações, deployment e gerenciamento a partir de 53 zonas de disponibilidade (AZ) em 18 regiões geográficas e uma Região Local, abrangendo EUA, Austrália, Brasil, Canadá, China, França, Alemanha, Índia, Irlanda, Japão, Coreia, Cingapura e Reino Unido.  Os serviços da AWS contam com a confiança de milhões de clientes ativos em todo o mundo – incluindo as startups que mais crescem no mercado, as maiores corporações e importantes órgãos governamentais – para viabilizar suas infraestruturas, agilizá-las e reduzir custos. Para saber mais sobre a AWS, acesse http://aws.amazon.com.

Amazon.com.br (Amazon Serviços de Varejo):

A Amazon.com.br oferece mais de 5 milhões de eBooks, incluindo mais de 110 mil títulos em português, e mais de 13 milhões de livros impressos, incluindo mais de 300 mil títulos em português de vendedores da Amazon e do Marketplace. A seleção do Marketplace também inclui centenas de milhares de produtos nas categorias de Eletrônicos, Papelaria, Ferramentas e Casa e Cozinha. Para comprar rapidamente pelo smartphone e ter acesso a promoções exclusivas, baixe o aplicativo Amazon Shopping gratuitamente.

Facebook

Facebook diz que hackers roubaram dados de 29 milhões de usuários

Empresa afirma que houve falhas de softwares para roubar “tokens de acesso”, que permitem que as pessoas se conectem automaticamente de volta às suas contas.

Publicado em

Da Reuters/G1
Facebook está investigando o ataque com o FBI — Foto: Ben Margot/AP

O Facebook disse, nesta sexta-feira (12), que os hackers responsáveis por um ataque à rede social descoberto em setembro tiveram acesso às contas de cerca de 29 milhões de pessoas e roubaram nome e detalhes de contato dos usuários.

A empresa informou no dia 28 de setembro que os hackers haviam roubado códigos de acesso digital, permitindo o acesso a quase 50 milhões de contas de usuários, mas não confirmou, na época, se as informações haviam sido realmente roubadas.

Em nota, a empresa disse que, em 15 milhões de contas, os invasores acessaram dois conjuntos de informações: nome e detalhes de contato, incluindo número de telefone, e-mail ou ambos, dependendo do que os indivíduos tinham em seus perfis.

Em outras 14 milhões de contas, os hackers também acessaram outros detalhes, incluindo nome de usuário, gênero, localidade/idioma, status de relacionamento, religião, cidade natal, data de nascimento, dispositivos usados ​​para acessar o Facebook, educação, trabalho e os últimos 10 locais onde estiveram ou em que foram marcados. (Confira na íntegra o comunicado oficial).

“Estamos cooperando com o FBI, que está investigando ativamente e nos pediu para não discutir quem pode estar por trás desse ataque”, explica a empresa.

Central de ajuda

Ao G1, a empresa havia afirmado em setembro que ainda não tinha a confirmação de que o problema afetou perfis no Brasil. Apesar disso, várias pessoas disseram no Twitter que foram deslogadas de suas contas no Facebook. Os engenheiros do Facebook afirmaram, na ocasião, que “não havia necessidade de ninguém mudar suas senhas”.

Agora, por meio do comunicado geral, a empresa explica que para saber se suas informações foram afetadas, os usuários podem checar visitando a Central de Ajuda no Facebook, que está disponível somente em inglês.

Nos próximos dias, o Facebook irá enviar mensagens customizadas a cada uma das 30 milhões de pessoas afetadas para explicar quais informações os invasores podem ter acessado, bem como medidas que elas podem tomar para ajudar a se proteger, incluindo de e-mails maliciosos, mensagens de texto ou chamadas telefônicas.

Outras redes sociais

De acordo com o Facebook, o ataque não incluiu as redes do Messenger, Messenger Kids, Instagram, Oculos, Workplace, páginas, pagamentos, aplicativos de terceiros ou contas de desenvolvedores ou anunciantes.

“Enquanto investigamos outras formas pelas quais as pessoas que estão por trás deste ataque usaram o Facebook, bem como a possibilidade de ataques em menor escala, continuaremos a cooperar com o FBI, a Comissão Federal de Comércio dos Estados Unidos, a Comissão de Proteção de Dados da Irlanda e outras autoridades”, finaliza o comunicado.

Como os hackers agiram

A falha explorou uma brecha no código relacionada ao recurso “Ver como”, que mostra ao usuário como o perfil dele é exibido para outras pessoas.

Primeiro, os invasores já controlavam um número de contas, que estavam conectadas com as contas existentes de amigos no Facebook. A partir daí, eles usaram uma técnica de automação para se mover de uma conta para outra, para que pudessem roubar os tokens de acesso desses amigos, e então de amigos de amigos e assim por diante, totalizando cerca de 400 mil pessoas.

Durante esse processo, contudo, essa técnica automaticamente carregou o perfil de 400 mil contas do Facebook. Isso incluiu posts na timeline, suas listas de amigos, grupos dos quais eram membros e os nomes de pessoas com as quais tinham conversado recentemente no Messenger.

Apenas o conteúdo das mensagens não ficou disponível aos invasores. Porém, se alguém neste grupo era administrador de uma Página que recebeu uma mensagem de alguém no Facebook, então o conteúdo da mensagem ficou disponível aos invasores.

Continue lendo

Tecnologia

Lançado há 5 meses, Telescópio da Nasa descobre dois novos planetas

Conhecido como Tess, projetou custou US$ 337 milhões e deve ampliar o catálogo de planetas distantes conhecidos

Publicado em

Por Reuters
Missão Tess almeja mapear uma grande porção do céu em busca de exoplanetas que orbitem estrelas — Foto: Nasa

Um telescópio orbital desenvolvido para detectar mundos fora do sistema solar descobriu dois planetas distantes nesta semana.

