Acusado de assassinar empresária de Assis é preso em Carapicuíba

Ele era inquilino da família da vítima e teria agido em vingança, após desentendimento. Preso em Carapicuíba, o suspeito também atirou na tia da vítima, que segue internada.

Foi preso em flagrante o homem acusado de ter matado, na manhã de terça-feira (26), a empresária de Assis Tábatha de Paula Santos, de 46 anos, porta de sua casa, na rua Lidia Thomaz, no City Bussocaba, em Osasco (SP). Ele também atirou contra a tia da vítima, que foi socorrida e está internada.

Cláudio Martins teria agido por vingança (Foto: divulgação)

O suspeito foi flagrado em seu local de trabalho, um posto de gasolina no Parque Bandeiras, também em Osasco, onde trabalha como segurança.

A polícia descobriu ainda motivação do crime. O homem agiu por vingança, contra a tia da vítima, que já havia inclusive registrado boletim de ocorrência por ameaça. O suspeito era inquilino dele e os dois vinham se desentendendo.

Tábatha, tirava o carro da garagem de casa, junto com tia, Aparecida Gomes Medeiros de Carvalho, quando foram atingidas. O atirador fugiu sem levar nada. Já na noite de terça-feira, o suspeito foi identificado como Cláudio Martins.

A prisão foi feita por equipes do 2º DP, onde o caso foi registrado, com auxílio do SHPP (Setor de Homicídios e Proteção à Pessoa), da Dise e do Garra, que apoiaram as investigações. Os policiais chegaram ao suspeito a partir do carro usado no crime, que foi captado por câmeras de segurança.

Os investigadores perceberam que o Celta preto teve dois números da placa adulterados por fita isolante. Ao identificarem o número correto, chegaram ao proprietário, mas ele contou que em julho do ano passado havia vendido o carro para um homem chamado Claudio Martins, morador de Carapicuíba.

Ao mesmo tempo, foi localizado um boletim de ocorrência, registrado por Cida, sobre ameaças de morte feitas por um homem com o mesmo nome. Os policiais descobriram ainda o endereço do posto onde ele trabalhava como segurança e foram até lá.

A princípio, o suspeito negou envolvimento e disse que havia devolvido o carro para o antigo dono, por não poder pagar as parcelas. Mas os investigadores encontraram a chave do veículo jogada no lixo do banheiro. Depois, em inspeção ao posto, o Celta foi encontrado no subsolo, em um local sem luz, fechado com portão de ferro. Com isso, foi feita a prisão em flagrante.

#MAIS LIDAS DA SEMANA