Fique conectado

Entretenimento

Morre, aos 60 anos, o apresentador Gugu Liberato

Um dos mais icônicos apresentadores da televisão brasileira faleceu nesta sexta-feira (22/11/2019), em Orlando, nos Estados Unidos.

Publicado em

1.558

Gugu Liberato, umas das figuras mais icônicas da televisão brasileira, morreu, nesta sexta-feira (22/11/2019), aos 60 anos, após sofrer uma acidente doméstico, ocorrido nesta quarta-feira (20/11/2019). Ele teria caído de uma altura de quatro metros na casa dele, localizada em Orlando, nos Estados Unidos, ao tentar arrumar o ar-condicionado. Ainda não há informações sobre velório e enterro.

Confira a nota na íntegra:

NOTA DE FALECIMENTO

Este é um momento que jamais imaginamos viver. Com profunda tristeza, familiares comunicam o falecimento do pai, irmão, filho, amigo, empresário, jornalista e apresentador Antônio Augusto Moraes Liberato (Gugu Liberato), aos 60 anos, em Orlando, Florida, Estados Unidos.

Nosso Gugu sempre viveu de maneira simples e alegre, cercado por seus familiares e extremamente dedicado aos filhos. E assim foi até o final da vida, ocorrida após um acidente caseiro.

Ele sofreu uma queda acidental de uma altura de cerca de quatro metros quando fazia um reparo no ar condicionado instalado no sótão. Foi prontamente socorrido pela equipe de resgate e admitido no Orlando Health Medical Center, onde permaneceu na Unidade de Terapia Intensiva, acompanhado pela equipe médica local.

Na admissão deu entrada em escala de *Glasgow de 3 e os exames iniciais constataram sangramento intracraniano. Em virtude da gravidade neurológica, não foi indicado qualquer procedimento cirúrgico. Durante o período de observação foi constatada a ausência de atividade cerebral. A morte encefálica foi confirmada pelo Prof. Dr. Guilherme Lepski, neurocirurgião brasileiro chamado pela família, que após ver as imagens dos exames em detalhes, confirmou a irreversibilidade do quadro clínico diante de sua mãe Maria do Céu, dos irmãos Amandio Augusto e Aparecida Liberato, e da mãe de seus filhos, Rose Miriam Di Matteo.

Ainda não temos detalhes sobre o traslado para o Brasil. Informações sobre velório e sepultamento serão passadas assim que tudo estiver definido.
Ele deixa três filhos, João Augusto de 18 anos e as gêmeas Marina e Sophia de 15 anos.
Atendendo a uma vontade dele, a família autorizou a doação de todos os órgãos.
Gugu sempre refletiu sobre os verdadeiros valores da vida e o quão frágil ela se revela. Sua partida nos deixa sem chão, mas reforça nossa certeza de que ele viveu plenamente. Fica a saudade, ficam as lembranças – que são muitas – e a certeza que Deus recebe agora um filho querido, e o céu ganha uma estrela que emana luz e paz.

Familiares e funcionários
São Paulo, 22 de novembro de 2019
* Escala Glasgow de 3 – usada para medir a consciência e a evolução das lesões cerebrais em um paciente.

Gugu Liberato comandava o reality show Canta Comigo, na Record TV. A atual temporada, que termina no dia 4 de dezembro, já foi toda gravada. Ele ainda apresentaria o especial Família Record e o Power Couple.

Gugu Liberato é um dos nomes mais importantes da televisão brasileira. O apresentador é lembrado, principalmente, pelos anos em que passou no Sistema Brasileiro de Televisão (SBT), comandando programas como o Domingo Legal e o Sabadão Sertanejo.

Trajetória
Antônio Augusto de Moraes Liberato nasceu em 10 de abril de 1959, em São Paulo. O começo da carreira na televisão veio pelas mãos de Silvio Santos, que o convidou para trabalhar na emissora. Em 1981, ele comandou o Sessão Premiada. No ano seguinte, Gugu passou a apresentar o Viva a Noite.

Em 1988, após conseguir reverter uma ida de Gugu para a Globo, Silvio Santos promoveu o apresentador para os domingos, quando comandou quadros do Passa ou Repassa e o Roletrando. Nessa época, nas madrugadas de sábado, ele comandava o Sabadão Sertanejo.

No ano de 1993, o apresentador estreou o programa que o levaria ao estrelato: o Domingo Legal. A atração foi a aposta de Silvio Santos para competir com o Domingão do Faustão. Gugu Liberato criou quadros icônicos, como Táxi do Gugu, Gugu na Minha Casa e a Banheira do Gugu.

Gugu Liberato, em 2009, deixou o SBT e foi para Record, onde estreou o Programa do Gugu. A atração não decolou e o apresentador passou por idas e vindas na emissora de Edir Macedo.

Gugu Liberato era casado com Rose Miriam di Matteo, com quem teve três filhos: João Augusto Liberato, Marina Liberato e Sofia Liberato.

Entretenimento

Morre Marie Fredriksson, vocalista da dupla Roxette

Ela lutava há 17 contra um câncer no cérebro.

Publicado em

Do Metrópoles
BRIAN RASIC/WIREIMAGE
BRIAN RASIC/WIREIMAGE

Marie Fredriksson, vocalista da banda Roxette, morreu nesta segunda-feira (09/12/2019), após 17 anos de uma batalha contra o câncer de cérebro. Ela tinha 61 anos.

A cantora foi diagnosticada em 2002 com um grave tumor. O tratamento foi agressivo. No entanto, Marie sofreu alguns danos permanentes no cérebro, perdeu a capacidade de ler, contar, a visão no olho direito e teve os movimentos do lado direito de seu corpo afetados.

