De tragédia em tragédia…

Por Carlos R. Ticiano.

Impressionante como no Brasil é preciso esperar acontecer uma tragédia, para que as autoridades responsáveis se mobilizem no sentido de correr contra o tempo, na tentativa de amenizar o estrago e dar uma palavra de conforto as pessoas diretamente atingidas pelo infortúnio.

Diante de famílias desoladas pela perda de seus entes queridos e bens materiais, estradas, vilas e bairros apagados do mapa, meio ambiente com matas e rios contaminados, surgem dos escombros da mediocridade, um elemento com cara de assustado, tentando justificar aquilo que é injustificável.

Juntando os cacos de palavras sem nexo, dizem os membros do conselho, com a maior cara de pau do mundo que vão abrir uma sindicância interna com a finalidade de apurarem de forma urgente e rigorosa, qual a causa da tragédia e assim, punirem os responsáveis.

O governo por sua vez, através de suas autoridades correm ao encontro dos microfones para anunciarem que a empresa, no caso a Vale, vai ser multada por negligência, que terá valores bloqueados e bens confiscados para serem utilizados no ressarcimento dos prejuízos, não só das pessoas atingidas, como na recuperação do meio ambiente afetado.

O detalhe, é que o governo não pune nenhum órgão vinculado ao próprio governo. Esta conversa de punição é balela. Até hoje as famílias das pessoas atingidas pelo rompimento da barragem em Mariana (MG), incluindo o próprio meio ambiente, estão esperando uma decisão final da justiça. Mas a Vale, continua recorrendo e fugindo de suas responsabilidades.

Desta vez com o rompimento da barragem em Brumadinho (MG), não vai ser diferente. Os cachorros vão latir, a carruagem vai passar e nada vai acontecer. Vivemos em um país sem noção e precário na tarefa de prevenção contra acidentes de todos os tipos…

– Barragens rompendo e destruindo tudo que encontram pelo caminho…

– Acidentes acontecendo todo dia em função da má conservação das estradas…

– Segurança pública precária e obsoleta…

– Pontes caindo por falhas no projeto e na elaboração estrutural…

– Meios de transportes sucateados e ineficientes…

– Escolas abandonadas e desaparelhadas prejudicando o ensino…

– Atendimento hospitalar vergonhoso e degradante…

– Elevados com fissuras e deslocamento, cedendo por falta de manutenção…

Quando as autoridades brasileiras, vão tomar vergonha na cara e cumprir com suas obrigações e fazerem aquilo para a qual foram nomeadas pelo alto escalão do governo? Enquanto isso, as tragédias vão acontecendo e se espalhando pelos noticiários internacionais, como um rastilho de pólvora. Jornalistas de plantão correm contra o tempo, para em primeira mão, anunciarem aos telespectadores a tragédia anunciada.

Estamos correndo o risco de sermos taxados de um país retrógrado. Reprovado em todas as matérias escolares com notas baixas, ficamos novamente de segunda época. Vamos ter que voltar para a escola, pegar os livros e os cadernos e estudar um pouco mais. Quem sabe com um bom professor da “Finlândia” conseguimos aprender a lição, parar de tirar nota zero e finalmente sermos aprovados.

#MAIS LIDAS DA SEMANA