Manifestação em Assis Advogado fala sobre ação com 308 cruzes: ‘Banalização da morte me incomoda’

Karol Tedesque colocou as cruzes na rotatória São Francisco na madrugada de segunda-feira (7) e ação gerou repercussão na cidade e nas redes sociais. Segundo ele, a iniciativa tem o objetivo de promover conscientização e homenagear as vítimas da Covid na cidade, que eram 308 até domingo (6).

Intervenção com cruzes para homenagear vítimas da Covid-19 gera repercussão em Assis (SP) — Foto: Maria Julia Benelli/ Arquivo pessoal

A intervenção do advogado Karol Tedesque, de 36 anos, na rotatória São Francisco, em Assis (SP) gerou repercussão na cidade. O advogado colocou cruzes no gramado na madrugada desta segunda-feira (7) para homenagear os moradores que morreram vítimas da Covid-19 e conscientizar a população sobre a gravidade da doença.

“A intenção dessa intervenção foi puxar a responsabilidade e dividir a culpa, dizer que temos que fazer nossa parte, independente de prefeitura, estado e do presidente. Essa culpa que está nos nossos comportamentos de promover aglomerações, não usar máscara e banalizar o risco. As pessoas só veem que muita gente se cura, mas não veem que muitas morrem também”, explica o advogado.

Segundo Karol, o sentimento de impotência diante do aumento de casos e as mortes de pessoas aguardando por leitos de UTI foram a sua motivação para fazer a ação. Em seu trabalho como advogado, ele já entrou com pedidos de liminares para que leitos de UTI fossem providenciados, mas com a lotação dos hospitais, não há o que ser feito.

“Na minha profissão eu tenho muito acesso a isso e me cansei um pouco de fazer, porque conseguíamos a liminar, mas na prática não servia pra nada, já que o estado não tem como arrumar uma UTI de repente. Eu me sentia um pouco impotente, porque as pessoas continuam morrendo. ”

A continuidade de aglomerações e a atitude dos moradores de ignorar a gravidade da doença, mesmo com o alarmante número de casos fizeram com que o advogado buscasse outros meios de chamar atenção para o problema e conseguiu, já que sua ideia foi muito comentada na cidade. A escolha da rotatória para a ação não foi à toa.

“Aqui em Assis tem muitas festas, muitas aglomerações. Desde o feriado do dia 1º de maio começou a ter muita aglomeração nos bares e essa banalização da morte me incomoda muito. Eu digo que as pessoas se entorpecem com tantas mortes.”
“Eu escolhi a rotatória para a intervenção, porque ela e São Francisco são símbolos de Assis e também porque ali é o local onde acontecem as maiores aglomerações”, relata Karol.

Karol pintou à mão as 308 cruzes que fazem parte da intervenção — Foto: Karol Tedesque/ Arquivo pessoal

As 308 cruzes pintadas à mão por Karol e colocadas no gramado da rotatória que simbolizam as 308 vítimas da doença no município até o domingo (6), não são apenas uma homenagem, mas também um apelo à população para cumprir os protocolos de prevenção à doença e evitar novas internações nesse momento em que o sistema de saúde atua em capacidade máxima.

“O aumento continua e o apelo que eu faço é esse. As pessoas não estão morrendo de Covid, estão morrendo por não ter um leito hospitalar. Precisamos desafogar o sistema de saúde urgente. As equipes estão cansadas, tendo que cuidar de muitas pessoas e não tem estrutura, tempo hábil e nem oxigênio pra isso.”

Advogado recebeu mensagens com agradecimentos em suas redes sociais após a intervenção com cruzes — Foto: Arquivo pessoal
Advogado recebeu mensagens com agradecimentos em suas redes sociais após a intervenção com cruzes — Foto: Arquivo pessoal

Após a postagem com um texto explicando a intervenção, muitas pessoas procuraram Karol para agradecer a homenagem, inclusive pessoas que perderam familiares para a Covid-19.

“Eu recebi muito apoio de muitas famílias que se comoveram com a intervenção tanto homenagem, como no sentido de manifesto. Uma pessoa que perdeu o pai foi comigo para participar. Recebi também uma mensagem de uma mulher que perdeu o filho e que viu na homenagem uma forma de se despedir dele e homenageá-lo. Um DJ também fez um vídeo da rotatória que alcançou mais de 200 mil visualizações no Instagram da última vez que vi”, fala.

No entanto, apesar da repercussão positiva, muitas pessoas também expressaram descontentamento com o protesto. Isso porque, ele tem uma presença ativa na cidade no combate à pandemia e defende o isolamento social e a continuidade das aulas online.

“Eu fui tomando algumas medidas que achava viáveis, mas em Assis, ainda existe uma parcela da população que continua a negar a pandemia, algo que vem muito da elite. E recebi algumas retaliações por conta da intervenção, mas a arte quando não provoca algum tipo de desconforto, não seguiu a proposta.”

A faixa colocada na rotatória com os dizeres “A culpa também é sua!!!” foi rasgada e Karol fez outra postagem nas suas redes sociais nesta quinta-feira (10) expressando sua indignação.

“Não vejo uma faixa rasgada, vejo um sinal dos nossos tempos, tempos onde tentam a todo instante rasgar a constituição, rasgar a liberdade de expressão, rasgar a tolerância ”

O advogado ressaltou ainda que irá retirar todas as cruzes da rotatória na próxima semana. E que pretende dar algum outro destino para as cruzes, mas ainda não sabe ao certo o que vai fazer com elas.

A intervenção

Karol Tedesque fez uma postagem no seu perfil no Facebook nesta segunda-feira (7) com fotos da intervenção e escreveu um texto para conscientizar sobre a gravidade da doença e o desrespeito às medidas de prevenção contra o coronavírus.

No texto, Tedesque diz que a intenção foi homenagear os moradores da cidade que perderam a vida para a doença e fazer um apelo para que todos se cuidem.

“Homenagem aos 308 assisenses que perderam a vida para o vírus Covid-19 até o dia 2 de junho, e também um apelo para que as pessoas e as autoridades busquem mais consciência de seus atos, óbvio que muitos se curaram desse vírus malditos, mas muitas famílias já foram dilaceradas e precisamos conter a disseminação dessa doença tão silenciosa, contagiante e fatal.”

O post intitulado “A culpa também é sua!” cita inúmeras maneiras de desrespeitar as regras de distanciamento social e promover aglomerações. Ao final, o advogado expressa seu desejo de que a intervenção faça alguma diferença na cidade.

“Hoje minhas mãos ainda estão sujas de tinta e doloridas, mas tenho esperança que dê algo isso tudo servirá.”

Divulgação

#MAIS LIDAS DA SEMANA