Fique conectado

Polí­tica

Câmara de Tarumã afasta servidora suspeita de usar carro oficial em encontro amoroso

Legislativo abriu procedimento administrativo para investigar conduta de funcionária que teria sido flagrada em Assis com um homem dentro do veículo. Denúncia foi protocolada por funcionário público.

Publicado em

2.870

Segundo a denúncia, carro oficial da Câmara estava estacionada na Rua São Paulo, em Assis, com motor ligado (Foto: Bruno Henrique Garcia Paes/Arquivo pessoal)

Um funcionário público de Tarumã (SP) protocolou denúncia contra uma funcionária da Câmara de Vereadores da cidade que teria usado o carro oficial da Casa para um “encontro amoroso” na vizinha cidade de Assis.

As cenas do suposto encontro foram gravadas por Bruno Henrique Garcia Paes, motorista da prefeitura de Tarumã, em Assis, cidade onde ele mora. Ele registrou com um celular o carro estacionado na Rua São Paulo e protocolou a denúncia junto à Câmara de Tarumã.

Segundo a advogada da Câmara, Eliane Coimbra Nilck, a denúncia foi recebida e nesta sexta-feira (12) foi instaurado um procedimento administrativo para investigar o caso. A medida também promoveu o afastamento preventivo da funcionária da Câmara, que tem o cargo de contadora.

Segundo a advogada, foi montada uma comissão com três servidores municipais para investigar a denúncia, com prazo de 30 dias para apresentar suas conclusões. A funcionária investigada tem depoimento marcado para a próxima quinta-feira (18).

A partir do depoimento, a contadora terá três dias de prazo para apresentar sua defesa por escrito e eventuais testemunhas. Eliane Coimbra diz que outras testemunhas podem ser arroladas durante as investigações.

“Em um levantamento inicial, pelo horário da denúncia, ela estaria com o carro a serviço da Câmara, com demandas em Assis. Ou seja, a princípio, ela não pegou o carro sem autorização, mas tudo isso ainda será investigado”, explicou a advogada da Câmara.

Eliane Coimbra explicou que a contadora é funcionária concursada e está no cargo de agosto do ano passado. Ela explicou que, de acordo com o estatuto do funcionalismo, dependendo do resultado das apurações, as sanções para um caso como esse podem ser de advertência, suspensão ou até mesmo exoneração.

‘Indignação’

O funcionário público de Tarumã Bruno Henrique Garcia Paes, que protocolou a denúncia, disse ao G1 que tomou a decisão por “se sentir indignado” com a situação ele diz ter flagrado. Ele explicou que passava pela rua quando reconheceu o carro e viu o que se passava dentro dele.

“Sou motorista e as regras pra gente são muito rígidas, não podemos nem ir almoçar com o carro oficial. Quando passei e vi o carro ligado e com pessoas trocando carícias, me indignei e resolvei registrar”, disse.

O funcionário público diz que já pediu a seu advogado que faça um ofício ao Ministério Público com o material que ele colheu para que se investigue um suposto caso de “uso indevido de veículo oficial”.

Polí­tica

Vereador de Assis que ‘surtou’ e pulou sobre o próprio carro durante blitz retorna ao cargo após seis meses

Nilson Pavão (MDB) pediu afastamento de 180 dias para tratamento psiquiátrico logo após Câmara abrir Comissão Processante para investigar sua conduta. Antes, vereador já havia sido investigado por outra CP após ser flagrado com cocaína.

Publicado em

Do G1
Foto: Divulgação

O vereador Nilson Pavão (MDB) retomou suas atividades políticas na Câmara de Assis (SP) na segunda-feira (12) após o término de sua licença médica. O presidente da Casa, o vereador Alexandre Cachorrão (PR), confirmou que Pavão reassumiu sua cadeira.

Pavão ficou seis meses afastado para realizar tratamento psiquiátrico. Seu afastamento foi anunciado no dia 11 de fevereiro deste ano, uma semana após ter um surto durante uma blitz e depredar seu próprio carro.

Na ocasião, ele pulou no teto do veículo, amassou a lataria e arrancou os limpadores do para-brisas. (Veja no vídeo abaixo)

 

Vídeo Vereador Nilson Pavão – Destruindo carro e ameaçando outro Vereador.

Publicado por Rádio Difusora de Assis AM em Terça-feira, 5 de fevereiro de 2019

Um semana depois do surto, a Câmara abriu uma Comissão Processante para apurar o caso por quebra de decoro parlamentar. Pavão não compareceu à sessão e protocolou um pedido de afastamento por 180 dias para tratamento psiquiátrico.

