Fique conectado

Polícia

Morre paciente queimado em incêndio dentro de hospital em Marília

Vítima foi internada em outro hospital e não resistiu aos ferimentos. Fogo foi provocado por outro paciente que teria se revoltado por internação para tratamento de dependência química.

Publicado em

194

Paciente morre após incêndio no Hospital Espírita de Marília (Foto: Googlemaps/ Reprodução)

Um dos pacientes queimados por um incêndio no Hospital Espírita de Marília (HEM) morreu na madrugada de domingo (14), uma semana após a ocorrência. O outro paciente ferido segue internado.

Segundo a diretoria do hospital, um dos pacientes que fazia tratamento de dependência química estaria revoltado com a internação e teria ateado fogo em um colchão usando um isqueiro, no dia 7 de abril. As chamas se alastraram e acabaram provocando queimaduras em dois pacientes, que inalaram fumaça.

Segundo a Polícia Civil, durante o incêndio na ala masculina do hospital, a vítima, de 35 anos, ficou gravemente ferida, com 45% do corpo queimado. O homem chegou a ser socorrido e encaminhado ao Hospital de Marília, mas não resistiu aos ferimentos.

O outro paciente atingido pelo incêndio teve 35% do corpo atingido pelas chamas, incluindo queimaduras das vias respiratórias, e segue internado na Santa Casa de Catanduva (SP).

O Hospital Espírita de Marília lamenta o ocorrido e reitera que segue na apuração dos fatos, por meio de uma sindicância, para descobrir como o responsável teve acesso ao isqueiro que causou o incêndio na unidade.

Relembre o caso

Os dois pacientes do Hospital Espírita que ficaram queimados foram socorridos pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e levados para o Hospital das Clínicas da cidade com queimaduras pelo corpo. Devido à gravidade, os dois foram transferidos para hospitais da região.

O HEM acionou a Brigada de Incêndio, que conteve as chamas com apoio do Corpo de Bombeiros. Os outros internos da ala foram retirados do local.

O paciente que teria provocado o incêndio foi contido e encaminhado à Central de Polícia Judiciária para apuração do caso.

A direção do HEM disse que existe um controle rigoroso não permitindo que pacientes fumem e tenham acesso a qualquer tipo de objeto, como foi o caso do isqueiro que causou o incidente. Dessa forma, uma sindicância vai apurar os fatos.

Em nota, o Hospital Espírita de Marília disse ainda que está prestando todo apoio aos pacientes feridos.

Polícia

Secretária de universidade é presa suspeita de integrar quadrilha que vendia vagas em cursos de medicina

Mulher foi presa na casa dela, em Fernandópolis (SP), na manhã desta segunda-feira (22), durante nova fase da operação Asclépio.

Publicado em

Do G1

Uma secretária da Universidade Brasil foi presa pela Polícia Civil na manhã desta segunda-feira (22), em Fernandópolis (SP), durante mais uma etapa da operação Asclépio, que investiga venda de vagas para cursos de medicina.

De acordo com a polícia, Edna Maria Alves foi encontrada na casa dela, por volta das 6h20, e teve a prisão preventiva decretada.

Ainda de acordo com a polícia, quando a operação foi deflagrada, no dia 12 de abril, foram feitas buscas na casa e no escritório dela, na universidade.

A mulher foi levada para a penitenciária de Pirajuí (SP), na região de Lins. As prisões de outros nove envolvidos no esquema foram convertidas para preventiva.

A reportagem do G1 tentou entrar em contato com a Universidade Brasil, mas não obteve retorno.

Na semana passada, foram cumpridos, em Andradina (SP), mandados para bloqueio de 127 veículos espalhados por vários estabelecimentos de venda. Todos os carros seriam de um morador de Muritinga do Sul (SP), envolvido no esquema.

Investigação

As investigações começaram em abril de 2017, quando os diretores da Fundação Educacional do Município de Assis suspeitaram do ingresso de cinco alunos. Quando foram efetuar a matrícula do curso a biometria não coincidia com a digital do dia da prova do vestibular.

Na época, a faculdade não pôde impedir a matrícula dos alunos e, diante das provas, os cinco estudantes foram expulsos em 2018, já no segundo semestre do curso. A Fema ainda procurou a Polícia Civil para registrar a suposta fraude dos alunos.