O Satélite de Pesquisa de Exoplanetas em Trânsito da Nasa, conhecido como Tess, foi lançado em abril no Cabo Canaveral, nos Estados Unidos, em uma parceria do governo americano e da empresa de exploração espacial SpaceX.

As primeiras descobertas do Tess desde o lançamento são “super-Terras” e “Terras quentes” em sistemas solares a não menos de 49 anos-luz de distância.

A missão, que custou US$ 337 milhões e deve durar dois anos, almeja ampliar o catálogo dos chamados exoplanetas, mundos que circulam estrelas distantes, conhecidos pelos astrônomos.

Embora os dois planetas sejam quentes demais para comportar vida, a vice-diretora de ciência do Tess, Sara Seager, acredita em muitas outras descobertas deste tipo. “Teremos que esperar para ver o que mais o Tess descobre”, disse.

O Tess foi concebido para herdar o trabalho de seu antecessor, o telescópio espacial Kepler, que descobriu a maior parte dos cerca de 3.700 exoplanetas documentados durante os últimos 20 anos e que está ficando sem combustível.

A Nasa espera localizar milhares de mundos até agora desconhecidos, talvez centenas deles do tamanho da Terra ou “super-Terras” — não maiores do que duas vezes o tamanho de nosso planeta.

Acredita-se que nestes é mais provável encontrar superfícies rochosas ou oceanos e, por isso, eles são considerados os melhores candidatos para a evolução da vida. Cientistas acreditam que futuramente o Tess ajudará a catalogar ao menos outros 100 exoplanetas rochosos para estudos.

Continue lendo

Tecnologia

Apple lança iPhone XS e iPhone XS Max

Apple apresentou dois novos iPhones com telas OLED de até 6,5 polegadas e processador renovado para ser mais potente e econômico.

Publicado em

Do Exame
Apple lança iPhone XS e iPhone XS Max. (Foto: Divulgação)

A Apple lançou nesta quarta-feira (12) os novos iPhone XS e iPhone XS Max. Os aparelhos contam agora com até 512 GB de memória interna pela primeira vez e mantêm o design da geração passada, com tela que ocupa tanto a parte frontal que não sobra espaço para o sensor de impressões digitais para desbloqueio de tela, substituído pelo sensor de reconhecimento facial Face ID.

Os novos iPhones contam com telas OLED, como o iPhone X, de 5,8 e 6,5 polegadas. O iPhone XS Max tem a maior tela já usada pela Apple em um smartphone. Ela tem 3,3 milhões de pixels, ou seja, 458 pixels por polegada para oferecer melhor visualização de vídeos e jogos.

Os aparelhos contam com o novo processador A12, que é capaz de processar 5 trilhões de tarefas computacionais simultaneamente, contra apenas 600 bilhões na geração passada. A abertura de aplicativos pode ficar até 30% mais veloz por conta desse novo componente, desenvolvido pela própria Apple.

O processador conta com seis núcleos, dois de alta performance e quatro voltados para o baixo consumo de energia. Nessa geração, a Apple deixou o primeiro conjunto 15% melhor e 40% mais econômico e o segundo até 50% mais eficientes.

Os smartphones também contam agora com um vidro mais resistente na tela para evitar que ela se quebre em quedas e tem uma certificação de proteção contra água um patamar acima do iPhone X do ano passado. Agora ele tem a certificação IP68, em vez da IP67, que permite a submersão do produto, por tempo limitado, em até 2 metros de profundidade.

A Apple disse no evento que os novos produtos foram feitos para durar tanto quanto possível, discurso alinhado com a sua estratégia de preservação do meio ambiente. A companhia também demonstrou brevemente, em vídeo, o robô reciclador chamado Daisy capaz de reciclar nove modelos de iPhones.

Bateria

A Apple informou que aumentou a autonomia de bateria do iPhone XS em 30 minutos em relação ao iPhone X e uma hora e meia a mais no caso do iPhone XS Max.

Câmeras

As câmeras traseiras da linha iPhone XS têm 12 megapixels (com abertura de f/1.8) e, como no passado, permitem tirar fotos com o fundo desfocado, efeito conhecido no meio fotográfico como “bokeh”. A novidade maior está na inteligência artificial que a empresa colocou no software da câmera. Ela reconhece e aprende com o ambiente como tirar fotos melhores. Já a câmera frontal do produto tem 7 megapixels e abertura de f/2.2, mais apropriada para ambientes bem iluminados.

Dual-SIM

Na China, os novos iPhones terão suporte físico para dois chips. No restante do mundo, ele terá suporte a um SIM-card físico e outro virtual, chamado eSIM, no qual as operadoras já trabalham para oferecer aos seus clientes.]

Preços

O iPhone XS terá o mesmo preço do iPhone X no ano passado: 999 dólares. Já a versão XS Max eleva o patamar de preço máximo de um smartphone da Apple para 1.099 dólares.

Quando chega ao Brasil?

Os produtos da empresa chegam ao mercado brasileiro no mesmo ano em que são lançados. No ano passado, por exemplo, o evento global aconteceu em 12 de setembro e o lançamento no Brasil foi em 31 de outubro, cerca de um mês e meio de intervalo. No entanto, ainda não há uma data oficial de lançamento da nova geração de iPhones.

Continue lendo
WhatsAssp AssisNews
Publicidade

FaceNews

Mais lidas