Com o atestado médico, a tramitação da CP foi suspensa. Segundo Alexandre Cachorrão, com a volta do vereador ao cargo, serão retomadas as investigações da Comissão que investiga possível caso de quebra de decoro.

Segunda vez

Esta é a segunda Comissão Processante que Nilson Pavão terá de enfrentar durante seu mandato na Câmara de Assis . Em 2018, ele foi flagrado com cocaína no carro após se envolver em um acidente de trânsito e a Câmara abriu uma CP.

Na época, Pavão admitiu na tribuna ser usuário de drogas, mas negou ser dono da cocaína encontrada no carro. O processo de cassação aberto pela Câmara foi arquivado depois que outras pessoas que estavam no carro assumiram a posse do entorpecente na delegacia.

Nilson Pavão é ex-catador de recicláveis e foi o terceiro parlamentar mais votado para a Câmara de Assis em 2016, com 1.275 votos, na primeira vez que disputou a eleição.

Continue lendo

Polí­tica

Após ação do Ministério Público, prefeito de Assis exonera comissionados

De acordo com o Ministério Público, comissionados estariam exercendo cargos em desconformidade com a lei.

Publicado em

Do AssisNews
Após ação do Ministério Público, prefeito de Assis exonera comissionados

Uma ação pública de Improbidade Administrativa movida pelo Ministério Público (MP) contra o prefeito de Assis José Fernandes, acarretou na exoneração de funcionários comissionados.

De acordo com o MP, José Fernandes elaborou o Projeto de Lei nº 129/2017, convertido em Lei Municipal nº 6.407/2017, na qual, em seu art. 5º, extingue os cargos em comissão do Poder Executivo Municipal, e, em seu art. 7º, criam outros cargos da mesma natureza, discriminados no Anexo III da referida lei, com as atribuições respectivas contidas no Anexo IV.

O MP alega ainda, que, embora a descrição das atribuições dos cargos em comissão sejam de assessoramento, chefia ou direção, na prática as atribuições confiadas a esses funcionários são de natureza burocrática, ordinária, técnica, operacional e profissional, sem a necessidade de relação de confiança para o desempenho das funções, portanto esses funcionários estariam exercendo cargos em desconformidade com a lei.

Por meio de nota, Fernandes se diz solidários aos comissionados, mas diz que deve acatar a decisão judicial.

“Neste momento sou solidário aos comissionados que exercem com dignidade seus trabalhos e são responsáveis pelo sustento de seus lares. Contudo, temos que acatar a decisão judicial e a Prefeitura está disposta a proceder com todas as adequações sugeridas, mesmo porque realizamos um concurso público recentemente e os aprovados já estão sendo convocados e se encontram em fase de efetivação. Mas, aguardamos a decisão final do processo”, diz o prefeito José Fernandes.

A ação movida pelo MP é número 1002823-22.2019.8.26.0047.

Continue lendo

Brasil

Dilma Jane, mãe da ex-presidente Dilma Rousseff, morre em BH

Dilma Jane nasceu em 1924. Locais do velório e enterro ainda não foram divulgados.

Publicado em

Do G1
A ex-presidente Dilma Rousseff com a mãe, Dilma Jane — Foto: Instagram Dilma Rousseff/Arquivo Pessoal

Dilma Jane, de 95 anos, mãe da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), morreu neste sábado (13), em casa, em Belo Horizonte.

A informação foi confirmada pelo vereador e presidente do Partido dos Trabalhadores em Belo Horizonte (PT), Arnaldo Godoy. Segundo ele, a ex-presidente está fora do país e ele não sabia sobre a previsão de chegada dela.

Até a publicação desta reportagem, Godoy disse não saber sobre o local do velório e do enterro.

Amigos de Dilma Rousseff, como Manuela D’ávila e Eduardo Suplicy, e o deputado Federal pelo Ceará José Guimarães lamentaram a morte nas redes sociais.

Nascida em 1924, Dilma Jane foi casada com o imigrante búlgaro Pétar Russév que era funcionário da siderúrgica Mannesmann, quando Dilma Jane era professora.

A família viveu em Belo Horizonte, e a morte do pai impediu Dilma Rousseff de fazer uma festa de début em sociedade aos 15 anos.

Continue lendo
WhatsAssp AssisNews
Solutudo 300
Publicidade

FaceNews

Mais lidas