Em 2009, ela conseguiu retornar aos palcos. O trabalho resultou em novos álbuns e turnês. Porém, em 2016, os médicos de Marie a aconselharam a parar de trabalhar nos palcos e se concentrar em sua saúde.

Roxette foi uma dupla de música pop rock sueca formada por Marie Fredriksson e Per Gessle. A dupla alcançou sucesso mundial entre o fim dos anos 1980 até meados da década de 1990, período em que tiveram dezenove singles no top 40 da Inglaterra, como The Look, Listen to Your Heart, It Must Have Been Love e Joyride, segundo informações do R7.

Ao todo, a banda gravou 11 discos, sendo Good Karma, de 2016, o mais recente.

Continue lendo

Entretenimento

Raul Gil nega boato de morte em vídeo

Apresentador foi mais uma vítima de fake news: ‘Estou mais vivo do que nunca’.

Publicado em

Da Catraca Livre
Raul Gil gravou vídeo desmentindo a notícia de sua morte (Foto: Reprodução/SBT)
Raul Gil gravou vídeo desmentindo a notícia de sua morte (Foto: Reprodução/SBT)

Na última segunda-feira, 2, Raul Gil compartilhou com seus seguidores do Instagram um vídeo em que aparece desmentindo os boatos que surgiram sobre sua morte.

O apresentador do SBT garantiu que tudo não passou de uma fake news, já que o boato que anda circulando é o de que ele estaria no avião que caiu na Serra da Cantareira há um dia, que deixou uma pessoa morta.

“Eu mais vivo do que nunca ”, escreveu na legenda, seguida da gravação: “Oi, minha gente! Olha eu aqui, vivinho, vivinho. Já me ‘mataram’ três vezes! Agora, disseram que eu estava dentro de um avião que caiu na Serra da Cantareira. O avião deve ter caído, mas eu não, estou aqui”, disse.

O filho do veterano, Raul Gil Jr., também compartilhou o vídeo.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Eu mais vivo do que nunca…kkkk #raulgil @programaraulgil

Uma publicação compartilhada por Raul Gil Oficial (@raulgil3) em

Continue lendo

Entretenimento

Humorista Evandro Santo pede R$ 60 mil de indenização por agressão em Marília

Agressão teria ocorrido após uma apresentação na cidade. No processo, advogados do comediante pedem indenização por danos morais ao agressor e o pai dele.

Publicado em

Do G1
Evandro Santo, ex-Pânico, registrou boletim de ocorrência por agressão em show realizado em Marília — Foto: Facebook/Reprodução

Evandro Santo, ex-Pânico, registrou boletim de ocorrência por agressão em show realizado em Marília — Foto: Facebook/Reprodução

O humorista Evandro Santo entrou com uma ação na Justiça com pedido de indenização por danos morais no valor de R$ 60 mil pela agressão que teria sofrido em outubro deste ano, após uma apresentação em Marília (SP).

Na ação, os advogados do comediante pedem que o suspeito da agressão, que teria dado um soco no rosto de Evandro e o pai dele, que teria incentivado a agressão, paguem R$ 30 mil cada de indenização por danos morais.

“Trata-se de ação de indenização por dano moral decorrente de homofobia, consistente em um soco na região da boca e do nariz, cometida pelo primeiro requerido, incentivado por seu genitor, segundo requerido, contra o autor, figura pública”, consta na denúncia.

Após ser agredido em Marília, Evandro Santo, ex-Pânico, registra B.O por lesão corporal e homofobia — Foto: Lucas Alves/Divulgação

Após ser agredido em Marília, Evandro Santo, ex-Pânico, registra B.O por lesão corporal e homofobia — Foto: Lucas Alves/Divulgação

No processo, os advogados também reforçam que a indenização não visa reparar a dor do episódio sofrido por Evandro, mas obter um valor que amenize o sofrimento provocado.

A ação foi ingressada na Justiça na tarde de terça-feira (26) e distribuída na 11ª Vara Cível em São Paulo e será julgada pela juíza Gisele Valle Monteiro da Rocha.

Entenda o caso
Evandro Santo, ator conhecido pelo seu personagem Christian Pior, postou uma foto com o rosto inchado nas redes sociais, em outubro deste ano, e relatou ter sido vítima de homofobia após um show de comédia que apresentou em uma casa noturna de Marília.

“Esta não é uma foto bonita e nem legal. Esta foto mostra o quanto devemos ter cuidado com pessoas com aparência “normal”, porque o ódio e a homofobia não tem cara.”

O agressor teria participado, minutos antes, de um quadro do show onde ganhou um selinho do humorista. Um vídeo divulgado pela assessoria de Evandro mostra o momento do “beijo” e os aplausos da plateia.

“Ele super aceitou bem, fez o Tinder, ganhou um selinho meu, deu risada assim como a moça ganhou um meu e deu risada. Saiu do palco de boa”, escreveu o ator na época.

No entanto, depois que o show acabou, o ator conta que foi surpreendido ao sair do banheiro e levou um soco no rosto, do rapaz que havia participado do show. Além disso, o comediante disse que foi chamado de “viado”.

Por causa disso, a assessoria informou que o artista foi até a delegacia de Marília para registrar um boletim de ocorrência, mas recebeu a notícia de que teria que esperar quatro horas.

Assim, ainda segundo a assessoria, como o ator tinha compromissos em São Paulo, decidiu não aguardar e fazer o BO na capital, além de processar os envolvidos por homofobia e danos morais.

O boletim de ocorrência registrado em São Paulo, na Decradi (Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância), ligada ao Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP), relata os crimes de lesão corporal e homofobia, situação que passou a ser criminalizada com base na lei de racismo por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF).

Continue lendo
WhatsAssp AssisNews
Publicidade

FaceNews

Mais lidas