Padrasto que matou enteada em Assis tem liberdade provisória decretada

Homem, que foi preso próximo ao anel viário de Cândido Mota (SP), irá responder ao processo em liberdade.

A justiça de concedeu liberdade provisória ao homem que deu um tiro na cabeça de sua enteada, Ana Carolina da Silva Montolezzi, de 17 anos, na noite da última sexta-feira (24) em Assis (SP).

O Alvará de Soltura foi requerida pelo advogado de defesa, Rodrigo Branco Montoro Martins. De acordo com o advogado, durante a audiência de custódia, realizada no final de semana, houve exito ao solicitar o alvará com medidas cautelares.

Agora, o indiciado responderá ao processo em liberdade, contudo, ele deve comparecer ao Fórum da Comarca de Assis, a cada dois meses, informar, confirmar seu endereço e assinar presença.

Ainda segundo o Rodrigo, a mãe da vítima confirmou a versão do padrasto durante a audiência, de o casal percebeu que havia alguém na casa e pensaram que se tratava de algum ladrão, neste momento o padrasto da vítima, foi até um dos cômodos e pegou a arma e Ana Carolina teria feito uma brincadeira para assustar o homem, momento em que ele disparou e acertou a cabeça dela, sem perceber de que se tratava de sua enteada.

O homem só teria percebido de que era a Ana Carolina após acender as luzes. Em desespero ele acabou fugindo.

Sobre o revolver Rossi, calibre 38, utilizado pelo homem na noite trágica, o advogado informa que a arma não é ilegal, pertence ao indiciado e tem o registro, ela apenas está com atraso de aproximadamente quatro anos em algum pagamento.

O advogado disse ainda que não havia nenhum tipo de desentendimento entre os dois e a tragédia foi acidental.

#MAIS LIDAS DA SEMANA