Chefe do Departamento de Trânsito de Assis (SP) alegou que dinheiro encontrado era um empréstimo pessoal — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Vereadores de Assis (SP) adiaram na sessão desta segunda-feira (17) a leitura do relatório final da CPI que pede apuração de irregularidades no Departamento de Trânsito.

A denúncia foi feita por uma ex-funcionária da Câmara ao Ministério Público. Na denúncia, a ex-assessora de gabinete da Câmara disse ter recebido dinheiro para não revelar o esquema.

Apesar da presença de muitos moradores, o vereador Alexandre Cobra decidiu na última sessão do ano, pedir mais tempo para apresentar o relatório final.

A Câmara de Assis fica em recesso até o dia 28 de janeiro de 2019, portanto, o relatório só deve ser lido após essa data.

Investigação da Polícia Civil

O caso também é investigado pela Polícia Civil. Em uma operação realizada pela corporação, juntamente com o Ministério Público, em junho desse ano foram apreendidos documentos, computadores e R$ 5 mil em dinheiro encontrados na gaveta do chefe do departamento de trânsito.

Após essa operação, a prefeitura de Assis optou por afastar o chefe do Departamento de Trânsito da cidade. A ação foi deflagrada após várias reclamações que começaram a chegar no ano passado, de cidadãos que dizem ter recebido multas em excesso e até autuações de infrações que não teriam cometido.

Ex-funcionária denunciou o esquema em Assis — Foto: Reprodução/TV TEM

Assine nossa newsletter

Receba as notícias do AssisNews diretamente em seu email.

VOCÊ PODE GOSTAR

Polícia faz novo pedido de prisão do padre investigado por atropelar homem suspeito de furtar igreja

Defesa solicitou que o processo seja colocado em segredo de Justiça.

Eleitor tem até hoje para emitir, transferir e regularizar título

Cadastro será fechado a partir de amanhã.