Após reunião, caminhoneiros optam por adiar bloqueio na Raposo Tavares

Mas, grupo garante que manifestações vão continuar na região de Assis.
Eles pedem aumento do frete e reclamam do preço do combustível.

Reunião entre caminhoneiros e Polícia Rodoviária em Assis (Foto: Reprodução / TV TEM)

O grupo de caminhoneiros que interditou a Rodovia Raposo Tavares(SP-270), no quilômetro 426, entre Assis (SP) e Palmital, nos dois últimos dias, decidiu não bloquear a via nesta sexta-feira (27), após reunião com a Polícia Rodoviária pela manhã.

Durante uma hora eles conversaram com o comando da Polícia Rodoviária na região discutindo datas e horários das manifestações. A preocupação da polícia é com a segurança na via. “A polícia quer garantir o direito de todos. O direito de manifestação e direito de ir e vir. Combinamos com eles que não haja bloqueio à noite ou se começar chuva, porque envolve risco as pessoas e a eles (caminhoneiros)”, explica o capitão da Polícia Rodoviária André Domingos Pereira.

O mesmo grupo já havia interditado parcialmente a Raposo Tavares na quarta-feira (25) e quinta-feira (26). A fila de caminhões chegou a seis quilômetros ontem. Segundo o caminhoneiro Mário Rorato, o grupo vai fechar a rodovia novamente no domingo, mas garante que apenas os caminhões ficarão no bloqueio.  “A nossa paralisação é caminhão. Carro, doentes e carga viva passam normal”, afirma.

Caminhoneiros vão continuar protestos
(Foto: Reprodução / TV TEM)

Os manifestantes reclamam do preço dos combustíveis e tarifa dos pedágios, além do baixo valor dos fretes. “Se a gente não trancar a gente vai falir. Temos que parar o Brasil para tentar melhor o frete”, alega Mário.

A Polícia Rodoviária tem acompanhado as manifestações para garantir a segurança na via e garante que nenhum problema foi registrado que pudesse acarretar multa. “Este manifesto é legítimo porque estão respeitando o direito de ir e vir”, afirma o capitão da PM.

O grupo integra o movimento nacional de caminhoneiros que já chegou a interditar rodovias em pelo menos 13 estados desde o começo da semana. No entanto, em Assis, o grupo afirma que não tem ligação com o sindicato da categoria, é formado por motoristas autônomos.

O grupo também reclama da atuação do sindicato da categoria em Assis. Eles afirmam que o acordo entre o governo e os sindicatos nacionais da categoria, feito na quarta-feira à noite, não resolve a situação deles e por isso estão mantendo o bloqueio. Sobre as críticas dos caminhoneiros, o Sindicato das Empresas de Transporte de Carga de Assis e região informou que vem reivindicando junto ao governo a redução do óleo diesel, pedágios e IPI sobre pneus agrícolas e de transporte de carga.

Caminhoneiros interditaram faixas das duas pistas da rodovia (Foto: Guilherme Tavares/ TV TEM)

#MAIS LIDAS DA SEMANA