Segundo a Polícia Civil, as investigações identificaram Adeli de Oliveira, de Presidente Prudente, como o principal articulador da fraude. Ele vendia as vagas para os cursos de medicina e também as transferências de alunos para outras faculdades. O valor cobrado por vaga seria de R$ 80 mil a R$ 120 mil por estudante.

Segundo a polícia, com o avanço das diligências, apurou-se a constituição de sofisticada organização criminosa composta de três grupos, todos interligados: 1) Grupo familiar; 2) Grupo dos captadores e vendedores de vagas; e 3) Grupo de intermediários na Universidade Brasil.

O primeiro grupo, comandando pelo cabeça do esquema, coordenava todas as ações, “se valendo dos trabalhos de vários subordinados (seus familiares)”.

O segundo grupo surgiu da necessidade de se captar “vendedores de vagas”. A polícia diz que, por conta do alto número de alunos, só os familiares do articulador do esquema não teriam condições de atender toda a “oferta de vagas” em universidades particulares e a procura de interessados.

O terceiro grupo é de pessoas ligadas à Universidade Brasil, que possui faculdade de medicina em Fernandópolis. A polícia diz que, sem este grupo, não seria possível obter “êxito no engenhoso crime”. Essas pessoas eram consideradas integrantes desta organização criminosa.

Dinheiro apreendido pela Operação Asclépio, que desmantelou quadrilha que “vendia” vagas em cursos de medicina — Foto: Stephanie Fonseca/G1

Continue lendo

Polícia

Colisão entre veículos deixa motorista preso às ferragens na SP-294

Acidente aconteceu na manhã desta segunda-feira (22) em Marília (SP).

Publicado em

Do Marília Notícia
Colisão entre caminhonete e caminhão deixou um motorista preso às ferragens (Foto: Arquivo Pessoal)

Uma colisão entre uma caminhonete e caminhão deixou um motorista, que não teve a identidade divulgada, preso às ferragens na manhã desta segunda-feira (22) na rodovia Comandante João Ribeiro de Barros (SP-294), em Marília (SP).

Segundo a Polícia Rodoviária Estadual (PRE), dois homens ocupavam a caminhonete, com placas de Bauru, quando o motorista tentou fazer a troca de faixa, mas o condutor de uma Volkswagen Kombi não percebeu a manobra e se manteve em alta velocidade.

Em depoimento, o motorista alegou que retornou para a faixa 1 e colidiu na traseira de um caminhão, com placas de Vera Cruz. O impacto amassou a frente da caminhonete e o condutor ficou preso no veículo, pois a porta não abria.

O resgate do Corpo de Bombeiros compareceu no trecho, próximo a alça de acesso da Avenida da Saudade, e prestou auxílio às vítimas. Os bombeiros retiraram o motorista da caminhonete e o encaminharam até o Hospital das Clínicas com ferimentos leves.

Tanto o passageiro da caminhonete como o motorista do caminhão não tiveram ferimentos. As identidades dos envolvidos não foram divulgadas pela polícia.

Frente da caminhonete ficou destruída (Foto: Arquivo Pessoal)

Continue lendo

Polícia

Homem é autuado por porte ilegal de arma em Tupã

Denúncia levou equipes da Polícia Militar até um posto de combustíveis da cidade, onde o homem de 30 anos exibia a arma. Ele vai responder pelo crime em liberdade.

Publicado em

Do G1
Arma foi apreendida pela PM de Tupã — Foto: Polícia Militar/Divulgação

Um homem de 30 anos foi autuado em flagrante por porte ilegal de arma de fogo e uso restrito na noite de sábado (20) na Vila Abarca, em Tupã (SP).

De acordo com a Polícia Militar, a equipe da força tática recebeu informações de que um suspeito estava exibindo uma pistola no pátio de um posto de combustíveis.

No local, a polícia encontrou o homem dentro de uma caminhonete com uma pistola .45 e oito munições intactas.

Ele foi encaminhado à delegacia da cidade e responderá pelo crime em liberdade.

Continue lendo
WhatsAssp AssisNews
Solutudo 300
Publicidade

FaceNews

Mais lidas